O polémico Homo naledi trepava às árvores, caminhava e usava ferramentas

John Hawks / Wikimedia

O polegar largo do fóssil da mão do Homo naledi indicia que esta espécie trepava às árvores

O Homo naledi, uma antiga espécie do género humano, ao qual pertence o Homem atual, era capaz de trepar às árvores, caminhar e usar ferramentas, uma combinação única, segundo os cientistas, revelam estudos publicados hoje na revista Nature Communications.

A descoberta da antiga espécie do género Homo, que ainda não foi datada, foi anunciada, há cerca de um mês, na África do Sul, por uma equipa de investigadores internacionais.

Os fósseis foram encontrados numa gruta, de acesso difícil, perto de Joanesburgo, no local arqueológico conhecido como “Berço da Humanidade” e inscrito na lista do património mundial da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Em 2013 e 2014, cientistas exumaram mais de 1.550 ossos pertencentes a pelo menos 15 hominídeos.

Agora, graças ao estudo de cerca de 150 ossos de mãos, incluindo de uma mão direita de adulto quase completa, a equipa da antropóloga Tracy Kivell, da Universidade de Kent, no Reino Unido, concluiu que o Homo naledi tinha um polegar largo e robusto e um pulso semelhantes aos dos humanos modernos, que sugerem a posse da capacidade de uso de ferramentas em pedra.

Contudo, os ossos dos dedos são maiores e mais curvados, deixando antever que a nova espécie de hominídeo se socorria deles para trepar às árvores, onde passava parte do seu tempo.

“Uma combinação única que nunca foi encontrada noutro esqueleto humano”, assinalou Tracy Kivell, citada pela agência AFP.

Além disso, ressalvam os cientistas, o Homo naledi, apesar de saber usar ferramentas, tinha um cérebro pequeno.

Dados que, para Tracy Kivell, são interessantes “para estudar os processos mentais necessários ao fabrico e à utilização de ferramentas”.

Quanto aos pés, os do Homo naledi são muito próximos do Homem atual, o que demonstra que a nova espécie possuía todas as características necessárias à posição de pé e à marcha.

O antropólogo William Harcourt-Smith, do Lehman College, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, e outros investigadores estudaram 107 ossos de pés, nomeadamente os de um pé direito bem conservado de um adulto.

“O pé do Homo naledi é muito mais evoluído do que as outras partes do seu corpo, os seus ombros, o seu crânio e a sua bacia”, indicou William Harcourd-Smith.

(dr) National Geographic

Eis o novo Homo naledi, um dos mais antigos ancestrais conhecidos do Homem

Eis o novo Homo naledi, um dos mais antigos ancestrais conhecidos do Homem

As particularidades dos pés desta espécie do género humano, bem como os seus longos dedos e os ombros próximos do macaco, revelam que o Homo naledi era, sem dúvida, de acordo com os cientistas, bípede mas também um bom trepador.

“Esta espécie vai mudar a nossa maneira de pensar a evolução humana”, sustentou William Harcourt-Smith.

A descoberta poderá, para os especialistas, fornecer mais informação sobre a transição, há cerca de dois milhões de anos, do australopiteco primitivo para o primata do género humano, o antepassado direto do Homem atual.

Polémica

O estudo destas ossadas já causou polémica, devido ao facto de haver quem ponha em causa a própria teoria da evolução, até hoje objecto de consenso científico.

“A descoberta do Homo Naledi parece calculada para dar razão aos defensores do apartheid, que afirmam que nós, negros africanos, descendemos do reino dos animais. Até nos negaram o estatuto de ser humano para justificar a escravatura, o colonialismo e a opressão”, sublinhou em setembro Mathole Motshekga, deputado e antigo líder do grupo parlamentar do Congresso Nacional Africano (ANC, no poder), a uma televisão local.

Para Motshekga, essa nova teoria sustenta a ideia de que os africanos têm origem em “sub-homens”, razão pela qual os habitantes do continente negro não são respeitados no mundo.

A polémica em torno da questão foi já alimentada até pelo próprio Conselho Nacional das Igrejas, organização historicamente implicada na luta contra o apartheid e que agrupa anglicanos e metodistas sul-africanos.

“É um insulto dizer que descendemos de babuínos. Muitos ocidentais pensam que os negros são babuínos”, reagiu o bispo Ziphozihle Siwa, dirigente do Conselho.

“Ninguém vai desenterrar os velhos mitos dos macacos para apoiar a teoria de que sou descendente de babuínos”, indignou-se Zwelinzima Vavi, secretária-geral da poderosa confederação sindical sul-africana COSATU, aliado fiel do ANC.

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

    • Existem milhares de métodos/tratamentos/curas que estão das mais variadas formas relacionados com o FACTO de sabermos que somos animais, e que temos ancestrais em comum com TODOS os outros animais que existem ou existiram no passado… A evolução não é uma opinião, é uma certeza…

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …

Turismo, indústria e energia fazem do Norte região que mais cresceu em 2018

O Norte foi a região portuguesa que mais cresceu em 2018, com um aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,9%, impulsionado pelo turismo, indústria e energia, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística …