Novo método permite eliminar a bioincrustação marinha eficazmente

Um projeto inovador demonstrou como os revestimentos de superfície eletricamente carregados podem eliminar a bioincrustação marinha ou o crescimento de organismos marinhos, melhorando a operação e manutenção de embarcações navais.

A bioincrustação marinha é um fenómeno que causa graves problemas e enormes prejuízos às indústrias do setor marítimo em todo o mundo pelo que, desde tempos ancestrais, têm sido utilizadas tintas anti-incrustantes para combater este processo.

No entanto, estas apresentam uma elevada toxicidade para o ambiente marinho pelo que o seu uso, na maioria dos casos, foi expressamente proibido.

Agora, uma pesquisa tem como objetivo desenvolver aplicações práticas que possam acabar com o flagelo da bioincrustação marinha de uma forma mais ecológica.

Mats Andersson, professor do Flinders Institute for Nanoscale Science & Technology, referiu que as últimas inspeções das amostras mostraram que a pesquisa estava a ter um desempenho excecionalmente bom.

De acordo com o investigador, os testes mostram que “a incrustação pode ser reduzida significativamente e, em alguns casos, completamente eliminada nas superfícies que são revestidas com uma tinta condutora e sujeitas a stresse eletroquímico”.

“Estamos surpreendidos por funcionar tão bem. Pelo que sabemos, não há muita pesquisa a ser feita e embora a nossa experiência seja específica para o Rio do Porto, em Adelaide, pode ser aplicada a qualquer superfície que esteja submersa no oceano”, realça.

As mais recentes experiências anti-incrustantes testaram uma variedade de materiais, revestimentos e ciclos elétricos, comparando-os com amostras sem tensão elétrica.

A ASC, que mantém e atualiza a frota de submarinos da Classe Collins da Austrália, está a apoiar a pesquisa inovadora ao fornecer consultoria, laboratório e instalações para submergir as amostras.

O principal engenheiro de desenvolvimento de materiais da ASC, Mikael Johansson, disse que a bioincrustação marinha tem causado obstruções em áreas-chave do casco dos navios que eram demoradas e caras para limpar.

Isto porque os “navios de guerra e os submarinos usam água do mar nos sistemas de resfriamento de propulsão e sistemas de armas – até mesmo no ar-condicionado. Garantir que as válvulas de entrada, que permitem a entrada da água, não fiquem obstruídas com vida marinha, é uma prioridade”, referiu Johansson .

“Esta pesquisa pode levar à proteção de várias partes dos cascos de submarinos da Classe Collins, levando a menos interrupções nas operações navais e menos manutenção”, acrescentou ainda.

Segundo o Phys, estima-se que a eliminação da bioincrustação marinha custe milhões para as companhias de navegação e marinhas em todo o mundo a cada ano.

Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Autárquicas: António Costa promete que os municípios terão mais mil milhões de euros

O secretário-geral do PS, António Costa, indicou hoje, em Celorico de Basto, no distrito de Braga, que os municípios “vão passar a ter, a partir de abril, mais mil milhões de euros que acompanham a …

Mais de trinta anos após ter sido lançada ao mar no Japão, mensagem em garrafa é encontrada no Hawaii

Durante uma viagem ao Hawaii, uma jovem de apenas 9 anos encontrou uma garrafa que foi lançada ao mar há mais de trinta anos. Esta continha uma mensagem que, posteriormente, acabou por revelar uma experiência …

Mais 939 infeções, sete mortes e nova redução nos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 939 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, sete mortes atribuídas à covid-19 e nova redução nos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos. De acordo com o boletim epidemiológico da …

Milionário norte-americano Robert Durst condenado por matar melhor amiga

O milionário norte-americano Robert Durst, tornado famoso por um documentário do canal HBO, foi condenado na sexta-feira num tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos, por matar a melhor amiga, um crime que remonta a …

Em Inglaterra, há crianças de 16 anos que vão passar a viver em alojamentos não regulamentados

A 9 de setembro, foi aprovada uma nova lei em Inglaterra, segundo a qual as crianças com 16 e 17 anos podem ser colocadas em alojamentos não regulamentados. O sistema de acolhimento de crianças inglês está …

Suspeitos numa mota sem matrícula dispararam na direcção de candidata do CDS

A candidata do CDS à Junta de Freguesia de Palmela, em Setúbal, foi surpreendida, na noite de sexta-feira, por disparos de caçadeira, protagonizados por "duas pessoas sem capacete", numa mota sem luzes, nem matrícula. O incidente …

Jerónimo diz que conquista de Guimarães só é possível "milho a milho"

O secretário-geral do PCP defendeu, esta sexta-feira, que a presença da CDU na autarquia de Guimarães só pode ser reconquistada “milho a milho”, na noite em que a dirigente do PEV Heloísa Apolónia integrou a …

Parlamento aprovou Constitucional em Coimbra (mas PS ainda pode chumbar a saída de Lisboa)

O Parlamento aprovou, na generalidade, a proposta do PSD para transferir o Tribunal Constitucional (TC) e o Supremo Tribunal Administrativo (STA) de Lisboa para Coimbra. Mas a mudança só poderá ser concretizada depois da votação …

Concluídas obras de segurança e consolidação da catedral de Notre-Dame em Paris

A fase de segurança e consolidação da catedral de Notre-Dame, em Paris, quase destruída num incêndio há mais de dois anos, terminou, dando lugar à etapa de restauro, anunciaram este sábado as autoridades. Em 15 de …

Certificados de vacinação emitidos por países terceiros reconhecidos para viagens aéreas

Os certificados de vacinação e de recuperação emitidos por países terceiros passam a ser reconhecidos para viagens aéreas, deixando de ser exigido teste negativo e quarentena quando esta seja aplicável em função da respetiva origem, …