O segredo da origem da vida na Terra pode estar nos micróbios de Yellowstone

Brocken Inaglory/ Wikimedia

Géiser no Parque Nacional de Yellowstone

Como começou a vida na Terra? A resposta a esta pergunta pode estar nos micróbios descobertos nas águas do Parque Nacional de Yellowstone.

Após uma década de investigação, cientistas que estudam características geotérmicas no Parque Nacional de Yellowstone encontraram uma nova linhagem da antiga forma de vida arquea.

Os arqueas, provavelmente as formas mais antigas de vida na Terra, são organismos parecidos com as bactérias, mas com um metabolismo diferente. Os especialistas acreditam que este organismo unicelular pode revelar os segredos de como a vida na Terra começou e como é que poderia ser em outros planetas.

“A descoberta de linhagens de arqueia é fundamental para nossa compreensão da árvore universal da vida e da história evolutiva da Terra“, escreveram os autores no artigo científico publicado recentemente na Nature Microbiology.

Em homenagem ao Planeta Vermelho, os organismos foram batizados de Marsarqueotas. Os cientistas descobriram que estes organismos são ricos em óxido de ferro e são tão ácidos quanto toranjas.

Os dois recém-subgrupos descobertos da Marsarqueotas prosperam nas águas quentes no Parque Nacional de Yellowstone: um vive em águas acima de 50 C e o outro em águas entre os 60 e os 80°C.

Os Marsarqueotas vivem dentro de tapetes microbianos – comunidades microscópicas em ambientes aquáticos – e conseguem a sua coloração vermelho escuro graças aos altos níveis de óxido de ferro, o principal componente da ferrugem.

Os especialistas acreditam que tipos de habitats semelhantes a estes “tapetes” desempenharam um papel importante na evolução dos arqueas, tanto no planeta Terra como (provavelmente) noutro planeta qualquer.

O óxido de ferro que estes organismos produzem cria uma espécie de terraço que bloqueia o fluxo de água. A água, a poucos milímetros de profundidade, escorre pelos terraços onde o oxigénio é capturado e fornecido à Marsarqueota.

Ao contrário de outros organismos que produzem óxido de ferro, os cientistas acreditam que a Marsarqueota pode estar envolvida na redução do ferro para uma forma mais simples, importante desde o princípio da Terra. De acordo com os investigadores, “o ciclo do ferro é extremamente importante no que diz respeito às primeiras condições de vida”.

Tal como o que acontece com estes organismos, a cor vermelho, característica do planeta Marte, surge da oxidação do ferro na sua superfície. “O habitat destes organismos contém minerais de ferro semelhantes aos encontrados na superfície de Marte”, comentou o professor William Inskeep, da Montana State University.

“Estudar os arqueas fornece pistas extra deste quebra-cabeça, importante para entender a biologia de alta temperatura – que poderia ser relevante na indústria e biologia molecular.”

ZAP ZAP // IFLScience

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Como surgiu a vida na Terra? Cientistas acreditam ter descoberto o "elemento-chave"

Uma equipa de investigadores da Ludwig-Maximilians-Universitaet, na Alemanha, mostrou que pequenas alterações nas moléculas de transferência de ARN (tARNs) permitem que se auto-agrupem numa unidade funcional que consegue replicar informações exponencialmente. Uma equipa de biólogos alemães …

Telescópio FAST detetou três misteriosos sinais rádio do ainda jovem Universo

O gigante telescópio chinês FAST (Five Hundred Metre Aperture Spherical Telescope) detetou três misteriosas rajadas rápidas de rádio (FRB) que ocorreram quando o Universo era ainda jovem. As rajadas rápidas de rádio são um dos …

Áustria reitera rejeição de acordo comercial UE-Mercosul

O Governo austríaco, numa carta enviada ao primeiro-ministro, António Costa, reiterou a sua rejeição do acordo comercial UE-Mercosul e apelou a que Portugal, enquanto presidência da União Europeia (UE), “assegure” que a sua votação seja …

Em Málaga, pode comer-se o pão mais caro do mundo. É feito com ouro e prata

É na padaria espanhola Pan Piña que se confeciona aquele que é, de momento, o pão mais caro de todo o mundo. Este é vendido por uma quantia que pode chegar até aos 3.700 euros …

Novas evidências apontam eventual localização dos destroços do MH370. Jornalista sugere que foi abatido

O chefe da busca fracassada pelo voo MH370 da Malaysia Airlines está a pedir um novo inquérito com base em novas evidências que podem finalmente resolver o mistério do desaparecimento da aeronave há sete anos. De …

Cidade nos EUA testou o rendimento básico universal. "Os números foram incríveis"

Além de a percentagem de pessoas que tinham um emprego a tempo inteiro ter subido, os participantes da iniciativa também relataram sentir-se menos ansiosos. De acordo com o estudo publicado esta quarta-feira, citado pela agência …

Belenenses 0-3 Benfica | Vendaval suíço após o descanso

O Benfica venceu o dérbi com a Belenenses SAD, em jogo a contar para 22ª jornada da Liga NOS, por 3-0. Uma partida que teve uma primeira parte mal jogada e com muitas dificuldades para as …

Investigador apresenta nova geração de drones minúsculos e ágeis. São inspirados em mosquitos

Os mosquitos são insetos incrivelmente acrobáticos e resistentes durante o voo, o que os ajuda a navegar entre rajadas de vento, obstáculos e incertezas. Agora, uma equipa de investigadores construiu um sistema que se aproxima …

OMS considera que a pandemia podia ter sido evitada se alguns países não tivessem sido lentos a reagir

O diretor-geral da OMS afirmou esta segunda-feira que alguns países reagiram lentamente à declaração de emergência sanitária global em janeiro de 2020, desperdiçando-se uma "janela de oportunidade" para evitar a pandemia de covid-19. "A 30 de …

Louvre recupera armadura do século XVI roubada há quase 40 anos

O peitoral e o capacete elaboradamente decorados, que estavam desaparecidos desde 1983, datam do século XVI e voltaram finalmente ao museu do Louvre, em França. Quase quatro décadas depois, um peitoral e um capacete do século …