Moldávia, que quer ser membro da UE, aprova Natalia Gavrilita como primeira-ministra

Dumitru Doru / EPA

Moldávia aprova Natalia Gavrilita como primeira-ministra

Natalia Gavrilita foi proposta para o cargo de primeira-ministra pela Presidente Maia Sandu. A candidata oficial foi aprovada por 61 dos 94 participantes na votação.

A ex-ministra das Finanças da Moldávia, Natalia Gavrilita, proposta para o cargo de primeira-ministra pela Presidente Maia Sandu, foi aprovada esta sexta-feira por maioria parlamentar no país.

A nova chefe de governo defendeu a sua proposta de reorganização estatal, assinalando que, apesar do número de ministérios passar de nove para 13, “o número de empregados não vai aumentar” porque o executivo não quer “aumentar a despesa”.

Economista e com experiência em governança e desenvolvimento, Gavrilita disse que “cada ministro apresentará uma lista de prioridades, de pessoal necessário” e será feita a reorganização das entidades, cujo trabalho, considerou, exige uma abordagem mais profissional.

“Confio nesta equipa. Um dos critérios utilizados na escolha foi a honestidade. São as pessoas mais indicadas para estes cargos, são pessoas com experiência e respeitadas pelas suas atividades”, declarou.

Gavrilita, que foi ministra das Finanças quando Sandu foi primeira-ministra da Moldávia, entre junho e novembro de 2019, foi designada no final de julho pela Presidente para dirigir o governo na sequência das legislativas antecipadas no início do mesmo mês que deram a maioria absoluta ao (Partido Ação e Solidariedade) PAS da europeísta chefe de Estado.

A Presidente Maia Sundu tem avançado uma série de esforços com vista à Moldávia se tornar membro da União Europeia (UE)

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE