“Ninguém me dá tau-tau”. Porta-voz do Chega explica polémica da subvenção e deixa aviso a Ventura

ALA - Academia de Letras e Artes / Facebook

António Sousa Lara, ex-porta-voz do Chega.

O ex-porta-voz do Chega, Sousa Lara, explica que a direcção do partido o colocou “entre a espada e a parede” por causa da subvenção vitalícia de 1.343 euros a que tem direito. “Ninguém me dá tau-tau”, refere, justificando a demissão e deixando um aviso a André Ventura.

Sousa Lara tem direito a uma subvenção vitalícia de 1.343 euros depois de ter sido deputado na Assembleia da República por vários partidos. E preferiu demitir-se do Chega a prescindir do direito que lhe assiste e que não está, neste momento, a receber, por ser professor catedrático.

“Eu não sou contra a possibilidade de vir a receber. É um direito que decorre de uma lei que está aprovada em Portugal. E acho que já fui penalizado pelo Estado português em questões fiscais e em questões de roubalheira”, diz Sousa Lara em entrevista à Rádio Observador.

Sousa Lara assume que foi “posto entre a espada e a parede” por causa dessa subvenção numa “reunião da comissão política”, com o próprio André Ventura a vincar o facto de “não concordar com a existência de subvenções vitalícias dadas a políticos”.

Ninguém me dá tau-tau. Fui apanhado à meia-noite e tal de surpresa, depois de me terem sido perguntadas outras coisas. Fui posto entre a espada e a parede. Pedirem-me ‘8 ou nulos’, comigo, dá sempre mau resultado”, aponta Sousa Lara na entrevista, justificando assim porque preferiu demitir-se.

Apesar da demissão, Sousa Lara nota que continua a apoiar o Chega e que mantém a expectativa de que o partido cumpra o “papel histórico” de “endireitar a direita”, com os valores da “pátria”, da “família” e da “moral” na agenda.

Já fui candidato pelo CDS, pelo PPM, pelo PSD, pelo Chega. A minha lógica é uma lógica de direita. Eu tenho a visão dos partidos como um instrumento. Para mim são ferramentas ao serviço de qualquer coisa, que é aquilo que eu acho que configura o interesse do país”, considera Sousa Lara.

Quanto à eventual corrida de André Ventura à Presidência da República, o ex-porta-voz do Chega entende que “é uma atitude de risco” e “é um risco excessivo neste momento”, alerta.

Para Sousa Lara, “o Chega devia ter um candidato militar”, o que “é uma coisa que está proibida”. “Nós fomos controlados pelos militares depois do 25 Abril. O Chega tinha aqui a oportunidade de chamar um militar na reserva, reformado”, salienta, notando que já tem um nome na cabeça, mas que não o revela, e frisando que a “ideia” é que seja um nome “provocatório”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. O Homenzinho sabe ser muito selectivo, não concorda em prescindir da subvenção que o seu partido quer abolir, mas quer continuar a apoia-lo !……… Bem ….é uma espécie de contra-senso !…Estes partidecos ainda não acabaram de nos surpreender com estas tribulações internas. A Joacine já se vai sentir menos só !

    • Em….. conclusão: Todas as medidas puras e duras decididas por o Partido para o bem do País, são necessárias. Logo que não venham bater a minha porta !……É a filosofia desta criatura !

      • Pois. Mas vai subir nas votações. Acredito nisto. Cada vez que o poder político fizer asneira este partido subirá. Em grande medida representa muitos dos que acham que a nossa democracia o é apenas de nome.
        Pessoalmente acho que a nossa democracia é uma treta. Não voto CHEGA nem nunca votarei, mas conheço muita gente que diz que da próxima vez irá votar neste partido. E são pessoas que não votam há anos, ou mesmo décadas. E moderadas. Nem tão pouco são racistas ou de direita. É um claro voto de protesto no sistema. E isto está a acontecer um pouco por toda a Europa, ampliado ainda pela imigração.

        • E tem razão em não votar. Exemplos de Países que optaram por Politicas extremistas, como o Brasil por ex:. Vêm-se obrigados depois a Imigrar. Brasileiros imigrados em Portugal votaram a 61% em favor do Bolsonaro, mas regressarem para o Brasil não querem!…vá saber-se porquê ????

          • Para além de o raciocínio não estar correto, também do ponto de vista gramatical a sua exposição merece alguns reparos (numa lógica pedagógica). Não é “vêm-se” mas sim “veem-se”. Depois eles não imigraram mas sim emigraram. Em relação a Portugal são imigrantes mas em relação ao seu país de origem são emigrantes.
            Em relação ao raciocínio também lhe posso dizer que está errado. Conheço muitos brasileiros em Portugal e posso afiançar-lhe que a grande maioria fugiu do crime e da total insegurança que se vive em todo o Brasil e, em especial, nas principais cidades. Por isso é que a maioria dos brasileiros que estão em Portugal votam no Bolsonaro. E não tencionam regressar porque a realidade brasileira atual é de total insegurança e crime generalizado. Quem tem família, filhos e algum dinheiro não irá regressar ao Brasil nos próximos tempos. Ficará pela Europa. Conheço muitos que saíram para outros países europeus.

RESPONDER

Ferro empossa comissão de revisão constitucional por três meses. Iniciativa Liberal retira projeto

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, deu esta quinta-feira posse à comissão de revisão constitucional por três meses (90 dias), desejando “votos de muito bom trabalho”, na sala do Senado do Palácio de …

Serena Williams: "A prioridade é a minha filha, não os Jogos Olímpicos"

Recordista do ténis feminino deixa a entender de que não vai a Tóquio. Naomi Osaka coloca dúvidas à volta do próprio evento. "Sou atleta e, por isso, é claro que o meu pensamento imediato é: quero …

A Cidade do México está a afundar a um ritmo incontrolável

Um novo estudo mostra que a Cidade do México, a metrópole mais populosa da América do Norte, afundou tanto que será impossível salvá-la. Depois de séculos de drenagem dos aquíferos subterrâneos, o leito do lago no …

Micróbios podem já estar a comunicar com espécies alienígenas

Os micróbios podem já estar a comunicar com espécies alienígenas, algo semelhante ao que tentamos fazer através do projeto SETI desde 1959. Estaremos sozinhos no Universo? O famoso programa SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) tem tentado …

Tweet de Elon Musk afunda Bitcoins (e dá força à criptomoeda que nasceu como meme)

A Tesla vai deixar de aceitar Bitcoins como forma de pagamento. A revelação foi feita por Elon Musk numa publicação no Twitter e levou à queda do valor da criptomoeda no mercado. A par disso, …

Investigadores criam nova solução para óculos de realidade virtual e aumentada

Uma equipa de investigadores criou uma nova tecnologia para fornecer óculos de realidade virtual que não parecem "olhos de inseto". Num novo artigo publicado na Science Advances, os especialistas descrevem a impressão de ótica de forma …

Genética da população portuguesa pode explicar deficiência de vitamina D

Investigadores portugueses concluíram que a população portuguesa tem uma prevalência superior à média europeia de algumas alterações genéticas que levam a uma predisposição para o défice de vitamina D. Este estudo, coordenado pelo Centro Cardiovascular da …

Polónia quer comprar casa de campo francesa (para recuperar o legado de Marie Curie)

A Polónia quer comprar e renovar a casa de campo francesa de Marie Curie e transformá-la num museu, naquele que é um esforço para reivindicá-la como génio científico e pioneira polaca. Embora tenha nascido na Polónia, …

Min Nyo é jornalista, cobriu os protestos em Myanmar e foi condenado a 3 anos de prisão

Min Nyo, um jornalista birmanês de 51 anos, foi condenado a três anos de prisão pela sua cobertura dos protestos na sequência do golpe de Estado em Myanmar. Min Nyo, que trabalhava para a DVB (Voz …

McDonald's e Casa Branca unem-se para sensibilizar população a ser vacinada

Numa parceria com a Casa Branca, a cadeia de fast food norte-americana também está a dar o seu contributo para sensibilizar a população para a vacinação contra a covid-19. A ideia é promover informações relevantes sobre …