Neurobiólogo descobre “botão” que ativa instinto predatório em cobaias

(CC0/PD) angelic / pixabay

Os mecanismos cerebrais que controlam comportamento predatório em animais ainda são desconhecidos

Os mecanismos cerebrais que controlam comportamento predatório em animais ainda são desconhecidos

Uma equipa de cientistas do Laboratório de Neurobiologia Universidade Yale, nos EUA, afirma ter desvendado o mecanismo cerebral que ativa o comportamento predatório em animais.

No estudo publicado na revista científica Cell, o cientista Ivan de Araújo diz ter descoberto uma espécie de “botão” que desperta o instinto de caça em camundongos, através do uso de lasers numa região específica do cérebro dos animais – a amígdala central.

Investigações anteriores já tinham mostrado que a amígdala central, área do cérebro envolvida na produção de emoções, é ativada quando os camundongos caçam. A equipa de cientistas quis determinar se a amígdala também controla os comportamentos predatórios, e os resultados sugerem que sim.

Através de uma técnica chamada optogenética, os especialistas infetaram os animais com um vírus que torna os neurónios sensíveis à luz azul e, com o uso de uma fibra ótica, iluminaram a amígdala com um laser azul – o que provocou tensão na mandíbula e nos músculos do pescoço.

“Conhecemos muito pouco sobre o funcionamento do mecanismo de caça, que é um arsenal de programas motores que regulam uma série de atividade, desde a velocidade à aniquilação da presa. E nós desvendamos parte do circuito”, explicou Araújo à BBC.

Quando o laser estava ligado, as cobaias caçaram tudo o que foi posto à sua frente – desde grilos a tampas de garrafa. O comportamento foi igual quando os cientistas usaram moléculas, em vez de luz, para estimular a amígdala e ativar os neurónios.

Os comportamentos predatórios foram observados mesmo quando não havia nada para os camundongos caçarem. Em gaiolas vazias, por exemplo, o estímulo fez com que os animais posicionassem as patas dianteiras como se estivessem a segurar um alimento e movessem as bocas como se estivessem a mastigá-lo.

Segundo o cientista Ivan de Araújo, a equipa pensou na hipótese do desenvolvimento de uma agressividade mais generalizada, mas os animais não demonstraram qualquer comportamento agressivo uns com os outros.

“Uma das questões a que temos de responder é porque é que os estímulos não resultaram em ataques. Algo no cérebro das cobaias impediu que se agredissem umas às outras“, destacou.

O especialista acredita que o novo estudo pode facilitar futuras investigações acerca do comportamento animal, incluindo um possível “botão” que ative a agressividade tanto em animais como em humanos.

“Um trabalho como o nosso pode ajudar a melhorar o entendimento de mecanismos humanos. Há investigações, por exemplo, que estudam certos tipos de demência que fazem com que os pacientes mordam objetos“, disse o cientista.

“Na questão da agressividade, ainda há um debate muito grande sobre quanto é que o ambiente pode influenciar um comportamento violento, por exemplo”, acrescentou.

“Outro ponto importante é a constatação de que uma rede neural relativamente simples controla um processo complexo como a caça, e que a amígdala central é uma região fundamental para isso.”

O cientista diz que esta descoberta pode ser relevante para investigações no campo da robótica, como o sistema de navegação de veículos que têm de funcionar em ambientes complexos como outros planetas, mas afirma que ainda há muito trabalho a ser feito no mapeamento de redes neurais e no funcionamento do cérebro.

ZAP ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Da "obsessão por cargos" à "subserviência ao PS". Críticos internos do BE descarregam na direção

A convenção do Bloco de Esquerda está marcada para os dias 22 e 23 de maio. Os grupos críticos da direção do partido já têm preparada uma extensa lista de críticas. De acordo com o Observador, …

Pela primeira vez, a idade da reforma pode cair (e a culpa é da pandemia)

A idade da reforma é determinada pela esperança média de vida. No entanto, a pandemia e o consequente aumento da mortalidade podem fazer cair esse indicador, levando a um recuo histórico na idade da reforma. Até …

Onde estão os antigos "donos disto tudo" no desporto?

Sporting parece estar em ano de regresso ao topo do futebol. Mas outros clubes dominadores, ou desapareceram, ou andam discretos. "Felizmente não subimos à I Divisão", admite o presidente do HC Sintra. "Donos disto tudo" pode …

Após chumbo ao aeroporto do Montijo, Governo quer mudar a Lei para tirar poder aos municípios

O chumbo ao aeroporto do Montijo, depois de os municípios da Moita e do Seixal terem reprovado o projecto, não demove o Governo da empreitada. Em cima da mesa estão três soluções e a intenção …

Vacina da Janssen deverá ser aprovada na Europa a 11 de março. Imunizante só requer uma toma

A Agência Europeia do Medicamento convocou uma reunião extraordinária para concluir a avaliação da vacina à covid-19 da multinacional Janssen, com vista a colocá-la rapidamente no mercado. Neste sentido, espera-se que haja mais uma vacina contra …

Medina leva nega. Bloco, PCP e PAN querem concorrer sozinhos em Lisboa

O anúncio de que Carlos Moedas vai encabeçar a candidatura PSD/CDS à Câmara Municipal de Lisboa uniu a direita, mas não mudou a estratégia da esquerda. O Bloco, o PCP e o PAN querem concorrer …

Coates alcançou feito sem paralelo na Europa

Coates não comete uma única falta há mais de um mês, embora tenha sido totalista de minutos nesse período. É o único jogador das principais ligas europeias a consegui-lo. Provavelmente já não se lembra da última …

"Nunca batem certo". Madeira contesta dados do boletim da DGS

As autoridades regionais madeirenses afirmam que "os números fidedignos são os dados reportados, diariamente, pela Direção Regional de Saúde". A Direção Regional da Saúde (DRS) da Madeira contestou, esta terça-feira, os dados reportados nos boletins da …

I Liga pondera reduzir número de equipas a partir de 2022/2023

O desportivo Record avança esta quarta-feira que a Liga de Clube pondera reduzir o número de equipas em competição na I Liga já a partir da época de 2022/2023. Em cima da mesa está a redução …

Sob risco de expulsão, Fidesz de Orbán deixa bancada do Partido Popular Europeu pelo próprio pé

O partido Fidesz, liderado pelo primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán, vai deixar a bancada do Partido Popular Europeu no Parlamento Europeu. De acordo com a agência Reuters, o partido Fidesz, que governa a Hungria, anunciou esta quarta-feira …