Morte da criança de seis anos que testou positivo pode ter sido causada por um engasgamento. PGR abre inquérito

4

Giuseppe Lami / EPA

A equipa que atendeu o menino nas urgências notou vestígios de vómitos e engasgamento, mas não conseguiu determinar se isso terá acontecido antes ou depois da criança ter entrado em paragem cardiorrespiratória.

Segundo avança o Expresso, a equipa que assistiu o menino de seis anos que morreu no domingo no Hospital de Santa Maria depois de testar positivo para a covid-19 supõe que a criança tenha morrido com um engasgamento.

Sem qualquer histórico de doenças, a criança entrou nas urgências durante a tarde de sábado sem batimento cardíaco e sem respirar.

O Infarmed está a investigar o ocorrido e foi colocada a hipótese da morte ter sido causada por uma reacção adversa à vacina, visto que o menino tinha levado a primeira dose uma semana antes, mas ainda não há confirmação da razão do óbito.

A equipa que estava a trabalhar nas urgências notou ao entubar a criança que esta tinha vestígios de vómito e engasgamento, mas não conseguiu ter a certeza se esta obstrução teria ocorrido antes ou depois da paragem cardiorrespiratória.

Os cardiologistas entrevistados pelo Expresso afirmam também que não é comum haver vómitos já depois do coração parar de bater. A criança foi transportada pela família para o hospital depois do pai ter encontrado o filho inanimado e afirmar que tentou contactar o INEM. A criança estava infectada com covid-19 e tinha 38ºC de febre.

O INEM adianta que não tem registo da chamada mas explica que “a central 112 pode não ter logo atendido ou não ter conseguido transferir o pedido de socorro para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes, que aciona os meios, e a chamada ter sido desligada pelos pais”.

A morte foi notificada às autoridades de saúde visto a proximidade com a toma da vacina e foi pedida uma autópsia urgente. Apesar de ainda não haver registos de casos fatais de miocardite entre os oito milhões de crianças que foram inoculadas em todo o mundo, já houve alguns casos raros causados pela infecção em si.

Entretanto, a Procuradoria-Geral da República também abriu um inquérito à morte do menino. A informação foi confirmada pelo Ministério Público à TSF.

  ZAP //

4 Comments

  1. do original do expresso: ” Ainda assim, cardiologistas pediátricos disseram ao Expresso que, normalmente, não há vómito após o coração parar de bater e a respiração ser suspensa”

    como e’ que isto se transforma em “afirmam também que é comum haver vómitos (…)” na vossa noticia?

    invertem, subvertem e revertem a frase, sem se darem ao trabalho de tomar 30s para ver o que fizeram?!?!?! nem vale a pena bater mais……

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE