O mundo amava a suástica (até os nazis se apropriarem dela)

OPA / Wikimedia

Os arquitectos da purga nazi: Hitler, Göring, Goebbels, e Hess. Faltam Himmler e Heydrich.

No mundo ocidental, a cruz suástica é sinónimo de nazismo, mas a verdade é que este símbolo existe há milhares de anos e foi usado como um amuleto da sorte. Agora, alguns tentam recuperar o seu sentido original.

Na linguagem antiga do sânscrito, suástica significa “bem-estar”. A figura foi usada por hindus, budistas e jainistas durante milhares de anos e associada à religião indiana.

Viajantes do Ocidente foram inspirados pelas suas associações positivas e começaram a usar este símbolo nos seus países. Aliás, no início do século XX, chegou a haver a moda de usar a suástica como símbolo de sorte.

A figura, que mais tarde viria a ter um simbolismo completamente oposto, foi adotada com entusiasmo na Europa em áreas como a arquitetura, publicidade e design de produtos.

“A Coca-Cola usou este símbolo. A Carlsberg também o usou nas suas garrafas de cerveja. Os Boy Scouts adotaram-no e o Girls’ Club of America chamou à sua revista ‘Swastika’. Até mandavam distintivos da suástica para os seus jovens leitores como prémio por vender revistas”, diz o escritor e designer Steven Heller, citado pela BBC.

O ícone oriental também foi usado por unidades do Exército norte-americano durante a I Guerra Mundial e era visto nos aviões da Força Aérea Britânica até 1939. No entanto, isso acabou nos anos 1930, quando o partido nazi chegou ao poder na Alemanha.

O uso nazi da suástica tem origem no trabalho de académicos alemães do século XIX que traduziam antigos textos indianos e notaram semelhanças entre o alemão e o sânscrito. Então, concluíram que indianos e alemães deveriam ter os mesmos ancestrais e imaginaram uma raça de guerreiros a quem chamaram Arianos.

Essa ideia foi utilizada por grupos nacionalistas antissemitas dentro do movimento, que se apropriaram da cruz suástica como um símbolo ariano, para espalhar entre os alemães o sentimento de que pertenciam a uma linhagem antiga.

A hakenkreuz (cruz com ganchos, em alemão) negra dentro de um círculo branco e o fundo vermelho da bandeira nazi tornaram-se no emblema mais odiado do século XX, para sempre ligado às atrocidades cometidas no Terceiro Reich.

“Para os judeus, a suástica é sinonimo de medo, de repressão e de extermínio. É algo que nunca poderemos mudar”, diz o sobrevivente do Holocausto Freddie Knoller, de 96 anos. “Colocar a suástica em lápides ou em sinagogas causa medo. Não deveria acontecer”.

O símbolo foi proibido na Alemanha no fim da II Guerra Mundial e o país tentou, sem sucesso, proibi-lo em toda a Europa no ano de 2007.

Contra o mal

A ironia é que a suástica tem uma origem mais europeia do que a maior parte das pessoas pensa. Descobertas arqueológicas já demonstraram que a cruz é muito antiga, mas que os seus exemplares não são limitados à Índia. Também foi usada pelos antigos gregos, pelos celtas, pelos anglo-saxões e até – em alguns dos artefactos mais antigos – no leste da Europa, do mar Báltico até aos Balcãs.

Um bom lugar para conhecer esta história é o Museu Nacional de História da Ucrânia, em Kiev. Entre os principais tesouros do museu está uma figura pequena de marfim que mostra um pássaro fêmea. Feito da presa de um mamute, a figura foi encontrada em 1908 no assentamento paleolítico de Mezin, perto da fronteira da Ucrânia com a Rússia.

No peito do pássaro está gravado um padrão complexo de suásticas. É o padrão de suásticas mais antigo identificado no mundo: uns impressionantes 15 mil anos. O pássaro foi encontrado juntamente com uma série de objetos fálicos, o que dá a entender que o padrão era usado como símbolo de fertilidade.

Suásticas “solitárias” começaram a aparecer na cultura neolítica Vinca, no sudeste da Europa, há cerca de sete mil anos mas foi na Era do Bronze que mais se espalharam pelo continente. Na coleção do museu há também vasos de cerâmica que têm suásticas e datam de quatro mil anos atrás.

Quando os nazis ocuparam Kiev, estavam tão convencidos de que esses vasos eram provas dos seus ancestrais arianos que os levaram para a Alemanha (acabariam por ser devolvidos à Ucrânia depois do conflito).

Na coleção grega, a suástica também aparece no ornamento da arquitetura que se tornou conhecido como padrão grego, usado em azulejos e tecidos até hoje.

Mas talvez os artefactos mais surpreendentes do museu sejam os fragmentos de tecido que sobreviveram do século 12 D.C. Acredita-se que pertenceram ao colarinho do vestido de uma princesa eslava e que foram bordados com cruzes e suásticas, para afastar o mal.

Relembrar o passado

Algumas pessoas acham que estas origens podem ajudar a devolver à suástica o sentimento positivo que outrora já teve na Europa. Um desses casos é o famoso tatuador Peter Madsen, de Copenhaga, que afirma que o símbolo é um elemento da mitologia nórdica que continua a ser atraente para muitos escandinavos.

O tatuador é um dos fundadores do “Dia de Aprender a Amar a Suástica”, que ocorreu em 13 de novembro de 2013, quando tatuadores de todo o mundo se ofereceram para tatuar suásticas de graça, para relembrar o passado multicultural do símbolo.

A suástica é um símbolo de amor e Hitler abusou dela. Não estamos a tentar trazer a hakenkreuz de volta. Isso seria impossível. E também não é algo que queremos que as pessoas esqueçam”, afirma.

“Só queremos que as pessoas saibam que a suástica aparece de muitas outras formas, e nenhuma delas foi usada para nada mau. Também queremos mostrar aos fascistas da direita que é errado usar este símbolo. Se pudermos educar o público sobre o verdadeiro significado da suástica, talvez possamos tirá-las dos fascistas“.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Companhia aérea australiana oferece voos de 7 horas (para lugar nenhum)

A companhia aérea australiana Qantas anunciou recentemente planos para um voo panorâmico de sete horas que fará um loop gigante em Queensland e Gold Coast, New South Wales e os remotos centros do interior do …

Barack Obama vai publicar um livro de memórias (mas só depois da eleições de novembro)

O livro de memórias do antigo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, só vai ser publicado depois das eleições presidenciais de novembro. Uma enxurrada de livros políticos chegou às prateleiras nas últimas semanas, no final da …

Confrontos em Londres entre polícia e opositores das restrições devido à pandemia

A polícia de Londres, Inglaterra, entrou hoje em confronto com manifestantes que protestavam contra as restrições que visam conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a agência Associated Press (AP), os confrontos ocorreram quando …

Milhares infetados por bactéria após fuga em fábrica farmacêutica chinesa

Milhares de pessoas no noroeste da China contraíram uma doença bacteriana depois de uma fuga que causou um surto numa biofarmacêutica no ano passado. De acordo com a CNN, que cita relatos dos media locais, mais …

Guardas da Revolução do Irão prometem vingar morte do general Soleimani

O chefe dos Guardas da Revolução, o exército ideológico do Irão, garantiu hoje que a morte do general Qassem Soleimani, alvo de um raide aéreo dos Estados Unidos, será vingada em “todos os seus implicados”. “Senhor …

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …

Portugal com 849 novas infecções por covid-19. Há 20.722 casos activos

Portugal registou 849 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mantendo-se a tendência de subida verificada nos dias anteriores. Mas o número de pacientes recuperados também não era tão alto desde Julho. O boletim da …

A Grândola Vila Morena abafou "a maior marcha alguma vez vista" do Chega

Com a Praça do Giraldo, em Évora, dividida por barreiras anti-motim, os participantes da concentração "Pela Liberdade" receberam os apoiantes do Chega de André Ventura ao som de "Grândola Vila Morena" e empunhando cravos vermelhos …

Pandemia assola Irão. EUA com mais 888 mortos. 19 países europeus bateram recorde de casos

Naquele que é o número mais elevado de casos diários desde abril, a Alemanha registou 2.297 novos contágios, 19 países europeus já ultrapassaram o recorde de casos do pico da pandemia. O Irão ultrapassou as …

Rangel "é um turista do carago". SMS atestam que Vieira usou Benfica em "benefício pessoal"

Luís Filipe Vieira é um dos acusados da Operação Lex, com o Ministério Público (MP) a alegar que o presidente do Benfica utilizou o clube em "benefício pessoal" para obter uma cunha do juiz Rui Rangel. O …