O tablet e o smartphone são “os novos babysitters”

Thanasis Zovoilis / Flickr

-

A maioria dos pais não tem noção do nível do conhecimento das crianças no que toca às tecnologias.

A conclusão consta de um estudo, coordenado pela Joint Research Centre e realizado entre julho e agosto de 2015 em Portugal e em vários países da Europa.

Patrícia Dias, professora auxiliar convidada da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, e Rita Brito, licenciada em Educação de Infância, são as caras por trás do trabalho, que tinha como objetivo estudar a relação entre as crianças e as tecnologias digitais.

O “tablet” é o “brinquedo” mais utilizado. A percentagem de crianças que possui um “tablet” sobe radicalmente, de acordo com Rita Brito, a partir dos seis anos.

Assim se justifica que este seja o instrumento mais utilizado pelas crianças entrevistadas para o estudo.

E é nele que os mais novos passam horas, de acordo com o relatório, muitas vezes sem supervisão dos pais.

“Uma nova babysitter” foi o termo utilizado pelas investigadoras quando se referiam ao uso do aparelho tecnológico.

A “velhinha” televisão deu lugar ao tablet e este é usado para entreter crianças quando os pais não têm tempo: no restaurante quando esperam pela comida, quando têm algum assunto para tratar, em casa quando preparam as coisas para o dia seguinte, o “tablet” assume o papel de “babysitter”.

O estudo concluiu também que os pais estão pouco esclarecidos no que toca a mecanismos de defesa da criança contra possíveis riscos da exposição às tecnologias.

As investigadoras concluíram que os pais desconhecem medidas de controlo como a criação de uma conta própria para as crianças, para evitar que estas tenham acesso a vídeos sugeridos do Youtube.

As autoras do trabalho deixaram algumas recomendações.

Para a indústria, a criação de mais conteúdos didáticos nas línguas nativas do país em causa.

Para as escolas, a integração das tecnologias e mais formação para os professores. Para os decisores políticos, uma maior promoção do acesso às tecnologias nas escolas.

Para os pais e educadores, uma maior articulação entre ambos e uma utilização das tecnologias mais pensada.

Algumas das crianças entre os seis e os sete anos ainda não sabiam bem ler e escrever e, no estudo, foi revelado que a maioria utilizava técnicas alternativas, como por exemplo a memorização visual dos caracteres.

JPN

PARTILHAR

RESPONDER

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …

NASA cria dispositivo que o avisa para não tocar no rosto (e pode ser reproduzido em casa)

A pensar na pandemia, a NASA desenvolveu o PULSE, um colar vibratório que nos alerta se formos tocar no rosto com as nossas mãos. A pandemia de covid-19 alastrou pelo mundo e, enquanto não chega um …

Há mais 11 mortes e 374 novos casos de infecção (300 são na Grande Lisboa)

Portugal regista hoje mais 11 mortos devido à doença covid-19 do que na quinta-feira e mais 374 infectados, dos quais 300 na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim da Direcção-Geral da …