/

O Monte Branco está mais pequeno — e assim tem vindo a ficar desde 2001

TRAILSOURCE.COM / Flickr

Monte Branco, Chamonix’

Geógrafos que participaram na expedição pedem agora aos climatólogos e outros especialistas da área que ajudem a explicar o fenómeno.

É uma prática recorrente. De dois em dois anos, um grupo de geógrafos aventura-se pela que é uma das montanhas mais alta da Europa para a medir. O seu objetivo é, para além da medição, a criação de um modelo do gelo que ali existe, mas também a recolha de informação precisos que são posteriormente introduzidos numa base de dados que será disponibilizada a todos os especialistas. No entanto, a expedição deste ano, realizada no início do mês de setembro permitiu aos geógrafos constatar uma realidade que já suspeitavam.

O Monte Branco, no centro dos Alpes franceses, está mesmo a diminuir. Em 2017, data do último registo divulgado, a montanha media algo como 4,808.72 metros, ao passo que atualmente mede 4,807.81 metros. De acordo com os geógrafos, estima-se que anualmente o decréscimo se cifre nos 13 centímetros desde 2001 – em 2007, a montanha media 4,810.90 metros.

“Agora cabe aos climatologistas, aos glacialogistas e aos outros cientistas olhar para todos os dados recolhidos e construir teorias que expliquem este fenómeno”, afiançaram os geógrafos numa conferência de imprensa dada esta quarta-feira na localidade de Saint-Gervais-les-Bains, perto da montanha, refere o The Guardian.

As medições, reconhecem os especialistas, podem ser incertas, já que terá que ser tida em consideração a permanente camada de neve que povoa a montanha, acumulando-se em altitude, e que varia consoante os ventos e a precipitação. A componente rochosa da montanha, estima-se, medirá cerca de 4,792 metros.

Como referido, as medições ocorrem de dois em dois anos, mas nem todos as medidas são divulgadas pelos geógrafos. Na conferência de imprensa, também foi explicado o porquê de as “excecionalmente baixas” medições de 2019, 4,806.93 metros, não terem sido publicadas mais cedo. Segundo a justificação, a leitura e análise da informação deve ser feita com a devida moderação, pelo que foi decisão do grupo esperar pelas medições de 2021 para conseguir mais “explicações científicas”.

Ao contrário dos anos anteriores, a expedição aconteceu com condições meteorológicas “excecionais“, o que permitiu a medição mais realista da altura do Monte Branco até à data, acrescentaram os geógrafos, apelando, ainda assim, a que não se tirem, a partir dos dados recolhidos, conclusões precipitadas, já que apenas existem dados que permitam traçar comparações desde 2001.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE