Em momento “de vida ou morte” da empresa, Huawei tenta evitar despedimentos

Rungroj Yongrit / EPA

O fundador da Huawei, Ren Zhengfei, escreveu na segunda-feira um comunicado interno no qual admite que a empresa está “num momento de vida ou morte” e pediu aos funcionários que não estão com muito trabalho para criarem “esquadrões de comando”.

Segundo avançou a Bloomberg, citada pela Rádio Observador na terça-feira, o objetivo destas equipas é que explorem novos projetos e ideias. Caso falhem, vão sofrer cortes sucessivos nos salários e podem ser despedidos.

Na segunda-feira os Estados Unidos (EUA) estenderam por mais 90 dias a suspensão do embargo imposto à Huawei. Este embargo, que foi decretado em maio pelo governo norte-americano e pôs a empresa numa “lista negra”, proíbe negócios com empresas no país.

Se a medida entrar em pleno vigor, a empresa chinesa vai ficar impossibilitada de continuar parcerias estratégicas em solo americano. Ou seja, tem de cessar a relação que tem com tecnológicas como a Google, que é responsável pelo sistema operativo móvel mais utilizado, o Android, ou fabricantes de chips como a Intel ou a Qualcomm.

Assim, a Huawei, que foi reconhecida em 2018 como a segunda maior fabricante de telemóveis do mundo, ultrapassando a Apple (no topo está a Samsung), pode ter inviabilizado o negócio de venda e criação de ‘smartphones’.

Além disto, a Huawei é, atualmente, uma das principais empresas que a vender componentes e antenas para a criação de redes 5G, a próxima geração de infraestruturas móveis. Com os EUA a afirmarem que a mesma utiliza os seus produtos para espiar a favor do governo chinês – e países como o Japão, Austrália ou Nova Zelândia a também imporem medidas restritivas à empresa -, o negócio de venda e desenvolvimentos destes componentes pode também ficar inviabilizado.

scottsykes / Flickr

O fundador da Huawei, Ren Zhengfei

“[Os trabalhadores com pouco trabalho] ou formam um ‘esquadrão de comando’ para explorar novos projetos – que pode fazer com que sejam promovidos a líder de comando, se forem sucedidos, ou podem encontrar trabalhos no mercado interno. Se falharem em encontrar um novo papel, os seus salários vão ter cortes a cada três meses”, escreveu Ren Zhengfei num comunicado interno.

A extensão da suspensão do embargo pode ter empurrado para novembro uma decisão final sobre este impasse entre a Huawei e os EUA, mas o governo norte-americano parece convicto em efetivar esta medida, naquilo que pode ser mais um episódio da guerra comercial com a China. Em maio, quando foi emitido o decreto que colocou a empresa na “lista negra”, esta já estava impossibilitada de vender ‘smartphones’ nos EUA.

Como referiu a Bloomberg, o impacto desta incerteza quanto ao futuro da empresa, mesmo que não avance, pode ser “doloroso” para as suas receitas a médio e a longo prazo.

Recentemente, a Huawei apresentou um sistema operativo próprio que poderá ser utilizado em futuros ‘smartphones’, – o que já era um rumor há vários meses. Contudo, sem a certeza de que a empresa poderá utilizar todos os recursos do Android, neste segmento terá de voltar a convencer muitos consumidores se avançar com este sistema operativo.

Só este ano, a empresa estima que vai vender menos 60 milhões de equipamentos, informou o mesmo meio. Este segmento de produtos para consumidores da Huawei representou cerca de 45% das receitas em 2018 e é considerado pela gigante chinesa um sector essencial para o seu futuro.

Quanto ao 5G, a empresa tem celebrado contratos em vários países, mas com concorrência cada vez mais apertada de outras empresas de telecomunicações, como a Ericsson.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Crianças e adolescentes são quem mais consome açúcar em Portugal

Um estudo do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), que teve por base o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física, concluiu que as crianças e os adolescentes são quem mais consome …

A Rússia já sabe como apareceu a fissura na nave Soyuz (mas não revela)

A Corporação Espacial Estatal da Rússia, Roscosmos, já sabe qual é a origem da fissura encontrada há um ano na nave Soyuz MS-09, acoplada à Estação Espacial internacional. Mas não revelará mais informações. "O buraco foi …

SIVRAC, a bicicleta elétrica que se dobra em apenas um segundo

Com um quadro em forma de "X" e dobrável num estalar de dedos, a nova SIVRAC promete ser uma solução prática para quem viaja, por exemplo, de bicicleta para o trabalho. A bicicleta é um …

Porto 2-1 Young Boys | Dragão de duas faces com estreia feliz

O FC Porto entrou na Liga Europa com o pé direito, ao vencer o Young Boys por 2-1, no Estádio do Dragão. Uma primeira parte de enorme qualidade, na qual os suíços só por uma …

Dois turistas foram apanhados a nadar nus em Veneza. Vão pagar 3 mil euros cada um

Os homens checos estavam em Itália para apoiar a sua equipa de futebol - o Slavia de Praga que jogou contra o Inter em Milão -. Os dois visitantes, em Veneza, decidiram dar um mergulho. Um …

Voar sobre as águas do Sena. Paris testa "bolha do mar", um barco-táxi amigo do ambiente

Paris está a testar um novo meio de transporte mais amigo do ambiente: um barco-táxi ecológico que desliza nas águas do rio Sena. Esta semana, o sea bubble (bolha do mar) está em testes no rio …

Há uma "Matilde" na Bélgica que também precisa do medicamento mais caro do mundo

Mais de 950 mil belgas responderam ao apelo de um casal, que precisava de reunir 1,9 milhões de euros para comprar o medicamento mais caro do mundo para a filha. Pia, de nove meses, sofre de …

System of a Down confirmados no festival VOA, no Estádio Nacional

Os System of a Down são a primeira grande confirmação do VOA - Heavy Rock Festival, que em 2020 se realiza a 2 e 3 de julho no Estádio Nacional. De acordo com a Blitz, este …

PSV 3-2 Sporting | “Leão” vendeu cara uma derrota injusta

O Sporting iniciou a sua participação na fase de grupos da Liga Europa com uma derrota amarga na Holanda, na visita ao PSV, por 3-2. Seis minutos fatais na primeira parte deixaram os “leões” em desvantagem …

Políticos da Coreia do Sul estão a rapar o cabelo (e já se sabe porquê)

Políticos da oposição na Coreia do Sul estão a rapar o cabelo em protesto contra a nomeação de um ministro da Justiça cuja família está a ser investigada por suspeita de irregularidade. O vice-presidente do parlamento, …