Homo Naledi levanta polémica sobre origem dos africanos

(dr) Mark Thiessen / National Geographic

Reconstituição da face do Homo naled a partir do crânio (detalhe)

Reconstituição da face do Homo naled a partir do crânio (detalhe)

A recente descoberta de uma nova espécie humana na África do Sul tem suscitado uma acesa polémica em torno da teoria de um “sub-homem”, alimentando o racismo num país ainda com resquícios do “apartheid”.

“Ninguém vai desenterrar os velhos mitos dos macacos para apoiar a teoria de que sou descendente de babuínos”, indignou-se Zwelinzima Vavi, secretária-geral da poderosa confederação sindical sul-africana COSATU, aliado fiel do Congresso Nacional Africano (ANC, no poder).

Fui tratada como um babuíno toda a minha vida, tal como os meus pais e avós. Não sou filha de um orangotango, de um macaco ou de um babuíno. Ponto final”, escreveu Vavi na sua conta no Twitter, seguida por mais de 300 mil pessoas, e citada hoje pela agência France Presse.

Apesar de o regime de segregação racial ter sido abolido oficialmente em 1994, a questão do racismo e as suas consequências sócio-económicas têm estado no centro de polémicas na sociedade sul-africana.

Mesmo depois dos progressos registados após mais de duas décadas, persistem as desigualdades entre a maioria negra, que conta com 28% de taxa de desemprego, e a minoria branca, com 10% da população sem emprego.

A reacção de Vavi surge após a descoberta de restos mortais de uma espécie do género humano, a que os cientistas chamaram Homo Naledi.

Na origem da descoberta esteve o mediático paleontólogo Lee Berger, investigador norte-americano ligado à universidade sul-africana de Witwatersrand, em Joanesburgo, tem tentado pôr água na fervura em relação à polémica, defendendo que o Homem não descende do babuíno.

Segundo a equipa de investigadores envolvida, o corpo do Homo Naledi evoca o homem moderno, enquanto o respectivo crânio, do tamanho de uma laranja, se aproxima mais de um australopitecos, grupo pré-humano.

(dr) National Geographic

Eis o novo Homo naled, um dos mais antigos ancestrais conhecidos do Homem

Eis o novo Homo naledi, um dos mais antigos ancestrais conhecidos do Homem

Cerca de 1.550 fósseis foram exumados da “Rising Star”, uma gruta próxima do local conhecido por “Berço da Humanidade”, cerca de 50 quilómetros a noroeste de Joanesburgo, que há décadas constitui uma mina para os paleontólogos.

As ossadas ainda não foram datadas, mas poderão, dizem os investigadores, permitir saber algo mais sobre a transição acontecida há cerca de dois milhões de anos entre o australopitecos primitivo e o primata do género “homo”, ancestral directo do Homem.

No centro da polémica, está em causa o facto de alguns estarem a pôr em causa a própria teoria da evolução, até hoje objecto de consenso científico.

Para Mathole Motshekga, deputado e antigo líder do grupo parlamentar do ANC, essa nova teoria sustenta a ideia de que os africanos têm origem em “sub-homens”, razão pela qual os habitantes do continente negro não são respeitados no mundo.

A descoberta do Homo Naledi parece calculada para dar razão aos defensores do apartheid, que afirmam que nós, negros africanos, descendemos do reino dos animais. Até nos negaram o estatuto de ser humano para justificar a escravatura, o colonialismo e a opressão”, sublinhou Motshekga a uma televisão local.

A polémica em torno da questão foi já alimentada até pelo próprio Conselho Nacional das Igrejas, organização historicamente implicada na luta contra o apartheid e que agrupa anglicanos e metodistas sul-africanos.

É um insulto dizer que descendemos de babuínos. Muitos ocidentais pensam que os negros são babuínos”, reagiu o bispo Ziphozihle Siwa, dirigente do Conselho.

/Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Custa-me ver que existe ali um complexo de inferioridade derivado do passado terrível que tiveram… E muita confusão que vai por ali também…
    Então, são só os negros a descenderem dos supostos macacos? E as outras “raças” de humanos?! Vieram de onde? Ai,ai…
    O que ninguém consegue explicar é de onde vem a nossa Consciência, o que nos difere dos demais animais. A própria evolução não sabe explicar isso.
    Humanos, sejam eles brancos, negros, amarelos ou vermelhos, a sua origem é galáctica. Antes de termos sido um “corpo”, já nós éramos espírito. O humano terrestre foi uma modificação feita com os genes dos primatas nativos e os “deuses” que vieram do céu (leia-se Espaço). E não é um só povo a contar esta história, são MUITOS POVOS que têm esta história em comum.
    Vejam mais além do que a cor da pele. Somos muito MAIS que isso.

    Procurem instruir-se, nunca deixem de se questionar.

  2. Parece que a África do Sul se transformou no reino da tolice! Então se o tal homem de Naledi descende de um babuíno e os negros descendem dele, por maioria de razão todos nós descendemos do babuíno pois o himo sapiens vem de áfrica. Isto é mesmo “silly”!

  3. Tipico do negro que vive eternamente como ser inferior, e realmente gente que pensa e vive assim só pode ser inferior, não há nada a fazer.

  4. Prova provada que existe gente estúpida através de toda a espécie humana, desde os burgessos evengélicos louros e de olhos azuis que acreditam que a Terra tem 6.000 anos, até aos burgessos negros e de olhos castanhos que acreditam que o homo sapiens descende dos babuínos.

  5. O homem não pode descender de babuíno, porque são contemporâneos. Não se deve dar ouvido a gente que só reage de forma emocional e furiosa. O homem não tem origem africana. É híbrido dos heloim com primatas africanos. O homem não evoluiu naturalmente. É impossível pele tão frágil evoluir em planeta tão ensolarado.
    os deuses eram brancos e louros. Os humanos, criados a sua imagem e semelhança, híbridos, brancos de cabelo negro, por isso chamados de cabeça-preta. Se fossem negros não seriam chamados assim. Os negros são uma evolução a local mais ensolarado. Mais melanina. Só isso. Todo o demais racismo é fantasia.

RESPONDER

Ex-ministro francês François Bayrou acusado de cumplicidade na apropriação de fundos

O ex-ministro francês François Bayrou, dirigente centrista e próximo de Emmanuel Mácron, foi acusado na sexta-feira por "cumplicidade na apropriação indevida de fundos públicos" no caso dos assistentes parlamentares do seu partido. A acusação, "anunciada antecipadamente …

"Profundamente envergonhada", Merkel visitou Auschwitz pela primeira vez

A chanceler alemã, Angela Merkel, visitou esta sexta-feira pela primeira vez o campo de concentração e extermínio de Auschwitz-Birkenau num "sinal de reconciliação com os judeus e o estado de Israel", considera o historiador René …

Capital do Natal de Algés avança com queixa-crime contra promotores

A organização da Capital do Natal, evento que decorre em Algés, Oeiras, vai apresentar uma queixa-crime contra os promotores turísticos que "adulteraram a oferta do parque", o que defraudou "um conjunto alargado de pessoas". Em causa …

Menino de 5 anos convidou todos os colegas do infantário para assistir à sua adoção

Um menino de cinco anos de Michigan, nos Estados Unidos, convidou a sua turma do infantário para testemunhar à sua adoção legal. A criança, identificada como Michael, foi adotada formalmente pela sua nova família na passada …

TDT vai mudar de frequência (outra vez)

A frequência da Televisão Digital Terrestre (TDT) está a ser alterada de forma faseada, o que significa que os portugueses que usem este serviço gratuito de televisão têm de sintonizar novamente os seus recetores e/ou …

Ruas de Águeda entre as "mais bonitas do mundo" para a CNN

As ruas do centro de Águeda, no distrito de Aveiro, decoradas com guarda-chuvas estão entre as 21 mais bonitas de mundo para a emissora norte-americana CNN. A distinção é avançada pelo jornal Público, que dá …

Hospitais vão poder pagar mais a médicos para garantir urgências no Natal

Os hospitais vão poder contratar médicos prestadores de serviço, vulgo tarefeiros, por valores superiores aos de referência durante o Natal e o Ano Novo. De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Médicos, Noel Carrilho, …

Jovem que abandonou bebé no lixo esteve 13 anos institucionalizada em Cabo Verde

A jovem que abandonou o filho recém-nascido no lixo, em Lisboa, esteve institucionalizada durante 13 anos em Cabo Verde. A sua mãe está agora a lutar pela guarda da criança. Numa entrevista ao programa Sexta às …

Último debate. Boris defendeu o Brexit e Corbyn falou da Saúde (pelo menos 15 vezes cada um)

No debate televisivo, transmitido pela BBC, o último antes das eleições da próxima quinta-feira, Boris Johnson defendeu que é o melhor preparado para concretizar o Brexit e terminar com o impasse no processo, prometendo ainda …

No São José, há um doente numa cama 9 meses depois de ter alta. Não tem para onde ir

O Centro Hospitalar Lisboa Central tem diariamente uma média de 70 camas ocupadas com doentes que já deviam ter saído do hospital e há atualmente um caso que espera há nove meses por uma solução. Em …