Nanopartículas de ouro são a esperança dos novos medicamentos contra o cancro

(dr) UNIGE

Linfócitos B (azul e verde) e nanopartículas de ouro (vermelho)

As nanopartículas de ouro podem ser pequenas o suficiente para atravessar a barreira hematoencefálica, o que permite que os fármacos antitumorais sejam entregues diretamente às células cancerígenas.

A tecnologia está a revolucionar muitas tecnologias e setores industriais, nomeadamente a medicina. No entanto, especialmente nesta área, é preciso ter e conta a segurança e o efeito que estas tecnologias têm sobre o sistema imunológico humano.

Ao testar uma variedade de nanopartículas de ouro, cientistas da Universidade de Genebra (UNIGE), em colaboração com o Centro Nacional de Competência em Pesquisa “Bio-inspired Materials” e Swansea University Medical School, no Reino Unido forneceram a primeira evidência do impacto das nanopartículas sobre os linfócitos B – as células imunitárias responsáveis pela produção de anticorpos.

Os investigadores esperam que o uso nanopartículas de ouro melhore a eficácia dos produtos farmacêuticos, limitando os possíveis efeitos secundários. Os resultados, publicados recentemente na ACS Nano, levarão ao desenvolvimento de novas terapias, especialmente no campo da oncologia.

Os linfócitos B são uma parte crucial do sistema imunológico e, portanto, um alvo interessante para o desenvolvimento de vacinas preventivas e terapêuticas. No entanto, para atingir o seu objetivo, as vacinas devem atingir rapidamente os linfócitos B sem serem destruídos, o que torna o uso de nanopartículas particularmente interessante.

Na prática, as nanopartículas podem formar um veículo de proteção para vacinas, ao administrá-las onde podem ser mais eficazes, sem afetar outras células. Este objetivo também permite o uso de uma dose menor de imunoestimulantes, mantendo uma resposta imulonológica eficaz.

Sempre que as nanopartículas são inofensivas para todas as células do sistema imunológico, aumentam a eficácia e reduzem os efeitos colaterais, explica Carole Bourquin, co-autora do artigo científico, citada pelo Tech Explorist.

Em relação ao ouro, os cientistas dizem que é “um excelente candidato” para a nanomedicina, devido às suas propriedades físico-químicas particulares. Bem tolerado pelo corpo e facilmente maleável, este metal tem, por exemplo, a peculiaridade de absorver luz e depois libertar calor, uma propriedade que pode ser explorada em oncologia.

“As nanopartículas de ouro podem ser usadas para tratar tumores. Quando expostas a uma fonte de luz, elas libertam calor e destroem as células cancerígenas próximas. Além disso, podemos anexar um medicamento à superfície das nanopartículas para ser libertado num local específico”, adiantou a cientista.

Sandra Hocevar, outra autora do estudo, referiu que, para testar a segurança e a melhor fórmula para uso médico destas nanopartículas de ouro, os cientistas criaram esferas dourados, com e sem revestimento de polímero, assim como hastes de ouro para explorar os efeitos do revestimento e da forma. Depois, expuseram linfócitos B humanos às partículas durante 24 horas, de modo a analisar a ativação da resposta imune.

Seguindo os marcadores de ativação expressos na superfície das células B, os cientistas foram capazes de determinar até que ponto as nanopartículas ativaram ou inibiram a resposta imune. Embora nenhuma das nanopartículas testadas tenha demonstrado efeitos adversos, a sua influência na resposta imune diferiu dependendo de sua forma e da presença de um revestimento.

As partículas esféricas não revestidas são facilmente adicionadas e, portanto, não são adequadas para uso biomédico. Por outro lado, as esferas de ouro revestidas com um polímero protetor são estáveis e não afetam a função dos linfócitos B. “Podemos facilmente colocar a vacina ou a medicação que será administrada aos linfócitos B nesta camada”, diz Bourquin.

As nanopartículas de ouro desenvolvidas pela equipa poderiam possibilitar a administração direta de fármacos aos linfócitos B para reduzir a dose necessária e possíveis efeitos colaterais. Atualmente, já estão em curso estudos em pacientes para o tratamento de tumores cerebrais.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

ANA avança com plano de "saídas voluntárias"

A ANA, gestora dos aeroportos nacionais, vai avançar com "um plano de saídas voluntárias", no âmbito do redimensionamento das equipas. A ANA - Aeroportos de Portugal, gestora dos aeroportos nacionais, vai avançar com “um plano de …

Cientistas detetaram estranhos objetos astronómicos circulares (e não fazem ideia do que são)

Recorrendo a telescópios, uma equipa de astrofísicos detetou quatro estranhos objetos astronómicos. Foram encontrados nos comprimentos de onda de rádio e são circulares e mais brilhantes do que as suas bordas. Estes estranhos e inesperados …

Especialista alerta sobre possíveis vírus extraterrestres que podem chegar à Terra em futuras missões

O cientista e antigo colaborador da NASA Scott Hubbard alertou para a possível chegada de vírus extraterrestres à Terra em futuras missões espaciais, notando que o interesse pela exploração do Espaço tem aumentado. O antigo …

Covid-19. A morada e a cor da pele são um fator de risco no Brasil

Enquanto que na Europa a idade é um fator de risco da covid-19, no Brasil, o sítio onde moram e a cor da sua pele definem essa fronteira entre os que têm maior ou menor …

Lagos dos Estados Unidos estão a ficar cobertos de verde. Nem os mais remotos escapam

Vários lagos montanhosos dos Estados Unidos estão a tornar-se verdes devido ao crescimento de algas que prosperam por causa das alterações climáticas, concluiu um estudo conduzido por cientistas da Universidade do Colorado. De acordo com a …

No Algarve, metade dos casos de infeção resultaram de transmissão social

Um estudo apresentado na última reunião do Infarmed, em Lisboa, veio estabelecer uma relação entre a propagação do vírus no Algarve e o fator social. De acordo com o estudo, apresentado na última reunião do Infarmed, …

Numa operação inédita de 18 horas, gémeas siamesas unidas pelo crânio foram separadas com sucesso

Ervina e Prefina, com 2 anos, nasceram com os crânios unidos, uma das formas mais raras e complexas de fusão craniana e cerebral conhecidas como "craniófago total posterior". Agora, médicos em Itália conseguiram separá-las numa operação …

Família de Pablo Escobar está a processar um rapper norte-americano. Exige-lhe 10 milhões

A família Pablo Escobar, morto em dezembro de 1993 na Colômbia, está a processar o rapper norte-americano Tauheed Heakeen Epps, mais conhecido como 2 Chainz, por usar o nome do narcotraficante num negócio. De acordo com …

Steve Jobs acreditava na eficiência do teletrabalho já em 1990

O fundador da Apple, Steve Jobs, que faleceu em outubro de 2011, dizia acreditar na eficiência do trabalho remoto já em 1990. A pandemia de covid-19, que já matou mais de 500 mil pessoas me todo …

Era mais do que uma nota. Sobrevivente de Auschwitz vai conhecer família de soldado que a libertou

Lily Ebert, de 90 anos, sobreviveu ao Holocausto. No campo de concentração de Auschwitz, recebeu uma nota alemã de um soldado judeu norte-americano que a libertou e lhe deu esperança. Agora, vai conhecer a família …