“Olé! Olé!”: árbitro não gostou e parou o jogo

Atitude muito pouco habitual. Episódio aconteceu num jogo no Brasil e os “culpados” foram os convidados.

A Oeirense é o novo campeão da segunda divisão, a Série B, do Campeonato Piauiense. O torneio foi conquistado pela primeira vez pelo clube.

No jogo da segunda “mão” da final, A Oeirense venceu o Corisabbá por 3-0, depois de o primeiro jogo desta final ter terminado com um empate sem golos.

O estádio Gerson Campos assistiu aos golos de Jhonata, Rayro e Babo, para uma equipa que tem a curiosidade de ter a sede em Oeiras (mas no estado de Piauí, no Brasil).

Este jogo já foi realizado no sábado passado, dia 9 de Outubro, mas regressa agora às notícias em alguns jornais brasileiros por causa de um excerto do relatório do árbitro principal da final.

O árbitro Iudiney César Rocha explicou porque interrompeu o jogo, a meio da segunda parte. Estava a ouvir gritos “olé!” provenientes das bancadas, quando a equipa da casa, o Oeirense, já ganhava por 2-0. Os “olés” acompanhavam alguns passes dos novos campeões.

“O jogo foi interrompido durante um minuto por causa de manifestações com gritos de olé, oriundas dos convidados da equipa da Associação Atlética Oeirense, que se encontravam nas arquibancadas do estádio. Após o aval do delegado da partida, o jogo reiniciou normalmente”, lê-se no relatório.

O que esteve aqui em causa não foi o comportamento do «adepto comum» (que não havia) mas sim o comportamento dos convidados: a comissão estadual de arbitragem avisou que não poderia passar ao lado de atitudes destas provenientes de elementos convidados pelas equipas. Só pessoas convidadas assistiram ao vivo a este jogo.

A Associação Atlética Oeirense foi fundada apenas em 2019. Este é o primeiro troféu do seu currículo. No próximo ano vai estar na primeira divisão do campeonato estadual de Piauí, tal como o derrotado Corisabbá.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.