“Uma morte horrível”. Suspeitas de erro clínico no caso de mulher atacada por bode

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) abriu um inquérito à morte de uma mulher de 81 anos que foi atacada por um bode. Há suspeitas de que houve um erro clínico, com uma alegada troca de sangue.

O processo de inquérito foi aberto com carácter de urgência para determinar as causas da morte de uma mulher de 81 anos, após ter sido atacada por um bode.

O CHMT anuncia que se pretende “apurar as causas da ocorrência, as consequências da mesma e a responsabilidade dos intervenientes“, conforme uma resposta enviada à agência Lusa.

A mulher terá sido atacada há três semanas por um bode, na freguesia do Pego, em Abrantes, e encaminhada para o hospital.

No entanto, “não terá morrido na sequência dos ferimentos causados pelo animal, mas sim devido à troca de sangue que lhe foi administrado”, segundo avança o Jornal de Notícias, que cita fonte hospitalar.

O erro terá ocorrido nas Urgências do Hospital de Abrantes, onde a mulher foi assistida, como nota o Correio da Manhã (CM).

A sobrinha da vítima conta a este jornal que a idosa “teve uma morte horrível”. “Sofreu muito e ficou toda partida”, refere.

Contactado pela Lusa, o CHMT “não confirma a causa da morte por administração de sangue errado” e remete conclusões para o resultado do inquérito.

O Centro Hospitalar do Médio Tejo agrega os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas, no distrito de Santarém.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.