Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo.

Tal como nos humanos, as avós orcas são peças fundamentais da família. Uma nova investigação descobriu que as orcas mais velhas constituem uma mais-valia para a sobrevivência das novas crias. O estudo foi publicado esta semana na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.

Daniel Franks e a sua equipa de biólogos constataram que as orcas bebé que não contavam com a presença das avós na pós-menopausa tinham taxas mais altas de mortalidade. Esta correlação era visível principalmente quando os alimentos eram escassos.

“Se a avó morre, nos anos que se seguem à sua morte, é muito mais provável os netos morrerem”, disse o investigador da Universidade de York. Estas orcas conseguem orientar os peixes na direção das crias, podendo “explicar os benefícios de as fêmeas viverem muito tempo após a reprodução”, explica Franks.

Devido à sua experiência, recursos e tempo livre, as orcas mais velhas eram cruciais para a proliferação das crias do grupo. E porque é que são unicamente as orcas fêmeas mais velhas e não os machos mais velhos?

Segundo o Gizmodo, as orcas macho raramente vivem para lá dos seus 30 anos, enquanto que as fêmeas têm uma maior longevidade, podendo ter crias até aos 40 anos e viver mais algumas décadas. No mundo animal, poucas são as espécies que vivem para além do período depois da menopausa — de forma semelhante aos seres humanos.

“O estudo sugere que avós em idade fértil não podem fornecer o mesmo nível de apoio que avós que já não se reproduzem”, notou Franks. “Isso significa que a evolução da menopausa aumentou a capacidade da avó ajudar os seus netos“, acrescentou.

Os benefícios que as orcas mais velhas trazem traduz-se por aquilo a que os especialistas chamam de “efeito da avó”, que consiste no valor benéfico ou adaptativo de ter avós por perto para cuidar dos netos.

Para chegarem a esta conclusão, os cientistas basearam-se em dados estatísticos recolhidos ao longo de 36 anos de dois grupos de orcas da costa noroeste do Canadá e dos Estados Unidos com o Oceano Pacífico.

“A morte de uma avó depois da menopausa pode ter repercussões importantes no seu grupo familiar, o que pode revelar-se uma consideração importante quando se avalia o futuro destas populações. À medida que as populações de salmões continuam a declinar, as avós deverão tornar-se ainda mais importantes para estas populações de orcas”, conclui o especialista.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Tancos. PJ fez duas ações encobertas para tentar recuperar armas furtadas

A PJ fez duas ações encobertas para tentar recuperar as armas furtas em Tancos, já depois destas terem sido roubadas. O arguido João Paulino recusou prestar declarações por não ter tido acesso a esta parte …

588 condecorações, 17 vetos e 16 visitas de Estado. Os números de Marcelo e um aviso para o último mandato

Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito Presidente da República há quatro anos, conseguindo arrecadar 52% dos votos dos portugueses. Desde então, atribuiu mais de 500 condecorações, vetou 17 leis e fez 16 visitas de Estado.  …

"Rúbenball", quatro expulsos e lenços brancos. Sporting cai com estrondo em Braga

O Sporting caiu nas meias-finais da Allianz Cup, num jogo que terminou com quatro expulsões. Uma entrada dura de Mathieu despoletou uma enorme confusão dentro de campo. O Sporting de Braga está na final da Allianz …

Luanda Leaks. Administradores não executivos da NOS chamados pelo Comité de Ética

O Comité de Ética e a Comissão de Governo Societário da NOS decidiu chamar os três administradores não executivos da operadora citados no escândalo Luanda Leaks. Esta decisão foi tomada antes de uma reunião do …

"Ataque contra a imprensa livre." Justiça brasileira acusa jornalista Glenn Greenwald de cometer cibercrimes

O Ministério Público Federal acusou o jornalista Glenn Greenwald por "auxiliar, orientar e incentivar" um grupo de hackers que acedeu aos telemóveis do ex-juiz e ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e dos …

United faz nova proposta por Bruno Fernandes. Saída pode ficar fechada esta quarta-feira

Sporting e Manchester United retomaram as negociações por Bruno Fernandes esta semana, podendo a saída do médio dos leões ser confirmada ainda esta quarta-feira, segundo escreve o desportivo A Bola. De acordo com o jornal, …

Portugal tem de ser "implacável" no combate à corrupção, diz Santos Silva

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, assegurou na terça-feira que o Governo vai continuar a aprofundar a cooperação com Angola, a respeitar a independência judicial e "não ser precipitado a tirar conclusões", após as …

Ministério das Finanças já admite “documento de trabalho” sobre injeção no Novo Banco

Depois de negar ter recebido uma proposta do Banco de Portugal (BdP) com a hipótese de uma injeção final de 1,4 mil milhões no Novo Banco, o Ministério das Finanças, liderado por Mário Centeno, já …

Lobo d'Ávila: "No dia em que quisermos ser um Chega II não seremos o CDS"

O candidato à liderança do CDS Filipe Lobo d’Ávila acha que o partido “não deve cair na tentação” nem cometer o “erro tremendo” de tornar-se num “Chega II”, porque há “um mundo de diferenças” entre …

Em busca da câmara oculta. Cientistas querem voltar a "bombardear" a Grande Pirâmide de Gizé com raios cósmicos

Uma equipa de cientistas quer "bombardear" a Grande Pirâmide de Gizé, no Egito, com raios cósmicos para confirmar a existência de uma câmara interna, detetada numa outra investigação anterior. A informação é avançada pelo portal …