“Estamos muito longe de vencer a crise.” Centeno lamenta demora dos fundos europeus

André Kosters / Lusa

O ex-ministro das Finanças e atual governador do Banco de Portugal, Mário Centeno

Para Mário Centeno, a Europa está “muito longe” de vencer a crise. O governador do Banco de Portugal considera ser necessário juntar estímulos orçamentais aos monetários para apoiar as economias.

Mário Centeno, antigo ministro das Finanças português e atual governador do Banco de Portugal (BdP), deu uma entrevista à Reuters na qual assume que a Europa deve ser “humilde” porque está “muito longe” de vencer a crise. Por esse motivo, considera ser necessário juntar estímulos orçamentais aos monetários para apoiar as economias.

Além de defender que a autoridade monetária europeia ainda “não esgotou” as possíveis ferramentas de apoio monetário, “sobretudo medidas que podem ser usadas em complemento a medidas do lado orçamental”, Centeno lamenta a demora da aprovação definitiva dos fundos de emergência e respetiva chegada às economias.

Para Mário Centeno, o processo está a “demorar mais tempo do que gostaríamos”. Ainda assim, o governador diz “confiar no processo europeu”.

Em relação às medidas de apoio monetário tomadas pelo BCE, nomeadamente o Plano de Compras de Emergência Pandémica, Centeno considera que foram “um sucesso”. Nos próximos trimestres, será mais claro o impacto favorável dessas medidas, realçou.

“Podemos ter esperança de que [os números da economia] no segundo e no terceiro trimestre irão demonstrar que a trajetória foi correta”, disse, referindo-se não só a criação deste programa de intervenção do BCE nos mercados de dívida, em março, mas também ao seu posterior reforço, no final de 2020.

Apesar disso, os líderes europeus têm de ser “humildes”. “A segunda e a terceira vaga da pandemia mostra que ainda estamos numa situação de emergência, longe de vencermos a crise e, por isso, temos de manter todas as nossas medidas ativas.”

Já quanto ao fim das moratórias e ao impacto desta medida na banca portuguesa, o antigo ministro das Finanças não antecipou que tal provoque um salto na quantidade de créditos problemáticos e mostrou-se tranquilo.

“Não temos sinais que isso possa acontecer”, afirmou, acrescentando que este “é um processo que depende muito de como a atividade económica for recuperando ao longo do ano”.

“Em 2020, os rácios de crédito malparado voltaram a cair em Portugal… Os bancos portugueses têm um nível de imparização muito grande destes créditos malparados”, afirmou.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

É a maior contração desde 1995. INE revê queda do PIB para 8,4%

A queda foi pior do que se esperava: o Produto Interno Bruto (PIB) recuou 8,4% e não 7,6%, indicam os recentes dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). O Produto Interno Bruto (PIB) caiu 8,4% em …

EUA aprovam terceira dose da Pfizer para maiores de 65 anos e grupos de risco

A Food and Drugs Adminustration (FDA) anunciou, na noite de quarta-feira, ter dado luz verde à administração de uma terceira dose da vacina da Pfizer em alguns casos. O organismo que regula a comercialização de medicamentos …

Estabelecimentos de Santos vão encerrar mais cedo. Psicólogos alertam que fim de restrições pode levar a excessos

Redução do horário é a solução encontrada pelos empresários para dar resposta à recente onda de criminalidade que se tem registado na zona de Santos. Especialistas em psicologia apontam o levantar das medidas de restrição, …

885 novos casos e cinco mortes. Internamentos continuam em queda

Portugal registou 885 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde. Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal registou, nas últimas …

Número de professores de informática é insuficiente para responder à procura

Aquela que poderia ser uma notícia positiva tem, na realidade, um contexto negativo, já que evidencia uma falha estrutural do sistema de ensino português. De acordo com as informações veiculadas pela Direção-Geral da Administração Escolar (DGAE), …

De olhos postos em Almada e com a aposta em Joana Mortágua, o Bloco volta a prometer passes a 20 euros

Em campanha em Almada com Joana Mortágua, a habitação e os passes sociais foram os temas em cima da mesa do Bloco de Esquerda. Depois de andar em campanha no Norte, o Bloco de Esquerda foi …

Brasil, EUA e Canadá. TAP prevê aumento de voos entre outubro e março

A TAP já está de olhos postos em novos voos para recuperar a sua operação no segundo semestre do ano e no inverno IATA – entre outubro e março. A empresa “espera progressos em termos de …

Vulcão, La Palma

Uma tragédia anunciada em Janeiro. Cinzas do vulcão de La Palma a caminho de Portugal

A lava do vulcão Cumbre Vieja continua a cobrir La Palma, nas Canárias, e já destruiu mais de 300 casas. Enquanto as cinzas vulcânicas se estão a deslocar para a Península Ibérica, surge a notícia …

Líder parlamentar do BE diz que Costa "transformou eleições numa caricatura"

O líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, afirmou na quarta-feira que António Costa transformou as eleições autárquicas de 26 de setembro numa “caricatura”, considerando que o primeiro-ministro “vai a todo o lado prometer tudo”. O …

Estalou o verniz entre a UEFA e a FIFA. Órgão Europeu critica Mundial a cada dois anos e admite boicote

A UEFA aponta vários riscos associados ao aumento da frequência do Mundial, como a perda de importância dos torneios femininos e juvenis, o impacto no calendário das outras competições e os efeitos na saúde dos …