NASA confirma passagem da New Horizons por Plutão

A sonda espacial New Horizons, lançada em janeiro de 2006 pela agência espacial norte-americana (NASA), passou esta terça-feira a cerca de 12.500 quilómetros de Plutão, a distância mais próxima de sempre.

Após uma viagem que se prolongou por nove anos e meio, em que percorreu 4,77 mil milhões de quilómetros, a New Horizons passou o mais perto de Plutão às 11h49 TMG (12h49 em Lisboa) em piloto automático, divulgou a NASA.

A agência norte-americana espera receber um sinal da nave no final da tarde de hoje para saber se a New Horizons sobreviveu ao encontro com o planeta-anão.

Os especialistas consideraram existir uma possibilidade em 10 mil de a nave poder colidir com os detritos existentes na área além de Neptuno, conhecida como o cintura de Kuiper.

A New Horizons é descrita como pouco maior que um piano e, sendo a nave mais rápida alguma vez construída, desloca-se à velocidade de 49.570 quilómetros por hora.

Na segunda-feira havia algum nervosismo, enquanto a nave de 700 milhões de dólares (635 milhões de euros) avançava na direção da última fronteira não ultrapassada do sistema solar.

Desde que a New Horizons saiu da Terra, foram apresentadas imagens que revelaram pormenores de Saturno e Neptuno. Ao aproximar-se de Plutão, a sonda fez imagens inéditas do planeta-anão, tais como as que mostram a sua cor avermelhada, as duas faces do planeta e a sua maior lua, Caronte, a orbitar à volta do planeta-anão.

Experiência inédita

Além de ser a primeira missão que explorou Plutão, a NASA nota que a New Horizons bateu alguns recordes. É a primeira sonda a chegar a um planeta congelado anão, a explorar a Cintura de Kuiper (área onde fica Plutão), a primeira desde 1970 a explorar um planeta desconhecido e a nave mais rápida da história: a velocidade chegou aos 21 km/s.

No entanto, a NASA não gastou cerca de 720 milhões de dólares apenas para bater recordes. De acordo com investigadores da área, a chegada da New Horizons vai apoiar os estudos sobre como era a vida na Terra há milhares de milhões de anos.

Para Ivan Soares, investigador da Universidade de Brasília, é essa a principal contribuição da New Horizons. “É difícil dizer como era a Terra há quatro mil milhões de anos. Como Plutão não sofreu modificações devido à sua distância do Sol, é possível ter um panorama de vida há milhões de anos”, explica.

Já o engenheiro aeroespacial italiano Steffano Scutti sublinha que a New Horizons fecha uma primeira etapa em relação à exploração espacial do sistema solar. “Agora todos os planetas clássicos foram visitados pelo menos uma vez”.

O especialista também destaca que a missão deve reservar mais novidades depois de passar por Plutão. “Vale a pena lembrar que a missão não é só para visitar Plutão, mas também descobrir outros objetos da Cintura de Kuiper”.

ZAP / Lusa / EBC

PARTILHAR

RESPONDER

Furacão Sally fragmentou parte de uma ilha da Florida em três

A passagem do furacão Sally fragmentou parte de uma ilha na costa da Florida, no Estados Unidos, criando assim três pequenas porções de terra. Na prática, tal como explica o portal USA Today, o furação abriu …

Benfica 2-0 Moreirense | “Águia” vence e convence cónegos

Após ter perdido e empatado nas duas últimas recepções ao Moreirense, o Benfica voltou a vencer o emblema de Moreira de Cónegos na Luz. Este sábado, em duelo relativo à segunda jornada do campeonato, as “águias” …

"Surpreendente e fascinante". Descoberta pela primeira vez uma aurora sobre um cometa

A nave Rosetta da Agência Espacial Europeia (ESA) detetou uma aurora boreal sobre o cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko (67P / C-G). Em comunicado, os cientistas envolvidos na deteção frisam que esta é a primeira vez quem …

Austrália não quer que turistas caminhem na famosa rocha sagrada Uluru (nem no Google Maps)

A Austrália pediu ao Google que remova do seu serviço Maps fotografias tiradas do topo de Uluru, o monólito aborígine sagrado que os visitantes estão proibidos de escalar desde o ano passado. De acordo com a …

NASA vai procurar aquíferos nos desertos com tecnologia já usada em Marte

Uma parceria entre a NASA e a Fundação Qatar tem como objetivo procurar as cada vez mais escassas águas que estão enterradas nos desertos do Saara e da Península Arábica. Este processo deverá ser desenvolvido …

Os aeroportos mudam o nome das pistas (e a culpa é dos pólos magnéticos da Terra)

O pólo norte magnético pode mover-se até 64 quilómetros por ano. Isto pode ser um problema para os pilotos de aviões. A pista 17L/35R, no Aeroporto Internacional de Austin-Bergstrom, no estado norte-americano do Texas, não terá …

Rússia quer ultrapassar Tom Cruise e ser a primeira a gravar um filme no Espaço

O ator Tom Cruise quer rodar um filme no Espaço, mas a Rússia quer ser a primeira, de acordo com um comunicado da agência espacial Roscosmos. Os Estados Unidos e a Rússia são, novamente, os protagonistas …

Os animais perdem o medo dos predadores depois de contactarem com o Homem

Uma nova investigação concluiu que os animais selvagens perdem rapidamente o medo dos seus predadores depois de entrarem em contacto com o Homem. A maioria dos animais selvagens, como é o caso dos leões, exibe …

Há mais 884 casos confirmados e oito óbitos por covid-19 em Portugal

De acordo com o último boletim divulgado epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista, este sábado, mais oito óbitos e 884 novos casos de infeção pelo novo coronavírus. Assim, Portugal contabiliza, desde o início da …

Negros norte-americanos estão a comprar armas em valores recorde

O número de afro-americanos a comprar armas aumentou drasticamente. Em causa, estará uma resposta ao agravar das tensões sociais no país devido ao movimento Black Lives Matter. Nos Estados Unidos, os protestos do movimento Black Lives …