Morreu Koko, a gorila que falava e adorava gatos

The Gorilla Foundation / Koko.org

Koko era conhecidoa pelas suas capacidades sociais. Aprendeu linguagem gestual com a tratadora “Penny” Patterson

A mais famosa gorila do mundo, morreu na terça-feira durante o sono na Califórnia, EUA. Conhecida pelas suas capacidades comunicativas, Koko, de 46 anos, mudou completamente a nossa perceção sobre a inteligência dos primatas e as suas capacidades emocionais. 

“Koko chegou a milhões de pessoas como embaixadora de todos os gorilas e um ícone de comunicação e empatia entre espécies. Ela foi amada e deixará saudades”, disse nesta quinta-feira Gorila Foundation num comunicado citado pela EFE

A gorila, nascida no zoológico de São Francisco em 4 de julho de 1971, tinha um “extraordinário domínio da linguagem de sinais e era a principal embaixadora de sua espécie em perigo de extinção”, acrescentou a fundação dedicada à proteção da espécie e segurança do animal.

Desde cedo, Koko, também conhecida como “a gorila mais inteligente do mundo“, impressionou pelas suas capacidades de aprendizagem de sinais e comunicação com os humanos. Koko usava mais de 1 000 sinais da linguagem gestual americana para tentar comunicar com os seus tratadores.

A pesquisadora Francine “Penny” Patterson com a especialista em linguagem de sinais June Monroe trabalharam com a gorila, que rapidamente aprendeu a linguagem, conseguindo comunicar com as tratadoras. Koko era capaz de informar os visitantes do zoológico – através de língua gestual – para que não a alimentassem.

A gorila não usava sintaxe nem gramática, sendo o seu nível de comunicação equivalente a uma criança de 3 anos. Ainda assim, Koko era capaz de falar de objetos que não estavam próximos e mostrava ter boa memória, ao ponto de se referir a acontecimentos passados em décadas anteriores, segundo relata a HypeScience.

Ao longo de décadas, Koko mostrou vontade em ser mãe, mas nenhuma das suas tentativas para engravidar deu certo. Para que a gorila tivesse a oportunidade de passar por uma experiência semelhante à maternidade, Koko adotou vários gatos, que cuidou sempre com muito carinho.

Com apenas 5 anos, Koko já era um nome familiar, tendo aparecido por duas vezes na capa da revista National GeographicEm 1978, numa capa na qual a própria capturava uma fotografia sua ao espelho. Anos depois, em 1985, fez também capa com uma foto na qual cuidava do seu gato de estimação.

Koko tinha também alguns amigos bastante famosos. Durante a sua vida recebeu a visita de algumas celebridades, como Robin Williams, que a visitou em 2001. Durante este encontro, a empatia foi notória, tendo Koko experimentado os óculos do ator.

Em 2014, depois de saber da morte de Robin Williams, a gorila chorou e ficou “quieta” e “pensativa” o resto do dia. O ator, vencedor de um Óscar, era presidente honorário da The Gorilla Foundation e descrevia Koko como uma gorila “inesquecível”.

A Fundação garantiu  que honrará a memória e o “legado” do primata com projetos já em curso que incluem um santuário para gorilas em Maui, no Havaí, a conservação da vida selvagem na África, bem como o desenvolvimento de uma aplicação sobre a linguagem através de sinais.

Koko mudou para sempre a forma como vemos e compreendemos os gorilas, tendo também conseguido alertar o mundo para a importância de preservar estes animais e os seus habitats.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

João Félix é exigência de Guardiola no Manchester City

O campeão inglês, Manchester City, estará interessado na contratação de João Félix. O jovem de 19 anos está blindado por uma cláusula de rescisão de 120 milhões de euros. Depois de entrar na lista dos 23 …

Greve dos anestesistas no Amadora-Sintra adia 300 cirurgias

Os médicos anestesistas do Hospital Amadora-Sintra terminam esta sexta-feira às 20h00 uma greve de cinco dias para exigir a contratação de mais especialistas e reclamar condições de segurança clínica. A paralisação no Hospital Fernando Fonseca, que …

“No que depender do Governo”, a rede Multibanco vai continuar gratuita, garante Centeno

"No que depender do Governo, vai continuar gratuita para os portugueses" a utilização das caixas multibanco, cuja gratuitidade foi questionada recentemente por alguns líderes dos bancos. O ministro das Finanças, Mário Centeno, garantiu esta sexta-feira que …

Protecção Civil pagou combustível para participar em novela da SIC

A SIC não pagou qualquer valor pelo empréstimo de meios da Protecção Civil para as filmagens de uma novela que está a ser produzida pelo canal. A Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) …

Liderança do Montepio pode voltar a mudar

Uma nova reviravolta na administração do Banco Montepio pode estar prestes a acontecer. Carlos Tavares, atual presidente da administração com poderes não executivos, pode voltar a ser presidente executivo deste banco. Se isso acontecer, Dulce Mota …

Berardo era peça na "estratégia" de Sócrates para dominar a banca

Em entrevista ao Jornal Económico, o empresário Patrick Monteiro de Barros defende que Joe Berardo foi uma das pessoas de quem José Sócrates se serviu para dominar a banca. Patrick Monteiro de Barros disse, em entrevista …

BCE arrasa propostas de Centeno. Reforma coloca em risco independência do BdP

O Banco Central Europeu teceu duras criticas às propostas de Centeno para a reforma da supervisão financeira em Portugal. O BCE admite que a independência do Banco de Portugal poderia ficar em risco. Depois da Comissão …

#MeToo. Acordo de 40 milhões para evitar processo contra Harvey Weinstein

O antigo produtor de Hollywood Harvey Weinstein terá chegado a um acordo no valor de 44 milhões de dólares (cerca de 40 millhões de euros) em indemnização com dezenas das suas vítimas, de forma a …

Paulo Sande, cabeça de lista do Aliança, recebeu salário de Belém. Mas vai devolver

O cabeça de lista do Aliança decidiu devolver o vencimento que lhe foi pago este mês pela Presidência da República enquanto assessor político de Marcelo Rebelo de Sousa. Paulo Sande começou por gozar uma licença sem …

Trump quer vender armas à Arábia Saudita sem aprovação do Congresso

Uma grande venda de bombas à Arábia Saudita pode estar na mira da Administração Trump. O Presidente dos Estados Unidos quer fintar o Congresso norte-americano e desbloquear 6,3 mil milhões de euros em vendas.  O jornal …