Novo material arrefece estruturas sem gastar água ou eletricidade

Novo material consegue arrefecer estruturas sem gastar água ou eletricidade

Cientistas de duas universidades norte-americanas criaram um novo material capaz de ser usado como uma película para arrefecer objetos, mesmo que estejam ao sol, sem gastar energia ou água.

O metamaterial, que não existe naturalmente, divulgado na revista especializada Science desta semana, é capaz de arrefecer o objeto sobre o qual é colocado, agindo como uma espécie de ar condicionado, e pode ser usado como meio de arrefecimento para centrais termoelétricas sem tanto gasto de eletricidade.

A nova invenção funciona refletindo a energia solar que incide sobre si de volta para o espaço e, simultaneamente, permite à estrutura na qual está colocado libertar calor através de radiação infravermelha.

A película inventada pelos cientistas de universidades do Colorado e do Wyoming é ligeiramente mais espessa que a folha de alumínio habitualmente usada na cozinha e pode ser fabricada em grande escala para utilização doméstica ou comercial.

“Apenas 10 ou 20 metros quadrados deste material a revestir um telhado poderiam perfeitamente arrefecer uma residência familiar no verão”, afirmou Gang Tan, professor associado do Departamento de Engenharia Civil e Arquitetónica da Universidade do Wyoming.

Esta invenção pode ainda ser usada para aumentar a eficácia e longevidade dos painéis solares, que podem sobreaquecer ao ponto de perderem a capacidade de transformar os raios solares em eletricidade.

“Aplicando este material à superfície de um painel solar, conseguimos arrefecê-lo e recuperar um ou dois por cento da sua eficácia”, afirmou o professor Xiaobo Yin, da Universidade de Boulder, no Colorado.

Os investigadores pediram o registo da patente desta nova tecnologia e tencionam ensaiar o material num protótipo com 200 metros quadrados de área já este ano.

“A principal vantagem é que funciona ininterruptamente sem precisar de água ou eletricidade”, destacou Ronggui Yang, da Universidade de Boulder, indicando que pode ser usado ainda nos setores da produção de energia, aeroespacial e agricultura.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Agora resta arranjar maneira de transformar o frio de inverno em calor para aquecimento de habitações e não só, se ninguém avançar estou a ver que terei de ser eu.

  2. Pela foto até diria que a universidade em questão seria na China ou na Coreia. Mais uma prova que o sr. Trump está um pouco fora de contexto na sua tentativa de evitar estrangeiros.

  3. Falta saber é de que eé feito a película, que não existe naturalmente, provavelmente terá na sua maioria matéria não reciclável. Voltamos à estaca zero, porque criar uma coisa útil, que depois só prejudica o ambiente não serve de muito.

RESPONDER

Há uma forma de reduzir erros na computação quântica (e já sabemos qual é)

Na computação quântica, assim como no trabalho em equipa, um pouco de diversidade pode ajudar a melhorar o resultado. Esta pode mesmo ser a chave para pôr fim aos erros na computação quântica. Ao contrário dos …

Coimbrões 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto venceu hoje o Coimbrões, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal que os «dragões» resolveram com três golos nos 12 minutos iniciais. Aproveitando a inexperiência e nervosismo da formação …

Produção de filmes em Hollywood é um inimigo silencioso do ambiente

Hollywood é casa para a maioria dos grandes filmes produzidos que estreiam nas salas de cinema espalhadas por todo o mundo. Contudo, consegue ser bastante prejudicial para o meio ambiente e, mais do que nunca, …

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …