Mutação genética pode ser a culpada por não conseguir deixar de fumar

Uma mutação presente em 35% dos europeus não só aumenta o risco de dependência da nicotina, como também de ter uma recaída, de acordo com uma equipa de cientistas franceses.

Porque é que algumas pessoas têm recaídas meses depois de deixar de fumar? Um grupo de cientistas franceses crê ter encontrado a resposta numa mutação genética, depois de realizar uma investigação em cobaias.

O estudo foi levado a cabo por investigadores do Intituto Pasteur e do Centro Nacional de Investigações Científicas (CNRS), em colaboração com a Universidade de Sorbonne e o Instituto Nacional de Saúde e da Investigação Médica (Inserm). Os resultados da investigação foram publicados, na passada quinta-feira, na revista Current Biology.

Os autores explicam que a nicotina causa vício ao unir-se aos recetores nicotínicos no cérebro, pelo que o consumo de tabaco de um determinado indivíduo está estreitamente relacionado com a sensibilidade de estes recetores, compostos por cinco subunidades (α1, α2, α3, α4 e α5).

Nos últimos anos, vários estudos genéticos demonstraram que uma mutação no gene CHRNA5 que codifica a subunidade α5 aumenta de forma significativa o risco de dependência da nicotina. Esta mutação está muito presente na população a nível mundial (por exemplo, em 35% dos europeus e até 50% da população do Médio Oriente).

Os cientistas tentaram determinar que etapa desta dependência se vê afetada por esta mutação e qual é o seu mecanismo de ação. Para isso, introduziram a mutação em cobaias e avaliaram o seu efeito sobre diversos comportamentos associados com a dependência da nicotina.

A pesquisa demonstrou que a mutação provoca um maior consumo de nicotina em doses muito altas, assim como um aumento na taxa de recaída. Da mesma forma, a investigação mostrou que este efeito está associado com uma redução da atividade neuronal no núcleo interpeduncular, uma estrutura cerebral com a maior concentração de subunidades de recetores nicotínicos α5.

Estes resultados sugerem que uma substância capaz de aumentar a atividade dos recetores nicotínicos que contêm a subunidade α5 “poderia reduzir o consumo de tabaco e diminuir o risco de recaída depois de deixar de fumar”, explica Uwe Maskos, um dos investigadores deste estudo.

ZAP // RT

PARTILHAR

RESPONDER

Ter filhos torna as pessoas mais felizes (mas só depois de saírem de casa)

Vários estudos têm concluído que as pessoas sem filhos estão mais satisfeitas com as suas vidas do que aquelas que não os têm. Mas uma nova investigação constata que os pais e mães são mais …

Facebook está a criar (com sucesso) tecnologia capaz de ler mentes

Há cerca de dois anos, o Facebook começou a desenvolver uma tecnologia capaz de ler as mentes das pessoas. Agora, a empresa apresentou com sucesso os primeiros resultados da sua investigação. O Facebook quer disponibilizar uma …

Descobertas oito novas fontes de Explosões Rápidas de Rádio vindas do Espaço

As Explosões Rápidas de Rádio (Fast Radio Bursts, FRBs) são dos enigmas mais intrigantes da astronomia moderna. Estes sinais de rádio, por norma, duram milésimos até desaparecer, mas alguns repetem-se de forma irregular. Desde a descoberta …

Cientista americana diz estar certa de que a Terra será atingida por asteroide

https://vimeo.com/355132338 Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá o nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após um asteroide não …

NASA vai mesmo explorar Europa, a lua de Júpiter que pode ter vida extraterrestre

A NASA deu luz verde a uma missão para explorar uma lua de Júpiter que é considerada um dos melhores candidatos para a vida extraterrestre. A Europa - que é um pouco mais pequena do que …

País de Gales cancela plano controverso de criar "casas de banho robô"

O objetivo da construção era impedir atividade sexual, vandalismo e dormidas nas casas de banho públicas. O projeto ia recorrer às tecnologias de piso sensível ao peso, jatos de água, sensores anti-movimento e alarmes. O conselho …

Sem saber, uma mulher viveu durante 17 anos com a sua "gémea" dentro dela

Uma jovem na Índia, sem saber, viveu com uma das condições médicas mais raras e perturbadoras durante quase duas décadas. De acordo com um relatório de caso desta semana, a mulher tinha um saco que continha …

Novo filme da saga 007 já tem nome e data de estreia marcada

O novo filme da saga 007, realizado por Cary Fukunaga chama-se "No time to die" e estreia-se no Reino Unido e nos Estados Unidos em abril de 2020. "Daniel Craig regressa como James Bond, 007 em... …

Comporta pode tornar-se na nova Ibiza (e tudo começou com a queda do BES)

Após anos de um quase esquecimento, em termos de desenvolvimento imobiliário, a Comporta está a atrair investidores internacionais que encaram a pequena vila de Setúbal como uma "nova Ibiza". Um cenário que está a preocupar …

Família de Aretha Franklin cria fundo para a investigação de cancro raro

Um ano após a morte da cantora, a família de Aretha Franklin criou um fundo de apoio à investigação na área dos tumores neuroendócrinos, a doença rara que se revelou fatal para a celebridade, a …