NASA confirma passagem da New Horizons por Plutão

A sonda espacial New Horizons, lançada em janeiro de 2006 pela agência espacial norte-americana (NASA), passou esta terça-feira a cerca de 12.500 quilómetros de Plutão, a distância mais próxima de sempre.

Após uma viagem que se prolongou por nove anos e meio, em que percorreu 4,77 mil milhões de quilómetros, a New Horizons passou o mais perto de Plutão às 11h49 TMG (12h49 em Lisboa) em piloto automático, divulgou a NASA.

A agência norte-americana espera receber um sinal da nave no final da tarde de hoje para saber se a New Horizons sobreviveu ao encontro com o planeta-anão.

Os especialistas consideraram existir uma possibilidade em 10 mil de a nave poder colidir com os detritos existentes na área além de Neptuno, conhecida como o cintura de Kuiper.

A New Horizons é descrita como pouco maior que um piano e, sendo a nave mais rápida alguma vez construída, desloca-se à velocidade de 49.570 quilómetros por hora.

Na segunda-feira havia algum nervosismo, enquanto a nave de 700 milhões de dólares (635 milhões de euros) avançava na direção da última fronteira não ultrapassada do sistema solar.

Desde que a New Horizons saiu da Terra, foram apresentadas imagens que revelaram pormenores de Saturno e Neptuno. Ao aproximar-se de Plutão, a sonda fez imagens inéditas do planeta-anão, tais como as que mostram a sua cor avermelhada, as duas faces do planeta e a sua maior lua, Caronte, a orbitar à volta do planeta-anão.

Experiência inédita

Além de ser a primeira missão que explorou Plutão, a NASA nota que a New Horizons bateu alguns recordes. É a primeira sonda a chegar a um planeta congelado anão, a explorar a Cintura de Kuiper (área onde fica Plutão), a primeira desde 1970 a explorar um planeta desconhecido e a nave mais rápida da história: a velocidade chegou aos 21 km/s.

No entanto, a NASA não gastou cerca de 720 milhões de dólares apenas para bater recordes. De acordo com investigadores da área, a chegada da New Horizons vai apoiar os estudos sobre como era a vida na Terra há milhares de milhões de anos.

Para Ivan Soares, investigador da Universidade de Brasília, é essa a principal contribuição da New Horizons. “É difícil dizer como era a Terra há quatro mil milhões de anos. Como Plutão não sofreu modificações devido à sua distância do Sol, é possível ter um panorama de vida há milhões de anos”, explica.

Já o engenheiro aeroespacial italiano Steffano Scutti sublinha que a New Horizons fecha uma primeira etapa em relação à exploração espacial do sistema solar. “Agora todos os planetas clássicos foram visitados pelo menos uma vez”.

O especialista também destaca que a missão deve reservar mais novidades depois de passar por Plutão. “Vale a pena lembrar que a missão não é só para visitar Plutão, mas também descobrir outros objetos da Cintura de Kuiper”.

ZAP / Lusa / EBC

PARTILHAR

RESPONDER

Na Etiópia, os apagões da Internet afetam a vida de milhares de pessoas

A Internet desempenha um papel decisivo na transformação da vida de milhares de etíopes e é por isso que as paralisações têm um enorme impacto económico.  Entre janeiro e o final de março, os habitantes da …

É urgente moldar as áreas urbanas de África para suportar futuras pandemias

Quando o tema é a Covid-19, o poder das cidades provém do número de interações entre pessoas, empresas e mercados que estes centros populacionais permitem. Apesar de todas as suas virtudes, a verdade é que …

Incêndio em Chernobyl pode ter provocado valores de radiação acima do normal

Um fogo florestal atingiu este domingo a zona interditada da central nuclear de Chernobyl, mas as informações sobre o aumento dos níveis de radiação são contraditórias. O fogo já consumiu 100 hectares de floresta, disse Yehor …

Em pânico, os norte-americanos estão a comprar pintainhos para lidar com a pandemia

Todo o mundo está a ser afetado pela pandemia de covid-19, tendo os norte-americanos, inicialmente, corrido aos supermercados para comprar o máximo de papel higiénico possível. Porém, agora, o produto é outro. De acordo com o …

20 anos depois, aldeias no Peru ainda sofrem com derrame de mercúrio

Em junho de 2000, um camião derramou mercúrio, da mina de ouro Yanacocha, a maior da América Latina, em três aldeias do Peru. 20 anos depois, os moradores ainda sofrem as consequências deste acidente. Quando Francisca …

Caso BPP. Ex-banqueiro João Rendeiro acusado de nova burla

O Ministério Público (MP) acusou o ex-presidente e fundador do BPP, João Rendeiro, de mais um crime de burla qualificada no caso BPP, segundo avança o Correio da Manhã. A acusação relaciona-se, de acordo com o …

EUA "confiscam" na Tailândia 200 mil máscaras que iam para a Alemanha

A polícia de Berlim, na Alemanha, encomendou 200 mil máscaras cirúrgicas a uma empresa americana. Porém, foram "confiscadas" em Banguecoque, na Tailândia, e desviadas para os Estados Unidos. O ministro do Interior de Berlim considerou o …

Valência chega a acordo com Diogo Leite. Saída do FC Porto estará quase consumada

O Valência tem 20 milhões de euros para oferecer ao FC Porto em troca do defesa-central Diogo Leite, com quem já terá chegado a acordo. De acordo com o jornal desportivo A Bola, Diogo Leite já …

Jornais espanhóis fazem boicote às "conferências-farsas" do Governo

Os jornais espanhóis, como o Libertad Digital, o El Mundo, o ABC e o Vozpópuli, estão a boicotar as conferências de imprensa do governo de Espanha, acusando-o de filtrar as perguntas dos meios de comunicação. Tudo começou …

Número diário de óbitos desce em Espanha. Mais um campo de refugiados grego em quarentena

Em Espanha, o número diário de óbitos por infeção de covid-19 tem mantido uma tendência de subida. Já na Alemanha, há menos casos, mas mais mortes. Espanha continua a manter a tendência de descida do número …