Os neandertais podem ter desenvolvido os dentes de leite mais cedo do que os humanos

1

Museu de História Natural da Croácia

Dente de leite de neandertal

Dente de leite de neandertal

Os neandertais começavam a ter os primeiros sinais dos dentes de leite aos quatro meses, enquanto que nos humanos este processo só começa aos sete.

Os nossos “primos” estavam um passo à nossa frente numa coisa: o desenvolvimento dos dentes de leite. Uma nova investigação descobriu que os neandertais podem ter começado a desenvolver deites de leite aos quatro meses de idade.

O estudo da Universidade de Kent publicado na Proceedings of The Royal Society analisou um dente de leite de uma criança neandertal que viveu naquela que é agora a Croácia há cerca de 120 mil anos.

A estimativa é de que a primeira dentição dos neandertais surgiu entre os quatro e perto dos oito meses de idade. Nos humanos, este processo só se inicia entre os sete e os 10 meses.

Os dentes da frente, ou incisivos, são geralmente os primeiros a sair das gengivas e permitem que os bebés comam comidas mais duras. Até agora, pouco se sabia sobre a dentição de leite nas crianças neandertais.

“Os dentes de leite são uma janela única para a vida pré-natal e o início da infância das populações passadas. Eles crescem como parte de um organismo em desenvolvimento. Então, podemos usar os dentes para conseguir informação sobre as taxas de crescimento das crianças”, revela Alessia Nava, co-autora do estudo.

A análise foi feita com raios X de alta energia que tiravam fotos a três dimensões do dente neandertal, da parte branca de cima, a coroa, até à raiz do dente.

A coroa dos dentes é feita de esmalte. No caso da dentição de leite, há um vestígio conhecido como a linha neonatal debaixo do esmalte que é produzido antes do bebé nascer. Depois do nascimento, o esmalte cresce por cima da linha neonatal.

O esmalte é depositado pelas células num ciclo diário, que cria um padrão de riscas chamado estrias cruzadas. A distância entre as riscas adjacentes representa o crescimento dos dentes a cada dia.

“Enquanto as células colocam o esmalte, produzem uma substância ligeiramente menos mineralizada a cada 24 horas, produzindo as estrias cruzadas. São a nossa forma fundamental de estabelecer o período entre o nascimento e a erupção dos dentes”, afirma Patrick Mahoney, autor principal do estudo, citado pela New Scientist.

A equipa usou estas indicações para descobrirem quão bem desenvolvidos os incisivos estavam ao nascimento e quanto tempo de desenvolvimento pós-nascimento era necessário antes do dente estar pronto para começar a aparecer.

O cálculo foi feito com base nas ossadas de maxilar de um neandertal que tinha três dentes prestes a surgir na altura da morte, através da análise da espessura das camadas diárias de esmalte.

Esta erupção dos dentes mais prematura provavelmente permitiu aos neandertais comer comidas duras mais jovens do que os humanos, o que pode, consequentemente, tê-los ajudado a ter energia suficiente para os seus cérebros que eram maiores do que os dos humanos modernos.

  ZAP //

1 Comment

  1. 4ª Tentativa…

    …”Os neandertais podem ter desenvolvido os dentes de leite mais cedo do que os humanos”…Portanto, os neandertais não são humanos, devem ser extraterrestres só podem….e eu que aprendi que faziam parte dos antepassados do Homo Sapiens Sapiens.

    Enfim

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.