Nova teoria sobre o Triângulo das Bermudas “desfaz” mistério e avança explicação básica

(dr) colourlush / Deviant Art

O Triângulo das Bermudas: Miami (na Florida), Porto Rico e as Bermudas

Há teorias para todos os gostos, desde fenómenos meteorológicos a raptos extraterrestres, mas o que é certo é que o Triângulo das Bermudas continua a ser um mistério. Agora, um cientista avança com uma nova explicação – que pode desvendar o mistério.

A tese é do cientista australiano Karl Kruszelnicki, que acredita que o desaparecimento misterioso de aviões e navios na extensão de mar no Oceano Atlântico Norte, situada entre a Flórida, as Bermudas e Porto Rico, se deve simplesmente a erros dos operadores daqueles meios de transporte.

“O número de aviões que desaparecem no Triângulo das Bermudas, numa base de percentagem, é o mesmo que em qualquer outro lado do mundo“, explica Karl Kruszelnicki ao news.com.au.

O cientista lembra também que o Triângulo das Bermudas se situa “próximo do equador, perto de uma zona rica do mundo, a América”, o que implica que haja “muito tráfego” – o que aumenta a probabilidade de ocorrência de acidentes.

Pelo menos 20 aviões e 50 navios desapareceram na região, nos últimos 100 anos, vitimando mais de 1000 pessoas. “Em média, cinco aviões continuam a desaparecer na região todos os anos”, constata ainda a publicação.

A má reputação da região terá tido início em outubro de 1492, quando Cristóvão Colombo notou que a sua bússola não estava a funcionar corretamente. O primeiro documento sobre os desaparecimentos no local foi divulgado em 1950, por E.V.W.Jones, jornalista da Associated Press, que deu a esta área o nome de “Triângulo do Diabo”.

Um dos casos mais famosos é o voo 19, uma das ocorrências mais documentadas na história do Triângulo das Bermudas, a 5 de dezembro de 1945, quando uma esquadrilha de 5 caças Grumman TBM Avenger da Força Aérea dos EUA desapareceu sem rasto, 90 minutos após ter deixado a Base de Fort Lauderdale, na Florida, numa missão de treino.

Após o desaparecimento, dois hidroaviões PBM Mariner foram enviados ao local do último contacto com as tripulações da esquadrilha desaparecida, mas também desapareceram.

Ao longo dos anos, foram avançadas várias teorias para explicar o mistério. A mais recente teoria foi avançada em 2016 por um grupo de meteorologistas segundo os quais a culpa dos desaparecimentos será da presença de “nuvens hexagonais” que podem originar ventos muito fortes ou “bombas de ar” capazes de destruírem ou afundar navios e aviões.

No passado, entre outras teorias, atribuiu-se o mistério a bolhas de gás metano do fundo do oceano, campos magnéticos, ou a explicações mais metafísicas, como dimensões alternativas, universos paralelos ou a teoria mais popular, raptos por extraterrestres.

Mas até agora,  ninguém conseguiu resolver o mistério do “Triângulo das Bermudas”.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Pelo menos 20 aviões e 50 navios desapareceram na região, nos últimos 100 anos, vitimando mais de 1000 pessoas. “Em média, cinco aviões continuam a desaparecer na região todos os anos”, constata ainda a publicação.
    Se continuam a desaparecer 5 aviões por ano, só em 4 anos desaparecem 20 aviões.
    Como é que só desapareceram 20 aviões em 100 anos?
    Algum matemático me desvenda este mistério?
    Obrigado

    • É o que dá escreverem artigos sem sequer se darem ao trabalho de os ler, para ver se faz sentido. Ou então é um tipo de matemática proveniente de algum universo paralelo, apenas conhecido pelos eruditos do ZAP.

A Evolução mostra que podemos ser a única forma de vida inteligente no Universo

As reduzidas probabilidades que acompanham a nossa evolução ao longo da história podem ser uma pista que talvez sejamos a única forma de vida inteligente no Universo. Será que estamos sozinhos no Universo? Tudo se resume …

A China está a usar a educação como arma para controlar o Tibete

A China quer obrigar crianças tibetanas a abandonarem as escolas da região e mudarem-se para escolas chinesas. O objetivo, segundo uma especialista, é "tirar o tibetano da criança". A batalha geopolítica entre a China e o …

Revelada explosão violenta no coração de um sistema que alberga um buraco negro

Uma equipa de astrónomos, liderada pela Universidade de Southampton, usou câmaras de última geração para criar um filme com alta taxa de quadros de um sistema com um buraco negro em crescimento e a um …

"É altura de dizer basta". Sporting corta com as claques

O Sporting rescindiu “com efeitos imediatos” os protocolos que celebrou em 31 de julho com a Associação Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI – Associação, anunciou hoje o clube, devido à “escalada de …

Poluição atmosférica associada a abortos espontâneos

Elevados níveis de poluição atmosférica foram associados a abortos espontâneos num estudo feito com mulheres grávidas a viver e trabalhar em Beijing, na China. A China é um dos países que mais sofre com a poluição …

Empresas espanholas dominam obras públicas na ferrovia

As empresas espanholas dominam as obras públicas na ferrovia em Portugal, ascendendo a sua quota a 70%, avança o Expresso na sua edição deste sábado. Para presidente da Associação de Empresas de Construção e Obras …

Cada vez mais mulheres denunciam abusos médicos durante o parto

Um número crescente de mulheres tem vindo a denunciar casos de abuso durante o trabalho de parto. No entanto, pouco está a ser feito para mudar isto. Durante o parto, as mulheres ficam numa posição vulnerável …

Já podemos explorar "Melckmeyd", naufrágio holandês do século XVII

Nas profundezas do Oceano Atlântico, perto da costa da Islândia, encontram-se os destroços de um navio holandês que afundou há 360 anos, no qual agora podemos "mergulhar" graças a uma experiência de realidade virtual. Quando a …

Os furacões podem provocar atividade sísmica tal como um terramoto

Uma equipa de cientistas descobriu um novo fenómeno geofísico no qual furacões ou fortes tempestades podem produzir vibrações no fundo do oceano tão fortes quanto um terramoto de magnitude 3.5. "As tempestades, furacões ou ciclones extratropicais …

Quem anda mais devagar pode envelhecer mais rapidamente

A velocidade a que caminham as pessoas aos 45 anos pode ser um indicador de como é que o cérebro e o corpo envelhecem, revela um novo estudo levado a cabo por uma equipa de …