/

Clínica da Opus Dei diz que homossexualidade causa gastroenterite

5

Jose Mario Pires / Wikimedia

Clínica Universidad de Navarra.

A Clínica Universitária de Navarra, que pertence à prelatura da Opus Dei, defende que a homossexualidade e a promiscuidade são causadoras de gastroenterite.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

No guia de atuação de urgência sobre esta condição médica, a Clínica Universitária de Navara menciona a homossexualidade e a promiscuidade como “dados epidemiológicos”. De acordo com a clínica, estes dados são “essenciais para orientar a etiologia” da gastroenterite e ajudam a determinar possíveis casos de proctite, salmonela ou gonorreia.

O código ético da clínica diz que todos os que lá trabalham devem “atuar de acordo com as normas da ética profissional e conforme os ensinamentos morais da Igreja Católica“. Dessa mesma forma, explica o jornal espanhol Público, todas as investigações devem respeitar os princípios da moral católica “relativos à sexualidade e à procriação humana”.

Também os tratamentos psiquiátricos e neurológicos da clínica “responderão aos princípios da antropologia cristã“.

“Não conheço nenhum protocolo de cuidado à gastroenterite aguda em emergências que contemple a homossexualidade ou os hábitos sexuais como causa, direta ou indireta, da diarreia aguda”, explicou ao diário espanhol Juan Luis Uria, especialista em medicina preventiva e saúde pública.

É a primeira vez que leio algo assim em quarenta anos de profissão. Não têm provas científicas e só pode ser entendido como chaves ideológicas”, acrescentou.

A clínica de Navarra, no nordeste de Espanha, pertence à Opus Dei, uma prelatura pessoal da Igreja Católica que, segundo o seu site, “ajuda os cristãos correntes a procurar a santidade no sue trabalho e nas suas atividades correntes”.

O guia de atuação, que inclui os protocolos para intervenções de emergência para esta condição médica, menciona ainda a importância de ter em consideração outros fatoress para além da homossexualidade e da promiscuidade, nomeadamente “viagens recentes” ou “ocupação do paciente”. Além disso, o consumo de água ou alimentos contaminados também é referido.

Em sua defesa, a clínica espanhola afirma que outros guias de referência, como por exemplo o da Associação Espanhola de Gastroenterologia, mencionam a “homossexualidade ou um paciente afetado com SIDA” como uma indicação de possível parasitocultura.

  ZAP //

5 Comments

  1. Quando tocamos com reportagens sobre bichas com Gastroenterite?.. O que deveriam pegar para Vitória dos homens de boa vontade, seria uma super bactéria no anus para que viesse fazer cair seus pintos!

  2. Que historia mais sem anexo por favor espanha não se torne tapada agora em pleno seculo de mudança que vergonha para uma clinica quero passar longe dessa clinica super decepcionado

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.