Não há tempo para implementar dois semestres já no próximo ano letivo

A partir do próximo ano letivo, 2019-2020, as escolas vão poder organizar o ano escolar em dois semestres, ao invés dos tradicionais três períodos.

No entanto, a medida poderá não ser alvo de grande adesão já no próximo ano letivo, disseram ao Diário de Notícias os presidentes das duas principais associações de diretores, devido à falta de tempo para orquestrar a mudança.

Segundo a portaria do Ministério da Educação publicada em meados deste mês, o próximo ano letivo vai trazer mais autonomia às escolas, com os estabelecimentos de ensino a terem liberdade para organizar o ano escolar segundo regras próprias. Para isso, terão de apresentar planos de inovação pedagógica à tutela.

Ao DN, Filinto Lima, da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), lembra precisamente que a portaria “saiu na semana passada”, pelo que, excluindo o grupo restrito de estabelecimentos que testou esta medida no ano letivo anterior, a sua instituição já é em setembro é considerada “prematura”.

“Se calhar, no próximo ano letivo, aquelas escolas, que não são muitas, que já estão a pensar no âmbito da autonomia e da semestralidade, poderão propor esse plano ao Ministério da Educação. Mas em relação às outras, que só agora começaram a pensar nesta situação, acho que é prematuro”, disse.

Os diretores consultados pelo mesmo jornal asseguram que existem demasiadas etapas. Manuel António Pereira, da Associação Nacional de Diretores Escolares (ANDE), disse também que “os timings são muito estreitos”, defendendo que é preciso fazer um estudo na escola e “fazer depender [a sua aprovação] à tutela”, sendo esta quem decide.

A transição deveria ser feita “com um ano de antecedência”, argumenta, já que as escolas “precisam de tempo”. “Infelizmente, muitas das decisões que o Ministério da Educação tem tomado são no último segundo.”

Quanto aos eventuais benefícios de um sistema de dois semestres, Filinto Lima defende que este poderá ser de facto positivo. “Vejo vantagens na semestralidade, porque vamos ter períodos mais equitativos, mais iguais, valorados da mesma forma“, considera.

“Teremos quatro momentos de avaliação, em vez dos atuais três. É também criada a possibilidade de o aluno, quando acaba o primeiro semestre, independentemente de ter tido positiva ou negativa, estar motivado para o segundo semestre. Porque, por exemplo, mesmo que tenha tido maus resultados, sabe que ainda poderá passar. Muitas vezes o aluno, quando entra no terceiro período com duas negativas [à mesma disciplina ou mesmas disciplinas, em duas avaliações distintas], sabe que está reprovado.”

Já Manuel António Pereira considera que esta fórmula se destina a resolver “um falso problema, muito embora haja muita gente a achar que sim e a experimentar”. Para o presidente da ANDE, o verdadeiro problema da organização do ano escolar é a duração do terceiro período, que, por força da variabilidade das férias da Páscoa, é muitas vezes demasiado curto.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O maior avião do mundo vai ser uma plataforma de lançamento para veículos hipersónicos

A empresa que criou o maior avião do mundo, que apenas voou uma vez, encontrou uma nova funcionalidade para a aeronave: será usado como plataforma de lançamento para veículos hipersónicos, o que poderá revolucionar a …

Sondas da missão a Mercúrio vão passar pela Terra (e vão ser visíveis a olho nu)

A missão conjunta europeia e japonesa BepiColombo está a caminho de Mercúrio. Porém, para chegar lá, terá de passar novamente pela Terra. Este evento acontecerá em 10 de abril e as pessoas nas latitudes do sul …

Xiaomi lança máscara elétrica que carrega via USB

A pandemia de Covid-19 tem impulsionado o surgimento de alguns recursos melhorados para fazer face ao combate do novo coronavírus. É o caso da nova máscara de esterilização elétrica da Xiaomi, que carrega via USB. A …

Em paradeiro incerto, ministra da Guiné-Bissau diz correr perigo de vida

Ruth Monteiro, ministra da Justiça e dos Negócios Estrangeiros no Governo da Guiné-Bissau deposto no golpe do dia 27 de fevereiro, está em parte incerta e diz correr perigo de vida. De acordo com o semanário …

Ovelhas e bactérias estão a ajudar a combater o coronavírus

Anticorpos que podem ajudar a combater o SARS-CoV-2, o vírus que causa a covid-19, estão a ser testados em ovelhas. Estes podem ser usados para desenvolver testes de diagnóstico. O SARS-CoV-2, o vírus que causa a …

Marcelo sai uma vez por semana, usa máscara e luvas nas compras (e passa a Páscoa em Belém)

O Presidente da República afirmou este sábado que, para se proteger do surto de covid-19, só sai em trabalho uma vez semana, usa máscara nas compras e vai passar a Páscoa confinado no Palácio de …

A procura por sumo de laranja está a disparar (e a culpa é do coronavírus)

A procura por sumo de laranja tem disparado nos últimos tempos, muito devido à pandemia de covid-19. As pessoas querem reforçar o seu sistema imunitário. Já quase ninguém está indiferente à ameaça da pandemia de covid-19, …

Nove pessoas com covid-19 curadas após receberem plasma de doentes recuperados

Pelo menos nove pessoas internadas nos cuidados intensivos em Itália com covid-19 já foram curadas, depois de receberem plasma de pacientes recuperados. De acordo com o jornal italiano Corriere della Sera, os doentes receberam o plasma …

Grace tem seis anos e pode ser a autora mais nova de sempre de um artigo científico

Uma menina de seis anos, que vive na Austrália, pode ser a autora mais nova de sempre a ter um artigo científico publicado numa revista da especialidade. Grace Fulton tem uma enorme paixão por animais e, …

Geco encheu Lisboa com autocolantes (e a polícia de Roma está a pedir ajuda para o encontrar)

A polícia de Roma está a pedir ajuda à Associação Vizinhos de Lisboa para encontrar o graffiter Geco, cujas pinturas e autocolantes se podem ver por toda a capital portuguesa, e que está em investigação …