Obras derretidas e jóias desbaratadas por ignorância ou necessidade

epSos.de / Flickr

-

Noventa por cento dos portugueses é incapaz de avaliar jóias, que em momentos de crise são vendidas ao desbarato, frequentemente a quem também desconhece o valor de ouro ou pedras preciosas, alerta o presidente do Instituto Gemológico Português.

A ignorância, explicou José Baptista à Agência Lusa, começa nos donos de jóias e segue depois para avaliadores, que, “não fazendo por mal” mas porque “entraram no negócio sem um mínimo de conhecimentos e de competência”, enganam os clientes e se enganam a eles.

“Com o aumento do preço do ouro tomei consciência de que elevada percentagem de peças, algumas património nacional, foram derretidas”. Porque a maior parte das pessoas que compra “está ali para aproveitar o ouro e pagar ao preço de o derreter, de sucata”, justifica o responsável.

O Instituto promove no sábado em Lisboa uma sessão gratuita de avaliação de joias chamada “Quanto vale o anel da sua avó?” e organiza na sede cursos de formação na área da ourivesaria.

Destas sessões muitas pessoas saem “de boca aberta“, umas por pensar que tinham uma fortuna e não têm nada e outras a pensar que tinham “uma ninharia” e têm afinal peças de “50 mil euros”.

Mas o ideal, diz José Baptista, seria acabar com casos de peças valendo “quatro ou cinco mil euros” que são vendidas a “300 ou 400”.

É que, diz José Baptista, se quem analisa uma jóia e desconhece estar perante um rubi, a sua proveniência ou época, pode “honestamente” subavaliá-la.

“Eu sei porque conheço alguns (ourives) e não é por mal. Mas dói-me muito saber do património que se perde, algum que devia estar nos museus”, diz o responsável, que aconselha a quem quer vender que procure “gente competente”, “porque a há”, e escute várias opiniões.

Mas também há os “indivíduos que se metem no negócio por ganância“, os “mercados paralelos”, a venda porta a porta, os burlões, as técnicas apuradas de falsificação, que tudo conjugado com a crise descamba em “situações dramáticas”.

E a ignorância acima de tudo. José Baptista fez a experiência colocando em avaliação uma pulseira de 1930 de ouro e platina, com rubis e diamantes. Estava avaliada em quatro mil euros e ofereceram no máximo 300.

E burlas ao contrário também as há. Ou tentativas. “Há quem compre e depois volte cá mas já com uma jóia falsa”, diz o José Baptista que também é professor avaliador da Casa da Moeda e ourives.

Portugal não tem pedras preciosas ,mas tem grandes profissionais, lapidadores por exemplo que estão “desempregados ou noutros países”. E tem ourivesarias sem jóias bonitas e de qualidade. E tem uma indústria falida quando “não há outra que possa dar tanto dinheiro”. E tem uma crise que leva as pessoas a desfazerem-se de jóias a preços irrisórios, compradas por outras pessoas que são capazes de “derreter” por ignorância património nacional, diz.

Mas tem lupas, tem polariscópios e microscópios, tem aparelhos de fluorescência e refratómetros. E não tem por isso motivos para que alguém desconheça ainda quanto vale o brinco da mãe, a pulseira do pai, o broche da tia ou o anel da avó.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …

Astrónomos resolvem mistério cósmico com 900 anos

Um mistério cósmico com 900 anos, em torno das origens de uma famosa supernova observada pela primeira vez na China no ano 1181, foi finalmente resolvido. Uma nova investigação, publicada dia 15 de setembro no The …

Bons hábitos alimentares podem reduzir a probabilidade de contrair covid-19

Um novo estudo indica que as pessoas que comem muitas frutas e vegetais podem ter menos probabilidades de contrair covid-19. Num pesquisa que envolveu 590 mil adultos, os investigadores descobriram que as pessoas que eram adeptas …

Inteligência Artificial está a "alimentar" a violação dos direitos humanos, alerta ONU

Num novo relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os países que o uso imprudente de Inteligência Artificial (IA) pode estar a pôr em causa o respeito pelos direitos humanos. Michelle Bachelet, Alta Comissária das …

Foi viajar e não voltou. O misterioso desaparecimento de Gabby Petito (e do namorado)

Gabrielle Petito, uma jovem norte-americana de 22 anos, desapareceu misteriosamente. Gabby foi viajar com o namorado, que voltou para casa sozinho e não quis contar o que aconteceu — e agora também está desaparecido. Gabby Petito, …

Aos 101 anos, Ginny é a "Senhora Lagosta" e não planeia reformar-se

Virginia Oliver continua a trabalhar na pesca da lagosta, apesar de já ter 101 anos de idade. 'Ginny' não planeia reformar-se e já se tornou um meme na internet. Virginia 'Ginny' Oliver tem 101 anos e …