Patrões recuam: “Não há condições” para ir além dos 600 euros

Pedro Nunes / Lusa

António Saraiva, presidente da CIP – Confederação Empresarial de Portugal

Três meses depois de ter admitido a possibilidade de aceitar que o Salário Mínimo Nacional ficasse acima dos 600 euros, António Saraiva recua: os indicadores não são favoráveis para ir além do valor previsto no início do ano.

Em entrevista ao jornal Público, o presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), António Saraiva, admitiu que a contratação de mais funcionários públicos e o aumento de salários dos mesmos não pode servir de justificação para um aumento de impostos.

“Gostaríamos que houvesse preocupação e atenção. É que aumentos de salários, chamar ao quadro os precários ou os horários de 35 horas acarretam inevitável aumento da despesa. Não desejamos que, mais uma vez, as despesas – sendo que algumas possam ter critérios legítimos e socialmente aceitáveis – venham a ser compensadas por aumento de impostos; porque quer as empresas, quer as famílias estão exauridas na capacidade de suportar novos impostos”, sublinhou.

Em junho, António saraiva admitiu a possibilidade de os patrões poderem aceita que o Salário Mínimo Nacional (SMN) ficasse acima dos 600 euros em 2019, surpreendendo muitas pessoas, incluindo os partidos políticos da esquerda.

No entanto, três meses depois o discurso já não é o mesmo. O líder da CIP refere agora que os indicadores não são favoráveis para ir além dos 600 euros.

“Até agora a discussão do SMN tem estado, invariavelmente, do lado do Governo e das centrais sindicais, enquanto às entidades patronais cabe apenas a subscrição dos valores que uns e outros vão dirimindo. É tempo de chamar as entidades patronais, que são quem paga os salários, a esta discussão”, começa por dizer António Saraiva ao Público.

“Sempre temos dito que o SMN tem de estar indexado a fatores mensuráveis: a produtividade, o crescimento económico e a inflação. Avaliando estes critérios e se os mesmos forem positivos – sendo certo que muitas empresas estão a vender mais e a exportar mais e porque nas 115 mil empresas que a CIP representa a esmagadora maioria já paga acima dos 600 euros – poderíamos admitir ir mais longe”, explica.

“Por outro lado, estávamos a querer introduzir na discussão do futuro OE para 2019 alguns novos critérios para que, em sede de negociação, pudéssemos ter alguns ganhos de causa.”

No entanto, o discurso sofre uma reviravolta quando Saraiva diz que “lamentavelmente, isso foi mal compreendido e indicadores como a produtividade continuam a cair e o investimento não dá sinais de recuperação. De junho para cá, acho que não há condições para elevar o SMN além daquele valor que o Governo já nos apresentou e que será, em janeiro de 2019, os 600 euros”.

Na mesma entrevista, o presidente da CIP deixou críticas à oposição que Rui Rio tem feito no Parlamento. “O PSD – pelas divisões internas, por esta liderança e pela contestação a esta liderança de Rui Rio – tem andado envolvido em questões internas e isso não lhe terá permitido um trabalho político mais consequente e mais assertivo em sede parlamentar.”

No que diz respeito ao aumento da fatura energética, António Saraiva admite que este é um dos grandes problemas do panorama atual. Assim, refere, mais importante do que reduzir o Imposto Sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas (IRC), é reduzir a fatura energética.

“As empresas que viram os seus contratos terminar e estão a negociar novos contratos, estão a sofrer aumentos brutais da fatura energética, estamos a falar de 25% a 30% de aumento o que é, para algumas, fatal para a sua sobrevivência”, aponta.

A resolução deste problema passa, “forçosamente”, pela fiscalidade. “O Governo tem de olhar para este problema e perceber que é incomportável para o tecido empresarial português. Da mesma maneira que Espanha tomou medidas, Portugal tem que as tomar e, por isso, reunimos de urgência com o secretário de Estado da Energia e com o conselho de administração da ERSE e temos reunião pedida ao ministro das Finanças”, disse.

“A energia, como costumo dizer, não é cara, nem é barata; é competitiva ou não é competitiva. E para Portugal, neste momento, não é competitiva”, acrescentou.

ZAP //

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. Insinuam que não existem condições para ir além dos 600€. Querem mais produtividade? Sigam as seguintes recomendações:

    – Melhorem (muito) as condições de trabalho!
    – Eliminem a precariedade e ameaças a funcionários!
    – Invistam em formação profissional, eduquem-se patrões, para depois formarem funcionários!
    – Invistam no bem estar dos vossos funcionários e incentivem-nos com prémios de produtividade e objetivos!
    – Os funcionários são a espinha dorsal e engrenagem de qualquer empresa. Tratem-nos com dignidade!

    • Estes comentários ficam muito bem no papel, mas, sugiro que saias da zona de conforto (enquanto funcionário) e entres no mundo real criando uma empresa e só com funcionários sindicalizados para teres do melhor em RH. Daqui a 6 meses posta p.f. como é que está a correr a vida de empresário.

  2. Quem quer mais que os 600 eur, pode-os ter e até em multiplos de 600 eur. Eis a receita: Despeçam-se desse emprego percário, e trabalhem por conta própria. Deixem de reclamar o salário. Querem mais, arregassem as mangas e toca a trabalhar 16 horas por dia e vão receber tudo o que acham justo.
    Deixem-se de lamurias.

    • Não é preciso trabalhar tantas horas e dias, apenas é preciso ganhar coragem para uma nova aventura e emigrar. Se houver dedicação, garanto-lhe que poderá ganhar bem mais que 2.000 Euros com muito menos horas e dias de trabalho… 😉

  3. Estranhamente sempre houve condições para os patrões(que se auto intitulam empresários) se auto aumentarem quantas vezes lhe apareciam e nunca se privarem de absolutamente nada, mas claro que para isso acontecer outros teriam que ter umas migalhas já que não podem trabalhar de borla pois esse era o sonho de muitos patrões portugueses!

      • Não, não podem – nem devem!!
        Senão, não se via a “qualidade” de certos empresários como se vê e com os resultados que se conhecem!…
        E muitos empresários deviam mesmo trabalhar menos (e melhor!!) e falar mais (para saberem o que se passa à sua volta) e assim produzir/gerir mais e melhor!!
        Não faltam empresários amadores a fazer asneiras e a estragar a vida de muita gente…
        Também seria interessante ver esse parasita da CIP a trabalhar por 600€/mês!…

RESPONDER

Sair das redes sociais não garante privacidade

Uma pessoa que saia das redes sociais não tem garantia de privacidade porque os amigos que lá deixou continuam a permitir prever com alguma certeza as suas atividades, segundo um estudo científico. A investigação da equipa …

Hotel condenado a pagar 19 milhões por discriminação religiosa a funcionária despedida

Quando foi contratada pelo hotel Conrad, Marie Jean fez um acordo: não trabalharia ao domingo, para cumprir os seus compromissos religiosos na igreja Bethel Baptist. Marie Jean Pierre era uma imigrante a tentar ganhar a vida …

"Alpinista de biquiní' morre de hipotermia após queda em desfiladeiro

Famosa pelos seus passeios em biquíni pelas montanhas, Gigi Wu caiu de um desfiladeiro e morreu de hipotermia no Parque Nacional Yu Shan, em Taiwan. Gigi Wu, de 36 anos, apelidada de "alpinista de biquíni" pelos …

Crimes de Vale e Azevedo no Benfica prescreveram

O Tribunal da Relação de Lisboa considerou prescritos os crimes de que o ex-presidente do Benfica João Vale e Azevedo estava acusado, relativos ao desvio de dinheiro dos direitos televisivos do clube, disse esta terça-feira …

Suspensão de voos em Gatwick devido aos drones custou quase 17 milhões à easyJet

A transportadora aérea easyJet informou que os custos devido à suspensão da operação em Gatwick, um dos aeroportos que serve Londres, devido à presença de drones, chegou quase aos 17 milhões de euros. Em comunicado enviado …

Passageiro alcoolizado desviou um avião na Rússia

Um avião de passageiros que voava da Sibéria para Moscovo foi desviado por um passageiro que alterou a rota prevista, obrigando-o a aterrar no Afeganistão. O homem estaria alcoolizado e já foi detido. A Associated Press, …

Santana desafia partidos a falar sobre coligações antes das legislativas

O presidente do partido Aliança, Pedro Santana Lopes, desafiou os líderes partidários a dizerem antes das eleições legislativas deste ano se querem alguma coligação pós-eleitoral e com que partidos. Uma coligação pré-eleitoral dos partidos do centro-direita …

Polícia prende cinco suspeitos da morte de Marielle

A operação Os Intocáveis, desencadeada nesta manhã em áreas controladas por milícias do Rio de Janeiro, prendeu cinco suspeitos do envolvimento nos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. São integrantes de uma …

Centeno não estará no próximo Governo "para não ter de gerir as consequências" das políticas adotadas

Daniel Bessa, antigo ministro da Economia de António Guterres, alerta que as contas públicas estão "por arames", considerando que Mário Centeno, que lidera a pasta das Finanças no atual Executivo socialista, não fará parte de …

Cientista que criou bebés geneticamente modificados foi despedido

O cientista chinês He Jiankui, que anunciou a criação da primeira modificação genética de bebés, foi acusado pelo Governo chinês de driblar a fiscalização e de quebrar as diretrizes em busca de fama e fortuna. Esta …