Mulher condenada a 43 anos de prisão após ter criticado a monarquia tailandesa

Rungroj Yongrit / EPA

A ex-funcionária pública foi condenada por partilhar ficheiros áudio nas redes sociais, que continham duras críticas à monarquia da Tailândia. A sentença, proferida na terça-feira por um tribunal criminal em Banguecoque, foi de mais de 43 anos de prisão.

Anchan Preelerd foi acusada de divulgar ficheiros de áudio no Facebook e no YouTube, onde foram feitas críticas à monarquia do país. Inicialmente, a tailandesa tinha sido condenada a 87 anos, mas a pena foi reduzida após esta se declarar culpada.

Segundo o NYT, foi a mais longa sentença por violar a lei lesa-majestade da Tailândia, que criminaliza qualquer tipo de difamação a membros seniores da família real.

“O veredicto do tribunal é chocante e envia um sinal assustador de que não apenas as críticas à monarquia não serão toleradas, mas que também serão severamente punidas”, disse Sunai Phasuk, investigador da Human Rights Watch

A Tailândia viu um aumento nos casos de lesa-majestade desde o final do ano passado, depois de mais de dois anos em que a Seção 112 do código penal, que se refere às medidas a ser tomadas para todos os que criticarem os principais membros da realeza, não foi aplicada.

A pausa foi uma ordem do do rei Maha Vajiralongkorn, que queria que os processos fossem suspensos, segundo o primeiro-ministro Prayuth Chan-ocha.

Contudo, essa decisão foi tomada antes do surgimento de um movimento de protestos no ano passado, altura em que tanto o rei como o primeiro-ministro foram duramente criticados. Os manifestantes, que se reuniram em comícios de rua, pediram que a família real – uma das mais ricas do mundo – ficasse sob a jurisdição da Constituição da Tailândia.

Os tailandeses exigiram o escrutínio das finanças do palácio, já que o estilo de vida luxuoso do rei contrasta fortemente com a crise económica causada pela pandemia.

Nas últimas semanas, dezenas de tailandeses, incluindo adolescentes e estudantes, foram acusados ​​de violar a Seção 112. Porém, com os protestos liderados por estudantes a diminuir devido ao surto do novo coronavírus na Tailândia, vários grupos de direitos humanos garantem que o governo está a usar os tribunais para silenciar alguns dos manifestantes.

A Seção 112 do código penal considera o insulto ou difamação do rei ou dos seus parentes próximos, um crime punível entre 3 e 15 anos de prisão. Cada pena é contabilizada separadamente, o que explica a razão pela qual a pena de prisão de Anchan é tão longa.

A mulher foi considerada culpada em 29 aspetos diferentes.

Enquanto aguardava julgamento, Anchan esteve presa entre 2015 e 2018, de acordo com sua equipa jurídica. Pawinee Chumsri, um dos advogados, revelou que estava a planear um recurso, mas admitiu ter poucas esperanças.

  Ana Moura, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Homem budista a meditar

O tukdam - um estado mental "meio-morto" dos monges budistas - é o novo fascínio da ciência

Os monges budistas conseguem chegar a um estado de meditação tão profunda que não é detectada qualquer actividade cerebral. No Budismo no Tibete, há um conceito mítico conhecido como "thukdam" ou "tukdam". Acredita-se que este é …

Trofense 1-2 Benfica | Águias passam a rasar

O Benfica, da I Liga, venceu hoje o Trofense, da II Liga, por 2-1, no prolongamento, depois do 1-1 no tempo regulamentar, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue …

Como nasceu o mito dos vampiros? Mais doenças e menos Drácula

Os vampiros são um mito com séculos de história e que podem estar associados a doenças como a raiva e a pelagra — e não ao Drácula. O vampiro é uma imagem comum na cultura pop …

Edifícios impressos em 3D pelo exército norte-americano

Exército dos EUA pode agora imprimir edifícios de cimento em 3D em zonas de desastre

O objectivo da tecnologia é facilitar a construção de casas e pontes quando são precisas com urgência em zonas afectadas por catástrofes. O Corpo de Engenheiros do exército norte-americano pode agora imprimir quartéis, bunkers e outras …

Monumento Pillar of Shame, na Universidade de Hong Kong

Pillar of Shame foi, em tempos, um testemunho da liberdade de Hong Kong. Agora, dizem-lhe adeus

Em tempos, a escultura Pillar of Shame, plantada na Universidade de Hong Kong, foi um testemunho das liberdades da cidade. Agora, está a ser removida. Exposta há mais de 20 anos na Universidade de Hong Kong, …

Arquitetura em nome do amor. Homem constrói casa giratória para que a esposa possa escolher a vista

Na Bósnia, um autodidata de 72 anos construiu uma casa invulgar: a habitação gira 360 graus para mudar de vista. Algumas das mais bonitas obras arquitetónicas do mundo nasceram em nome do amor. É o …

Novo SEF deverá chamar-se Agência para as Migrações e Asilo

Afinal, já não vai haver um Serviço de Estrangeiros e Asilo (SEA) para substituir o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), mas sim uma Agência Portuguesa para as Migrações e Asilo (APMA). De acordo com o …

Pinto da Costa, presidente do FC Porto, com o guarda-redes Diogo Costa

Diogo Costa renova com o FC Porto até 2026

O guarda-redes Diogo Costa renovou contrato com o FC Porto até 2026, anunciaram os dragões, na tarde deste sábado. Diogo Costa, de 22 anos, aproveitou a lesão de Marchesín no início da temporada e assumiu a …

O algoritmo das plataformas de streaming afeta o que vemos (e quem somos)

As plataformas de streaming usam um algoritmo que afeta aquilo que vemos e o que queremos ver, moldando a nossa personalidade. Squid Game, o drama coreano distópico da Netflix, tornou-se a série mais vista lançada pela …

BPN e Banif custam mais do que alívio de IRS e subida de pensões

A despesa prevista no OE2022 para os veículos financeiros dos antigos Banif e BPN supera o valor previsto para medidas como o alívio no IRS e o aumento extra das pensões. Tal como destaca o Dinheiro …