Primeiro critério foi a qualidade: Mundial 2022 sem árbitros portugueses

6

Hugo Delgado / Lusa

O árbitro de futebol Artur Soares Dias

Nenhum árbitro português estará no Qatar. Mulheres chamadas e também foi convocado um árbitro que acabou um jogo antes dos 90 minutos.

O Mundial de futebol 2022, no Qatar, não terá qualquer árbitro, nem vídeo-árbitro, português.

A lista foi divulgada pela FIFA nesta quinta-feira e não inclui qualquer representante da arbitragem portuguesa, algo que não acontecia desde o Mundial 2006.

Artur Soares Dias era o árbitro português que poderia integrar a lista dos 10 árbitros europeus que vão estar no Qatar no final deste ano. Como Soares Dias não foi convocado, automaticamente nenhum vídeo-árbitro português foi chamado.

“É uma notícia que nos deixa muito tristes”, começou por dizer Luciano Gonçalves, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, em declarações à rádio TSF.

“O que podemos fazer: podemos valorizar cada vez mais a arbitragem portuguesa (incluindo a comunicação social), podemos perceber o que estamos a fazer menos bem para isto não voltar a acontecer”, continuou.

Isto não pode voltar a acontecer. A arbitragem portuguesa tem de estar sempre presente nestas competições, os árbitros portugueses têm mais do que condições para estarem nestas competições”, assegurou o responsável pela arbitragem.

Pierluigi Collina, presidente da comissão de arbitragem da FIFA, explicou que o critério principal para as escolhas foi a qualidade dos árbitros.

A lista de 36 árbitros, 69 assistentes e 24 video-árbitros inclui Janny Sikazwe, o famoso da Zâmbia que terminou (duas vezes) um jogo antes dos 90 minutos, na Taça das Nações Africanas deste ano. Mais tarde foi anunciado que o árbitro estava desorientado devido a uma insolação.

Entre os nomes anunciados pela FIFA, destacam-se: Stephanie Frappart, Salima Mukansanga e Yoshimi Yamashita – as primeiras mulheres que vão dirigir jogos em Mundiais masculinos.

Na lista de árbitros-assistentes estão Neuza Back, Karen Diaz Medina e Kathryn Nesbitt.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

6 Comments

  1. Confesso que não sei porque tal espanto,temos uma classe baixa de árbitros o futebol é no que sabemos terceiro mundo,alguns jogadores com classe mas,estão todos lá fora orientados por clubes e treinadores com classe e não a miséria que temos cá na Tugaland.Infelizmente a imprensa cá do sítio também não ajuda pois é fraca e pouco profissional.Resumindo,está tudo como na política ou seja,não presta.

  2. Que surpresa!!!!

    Temos provavelmente das piores arbitragens do mundo!
    Graças a estes senhores do apito que:

    a) marcam todos e quaisquer contactos entre dois jogadores

    b) não punem simulações

    Por consequência, Portugal está no TOP 3 MUNDIAL em termos de menor tempo útil de jogo.

    E depois ficam muito admirados!

  3. O critério deve ter sido semelhante ao da escolha de um país manhoso como o Qatar para realizar um mundial da bola!…

    Para mim, que não ligo à bola, os árbitros ainda são a melhor coisa do futebol profissional português!…

  4. Como não temos arbitros no mundial? Estou espantado , até voltamos a apitar como antigamente, até demos um banho de ouro aos nossos apitos e não temos lá ninguém.? Deve haver algum engano. Marcamos penaltis ao mais pequeno toque ou mesmo sem qualquer toque , marcamos penaltis quando hà fora de jogo… Com tamanha qualidade porque raio não estamos lá? Será que por aqui se ganha mais dinheiro ? Só se a inflação aumentou muito os premios, antes eram envelopes com 500 contos e fruta e chocolate para dormir .. o que será agora ?

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.