Cientistas descobrem “oceano oculto” repleto de peixes desconhecidos

Investigadores norte-americanos encontraram uma nova zona, a “rarifótica”, situada entre os 130 e os 300 metros de profundidade, e propuseram uma nova divisão das zonas de luz nos oceanos.

Cientistas do Instituto de Investigação norte-americano Smithsonian acabam de definir a recém-baptizada zona rarifótica, uma nova zona de luminosidade reduzida nos oceanos, compreendida entre os 130 e os 300 metros de profundidade.

Esta nova zona fica abaixo da zona mesofótica, compreendida entre os 40 e os 150 metros de profundidade, na qual a luz média penetra – as águas ideais para os recifes de corais tropicais.

A zona rarifótica está repleta de peixes previamente desconhecidos, que constituem todo um ecossistema recém descoberto. Aliás, a nova zona foi identificada a partir da fauna encontrada durante 80 mergulhos realizados com um submersível num recife de coral em Curaçao.

Segundo o ScienceAlert, esta investigação foi realizada com o objetivo de estudar o declínio da saúde do ecossistema associado ao aquecimento da água.

A existência de peixes, até agora desconhecidos, na zona rarifótica levou à hipótese de que a zona possa ser um refúgio para peixes de recife mais rasos, que fogem do aquecimento das águas e da deterioração dos corais, causadas pelas mudanças climáticas.

Segundo o Smithsonian Tropical Research Institute (STRI), durante os mergulhos, os cientistas registaram cerca de 4 500 peixes rarifóticos, de 71 espécies diferentes. Além disso, descobriram que um em cada cinco exemplares encontrados são novas espécies, levando os cientistas a acreditar na existência de uma nova zona de vida oceânica.

“Até agora, meu favorito é o Haptoclinus dropi“, comenta Ross Robertson, biólogo marinho do STRI e co-autor do estudo publicado este mês na Scientific Reports.

Além disso, muitas das novas espécies encontradas são mais próximas das espécies encontradas nas zonas bem iluminadas dos recifes de coral do que de espécies próprias de águas mais profundas, com menos luz.

Os autores do estudo desafiam a crença anterior de que, após a zona mesofótica, os ecossistemas se transferem imediatamente para os do mar profundo, e propõem uma nova divisão das zonas de luminosidade no oceano.

Assim, o oceano contempla uma zona altifótica de luz abundante, entre os zero e os 40 metros de profundidade; uma zona mesofótica de média luminosidade, entre os 40 e os 150 metros de profundidade, a nova zona rarifótica, entre os 130 e os 300 metros e a zona afótica, totalmente sem luz, abaixo dos 300 metros de profundidade.

“Estima-se que 95% do espaço habitável do nosso planeta esteja no oceano, mas apenas uma fração desse espaço foi explorada”, explicou a investigadora e principal autora do estudo, Carole Baldwin, do Smithsonian National Museum of Natural History.

Baldwin refere ainda que os recifes situados abaixo da zona mesofótica estão muito pouco estudados e que o novo estudo contraria a teoria convencional de que dos ecossistemas mesofóticos se passa diretamente para o oceano profundo.

“O que o nosso estudo revela é a existência uma zona biológica de transição, até agora não reconhecida, que inclui espécies de recife e de zonas profundas, a zona rarifótica”, conclui Carole Baldwin.

PARTILHAR

RESPONDER

Elon Musk doou 1.000 ventiladores a hospitais (mas eram do tipo errado)

Nos últimos dias, Elon Musk, CEO da Tesla, recebeu muitos elogios por ter doado mil ventiladores a hospitais da Califórnia, que enfrentam um número esmagador de casos de coronavírus. Porém, os ventiladores não eram do …

Coronavírus pode replicar-se na boca e nariz durante uma semana antes de infetar pulmões

O coronavírus pode permanecer e replicar-se na boca e no nariz durante uma semana antes de infetar aos pulmões, à traqueia e aos brônquios, revela um estudo, que mostra igualmente que é expulso do organismo …

PSP vai utilizar câmaras portáteis em drones no estado de emergência

A PSP vai utilizar 20 câmaras portáteis de videovigilância, 18 das quais vão ser instaladas em ‘drones’, durante o estado de emergência devido à pandemia de covid-19, anunciou esta quinta-feira o Ministério da Administração Interna …

Em Nova Iorque, prisioneiros são usados para cavar valas comuns

Nova Iorque está a oferecer seis dólares por hora e material de proteção individual aos prisioneiros de Rikers Island que aceitem ajudar a cavar valas comuns. Projeções da Fundação Gates apontam que, em Nova Iorque, o …

EUA estará a pagar para desviar carregamentos de máscaras adquiridas por França

As autoridades francesas estão a acusar os Estados Unidos de terem pago para desviar um carregamento de máscaras faciais oriundo da China. Este episódio é apenas mais um na saga sobre a escassez de máscaras de …

Cerca de 1200 reclusos podem vir a ser libertados

Cerca de 1200 reclusos podem vir a ser libertados antecipadamente para prevenir a propagação da pandemia de covid-19 no meio prisional, revelou esta quinta-feira a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, em declarações à RTP3. A …

OMS e EUA ponderam alargar recomendação para uso de máscaras

A Organização Mundial de Saúde (OMS) vai reavaliar as suas recomendações sobre o uso de máscaras para prevenir a contaminação com covid-19, disse esta quinta-feira o presidente do grupo de especialistas que vai discutir o …

Covid-19. Mais de 95% das vítimas mortais na Europa tinham mais de 60 anos

O diretor regional para a Europa da Organização Mundial de Saúde (OMS), Hans Kluge, revelou esta quinta-fera que mais de 95% das vítimas mortais da covid-19 na Europa têm mais de 60 anos de idade. Em …

Curva portuguesa mostra abrandamento de novos casos (mas é preciso "cautela")

Portugal tem assistido desde o dia 25 de março a um abrandamento do aumento percentual diário de novos casos de covid-19, segundo dados divulgados pelo Barómetro Covid-19 da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP). Segundo Carla …

"Ganhámos a primeira batalha". Presidente renova estado de emergência

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou oficialmente a renovação do estado de emergência nesta quinta-feira por mais quinze dias, prolongando-se este estado de exceção até 17 de abril. Numa mensagem ao país a …