Não há um nível seguro no consumo de álcool, aponta estudo

Pode ser más notícias para os amantes de vinho e cerveja. Um novo estudo internacional confirmou o que pesquisa anteriores já tinham revelado: não existe um nível seguro para o consumo de álcool.

Os investigadores admitem que beber álcool de forma moderada pode proteger contra doenças cardíacas, mas sugerem que o risco de desenvolver cancro ou outras complicações de saúde se sobrepõe ao benefícios.

De acordo com os autores do estudo, publicado nesta quinta-feira na revista The Lancet, estas são as descobertas mais significativas realizadas até então, devido à variedade de fatores que foram avaliados durante a pesquisa.

O estudo analisou os níveis de consumo de álcool e os seus efeitos sobre a saúde em 195 países entre 1990 e 2016. Na pesquisa, que contou com participantes dos 15 aos 95 anos, os investigadores compararam pessoas que não bebem álcool com consumidores assíduos.

As conclusões indicam que dos 100 mil participantes que não bebem, 914 apresentaram problemas de saúde relacionados com o consumo de álcool ou sofreram alguma lesão.

Já os participantes que bebem diariamente – cerca de 10 gramas de álcool puro – apresenta um risco 0,5% maior, comparativamente aos que não bebem. Quando o consumo atinge as duas doses diárias, o risco sobe para 7%. Com 5 doses, o risco é 37% maior.

“Estudos anteriores identificaram um efeito protetor do álcool em relação a algumas condições de saúde, mas descobrimos que os riscos associados ao consumo de álcool aumentam com qualquer quantidade consumida”, explicou Max Griswold, autora principal do estudo, da Universidade de Washington, nos EUA.

Sonia Saxena, investigadora do Imperial College London, no Reino Unido, recorda ainda que a maioria das pessoas não bebe apenas uma dose diária.

“Nível seguro”

Sonia Saxena sublinha este estudo é o mais importante já realizado sobre o tema. “Este estudo vai mais além de outros ao levar em conta uma série de fatores, incluindo as vendas de álcool, dados sobre a quantidade de álcool ingerida, abstinência, informações sobre turismo e taxas sobre comércio ilegal e cervejarias artesanais”, explica.

Estima-se que em todo o mundo uma em cada três pessoas consuma álcool – responsável por quase um décimo da mortalidade entre os 15 e os 19 anos.

Já David Spiegelhalter, cientista da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, divulgou uma nota de advertência relativamente ao estudo publicado: “Tendo em conta o prazer associado ao consumo de álcool ainda que moderado, dizer que não há um ‘nível seguro’ não parece um argumento para a abstenção”, considera.

“Não há um nível seguro para conduzir, mas o Governo não recomenda que as pessoas não o façam. Devemos refletir um pouco sobre a questão. Não existe um nível seguro para viver, mas ninguém recomenda que desistamos de viver” concluiu.

ZAP // BBC

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

"Abuso da força é recorrente". Imprensa ucraniana levanta suspeitas sobre o SEF no aeroporto de Lisboa

A imprensa ucraniana tem estado a dar grande destaque à morte de Igor Homenyuk nas instalações do aeroporto de Lisboa. Em causa está a morte de um cidadão ucraniano que desembarcou no aeroporto de Lisboa, com …

Benfica pagou 34,2 milhões em comissões a intermediários. Sporting gastou metade

Entre os clubes portugueses, o Benfica foi quem mais gastou em comissões a intermediários. O FC Porto gastou 23,7 milhões de euros e o Sporting CP desembolsou 15,9 milhões. O SL Benfica foi o clube português …

EUA atingem recorde diário de 884 mortes. Quarentena chega aos campos de refugiados

Os Estados Unidos são, atualmente, o país do mundo com o maior número de casos de infeções pelo novo coronavírus: mais de 210 mil infetados. Os Estados Unidos registaram, esta quarta-feira, um novo recorde diário de …

UEFA decide: Ligas europeias têm até 3 de agosto para terminarem

As principais ligas europeias de futebol têm até ao dia 3 de agosto para encerrar a atual época, tendo a UEFA deixado nas mãos de cada federação a decisão de retomar ou dar por terminados …

Bloco Central (e direita) adiam discussão de iniciativas sobre a covid-19

Esta quarta-feira, ficou decidido que o Parlamento só irá discutir e votar esta quinta-feira os três diplomas do Governo no âmbito do combate ao novo coronavírus, ficando assim adiadas todas as propostas dos outros partidos, …

Parlamento aprova renovação do estado de emergência. IL votou contra

O decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril foi aprovado, esta quinta-feira, no Parlamento. De acordo com a rádio TSF, a renovação do estado …

Mesmo à porta fechada, PSG-Dortmund foi foco de contágio de coronavírus em Paris

O encontro da Liga dos Campeões entre PSG e Dortmund foi jogado à porta fechada, mas milhares de adeptos reuniram-se à porta do estádio. Este foi um grande foco de contágio de coronavírus em Paris. O …

Espanha pode estar a pagar os cortes da crise de 2008 (e arrisca atingir 25 mil mortes daqui a 15 dias)

O novo centro do coronavírus na Europa é Espanha, onde o número de mortes já ultrapassa as 9 mil. O país arrisca atingir as 25 mil mortes daqui a 15 dias se a tendência de …

Escolas fechadas, alteração no calendário e nas avaliações. Ano letivo pode terminar à distância

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, propôs esta quarta-feira ao Parlamento a renovação do estado de emergência em Portugal por novo período de 15 de quinze dias para permitir medidas de contenção da …

Covid-19. Recuperados estão a sair de isolamento sem fazer testes

Os supostos pacientes recuperados de covid-19 estão a sair de isolamento sem concluir os dois testes negativos indicados pela DGS. Isto acontece devido à falta de capacidade do SNS para fazer testes a todos os …