Montenegro conta com Rio para deputado se for eleito líder do PSD

José Coelho / Lusa

O ex-líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro

O antigo líder parlamentar, que é agora candidato à liderança do PSD, disse que se for eleito presidente do partido, contará com os 79 deputados sociais-democratas à Assembleia da República, incluindo o atual líder, Rui Rio.

“No dia 12 de janeiro, quando já for presidente do PSD, contarei com os 79 deputados, incluindo o Dr. Rui Rio, que é um deputado qualificado que poderá ajudar o PSD no futuro”, disse, esta quarta-feira, Luís Montenegro em declarações à agência Lusa, no âmbito de uma visita ao Politécnico de Leiria e à Nerlei – Associação Empresarial de Leiria.

Recusando-se a fazer uma avaliação à prestação do atual presidente do PSD enquanto líder da bancada, Montenegro adiantou, contudo, que “respeita” e “compreende” que Rio tenha optado por assumir as funções de presidente do grupo parlamentar “de forma transitória, até à clarificação interna que vai ocorrer após as eleições”.

“Espero que cumpra o papel de representação dos eleitores e dos interesses do PSD no Parlamento. Isso é uma ação que deve desempenhar no cumprimento do mandato que o povo lhe deu nas últimas eleições, ele e os outros 78 deputados que o acompanham na nossa bancada parlamentar”, acrescentou o candidato a líder do PSD.

Montenegro considerou ainda que o PSD “tem que fazer, cada vez mais, um esforço de diferenciação relativamente àquilo que é o Governo socialista, comunista e bloquista, que, fruto desta configuração tripartida, está a contribuir para a estagnação social e económica do país”.

Defendendo a “apresentação de ideias alternativas” por parte do PSD, para que “possam ser uma força motora muito mais potente para o desenvolvimento”, o candidato apontou que é “preciso apostar mais nas empresas, ter uma fiscalidade mais previsível” e “uma competitividade fiscal melhor, quer do ponto de vista dos impostos sobre as pessoas e sobre as famílias quer do ponto de vista dos impostos sobre as empresas”.

“Os outros crescem mais do que nós por alguma razão. Crescem mais, porque têm uma maior atratividade para o investimento. Estamos com uma situação de ficção nacional à volta da qual parece que está tudo bem”, mas, sublinhou, o país está a “perder tempo”.

Montenegro sublinhou que o PSD tem de transmitir às pessoas que não vai “arrumar a casa que os socialistas vão desarrumar”, mas vai “fazer melhor”. “Estamos aqui para ter maior crescimento, porque trará mais justiça e mais oportunidades, mais sustentabilidade e desenvolvimento”, destacou.

Ser candidato “é assumir uma responsabilidade”

Luís Montenegro justificou a sua visita a Leiria com o objetivo de “conhecer com a maior proximidade a realidade do país e interagir com os agentes políticos partidários”, mas também com os “agentes cívicos, sociais e, no caso, ligados ao setor chave da sociedade: economia e educação e qualificação”.

“Ser candidato do PSD não é pura e simplesmente estar a ser escolhido pelos militantes de um partido. É assumir uma responsabilidade perante a sociedade e as pessoas”, acrescentou, realçando que o Politécnico de Leiria é “uma força muito grande no ensino universitário em Portugal” e que dá “um contributo muito positivo para o equilíbrio regional e para a distribuição territorial das oportunidades”.

O candidato frisou ainda estar “numa das regiões mais dinâmicas do país, com uma diversidade de setores de atividade económica muito significativa, com uma vontade muito grande de inovar, de estar no centro do desenvolvimento”.

Além Montenegro e do líder, Rui Rio, é anunciou também concorrer à liderança do PSD o vice-presidente da Câmara de Cascais Miguel Pinto Luz, não sendo ainda conhecidos outros candidatos. As eleições diretas estão marcadas para 11 de janeiro de 2020.

“Acho que era capaz de conseguir derrotar Costa”

Em entrevista ao Público e à Renascença, o candidato à liderança do PSD mostrou-se convencido de que, se tivesse ganho as eleições internas em janeiro e tivesse liderado o PSD a partir daí, tinha conseguido derrotar António Costa. “Acho que era capaz de o conseguir fazer. Sem dúvida”.

Mesmo com o discurso das contas certas do PS, Montenegro diz que o PSD poderia ter ganho ao PS nas Legislativas de outubro. “Nós temos contas certas, e isso é bom mas temos uma fatura muito grande para pagar e muito maior do que aquela que estávamos a recuperar o país da troika e da bancarrota”.

“Nós hoje temos contas certas à conta de quê? Da maior carga fiscal de sempre e do maior desinvestimento dos serviços públicos de sempre. É com um Governo de esquerda que os serviços de saúde atingiram o seu pior desempenho de sempre, uma política social desestruturante. Ao mesmo tempo que, ironicamente, o setor privado, atingiu ganhos que nunca tinha atingido noutra legislatura”.

Questionado sobre como é que vai devolver o “D” ao PSD, Montenegro diz que isso significa “dar nova dinâmica, mais determinação e diferença face ao PS. O PSD não pode ser uma espécie de Partido Socialista número dois, uma espécie de bengala sempre à disposição do PS quando este não consegue o apoio do PCP e do BE, que são os parceiros preferenciais de aliança política, como está refletido nos últimos quatro anos e já no início desta governação. Não temos de esperar pelo PS porque o PS não quer governar com as nossas ideias. O país e a democracia precisam de uma alternativa política”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

Arqueólogos descobrem esqueleto que acreditam pertencer a guerreiro anglo-saxão

Uma equipa de arqueólogos desenterrou um esqueleto que parece ter pertencido a um guerreiro anglo-saxão. Os especialistas dizem que a descoberta lança uma nova luz sobre a ascensão e queda das tribos locais. O esqueleto foi …

Ana Rita Cavaco ataca plano de inverno (e duvida que Marcelo "tenha ficado mais sossegado")

Ana Rita Cavaco reuniu-se com Marcelo Rebelo de Sousa, mas duvida que o Presidente tenha ficado mais tranquilo após ter ouvido os representantes do setor da Saúde, no Palácio de Belém. Ana Rita Cavaco, presidente da …

Nuno Mendes, "hábil como Ronaldinho"

  Portal conceituado destaca o jovem lateral do Sporting e cita Cristiano Ronaldo... várias vezes. Gigantes europeus atentos à evolução do jogador. Nuno Mendes é o foco de um artigo do portal Goal, embora Ronaldo (e Ronaldinho) …

Irão e Rússia estarão a tentar interferir nas presidenciais dos EUA

O diretor nacional dos serviços de informação dos Estados Unidos disse na quarta-feira que Irão e Rússia obtiveram informações dos eleitores norte-americanos e que estão a tentar interferir nas eleições presidenciais de 3 de novembro. "Queremos …

Cientistas revertem a doença de Parkinson em ratos

Uma equipa de cientistas conseguiu reverter totalmente a doença de Parkinson em ratos. Os animais deixaram de apresentar sintomas e recuperaram neurónios. A doença de Parkinson resulta da redução dos níveis de uma substância que funciona …

Entrevista a Carlos Cueva, autor de estudo inédito sobre os jogos à porta fechada

Carlos Cueva, 34 anos e professor na Universidade de Alicante há seis anos. Estudou em Inglaterra, onde completou um doutoramento em Economia. O ensino e a investigação ocupam o seu tempo. É especialista em investigação …

Ministro da Saúde do Brasil infetado com covid-19

Eduardo Pazuello, ministro da Saúde brasileiro, está infetado. Também esta quarta-feira, o governante foi admoestado por Jair Bolsonaro, que negou haver intenção do Brasil comprar 46 milhões de doses de vacina chinesa. O ministro da Saúde …

PSD vai votar contra o OE2021. PS acusa Rio de abandonar defesa do "interesse nacional"

O secretário-geral adjunto socialista disse esta quarta-feira que não surpreende o voto contra do PSD à proposta de Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), considerando, no entanto, que Rui Rio “deixou cair” o valor do …

As vacas preferem interagir cara a cara com as pessoas. Ficam mais relaxadas

Um novo estudo descobriu que as vacas preferem interagir com os seres humanos cara a cara e que ficam os animais ficam mais relaxados com este tipo de interação do que quando ouvem uma voz …

Marcelo promulga diploma que reduz debates europeus para dois por semestre

O Presidente da República promulgou o diploma aprovado por PS e PSD que reduz os debates europeus no parlamento para dois por semestre, depois de ter vetado uma primeira versão que previa apenas um por …