Misterioso vírus recentemente descoberto desafia evolução

Cientistas japoneses descobriram um novo tipo de vírus que pode desafiar e redefinir a nossa compreensão dos vírus e do processo como se espalham e propagam.

Uma equipa de cientistas da Universidade de Agricultura e Tecnologia de Tóquio (TUAT) encontraram um vírus que desafia tudo o que pensávamos que sabíamos sobre estes agentes infecciosos. O artigo científico foi publicado recentemente na Infection, Genetics and Evolution.

Ao contrário de outros organismos, os vírus não têm células. A falta de anatomia celular torna os vírus muito difíceis de classificar do ponto de vista biológico. Mas, apesar de toda a ambiguidade, existe algum consenso sobre o que constitui um vírus: uma partícula composta por material genético (ácido nucleico), envolto numa membrana de proteína que pode infetar algum tipo de célula e, uma vez dentro, replicar-se.

Contudo, o vírus agora descoberto por cientistas da TUAT desafia esta interpretação. “O vírus recombinante que encontramos neste estudo não possui proteínas estruturais“, explica o virologista Tetsuya Mizutani. “Isto significa que o vírus recombinante não pode produzir uma partícula viral.”

A equipa encontrou este misterioso vírus nas fezes de porcos. Trata-se de um tipo de enterovírus G (EV-G), que pertence à família dos Picornaviridae.

Vários tipos de EV-G foram previamente identificados pelos cientistas. No entanto,os investigadores japoneses encontraram uma variante “defeituosa” com genes desconhecidos no lugar das proteínas estruturais virais que os vírus EV-G geralmente exibem.

Segundo o ScienceAlert, isto significa que a nova descoberta – chamada EV-G tipo 2 – não seria capaz de invadir uma célula hospedeira sozinha. Isto levanta a questão: se não se consegue propagar, como é que existe?

A equipa sugere que uma possível explicação é que o EV-G recombinante “defeituoso” pode explorar outro vírus – chamado vírus auxiliar – que pode emprestar proteínas estruturais virais para ajudar o EV-G tipo 2 a disseminar-se. Para apoiar esta tese, os cientistas encontraram quantidades semelhantes dos genomas EV-G recombinantes do tipo 1 e do tipo 2 nas fezes de porcos analisadas.

“Como o EV-G recombinante do tipo 1 foi detetado na mesma amostra de fezes que o novo EV-G recombinante do tipo 2, esse EV-G recombinante do tipo 1, que pertence a [um] subtipo diferente, pode ter servido como vírus auxiliar“, explicam os investigadores.

A equipa sugere, então, que o vírus explora outros vírus tanto para se transportar como para ajudar a infetar alvos hospedeiros. No entanto, será necessária investigação adicional para perceber este fenómeno ao pormenor.

Ainda assim, esta descoberta pode mudar a nossa compreensão sobre os vírus em geral. Além disso, a descoberta do vírus “defeituoso” pode também abrir novas portas no combate a uma das maiores ameaçadas biológicas da humanidade.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Coreia do Norte anuncia "teste muito importante" em local de lançamento de mísseis

A Coreia do Norte anunciou ter realizado um "teste muito importante" no local de lançamento de mísseis de longo alcance, defendendo que terá um efeito fundamental na futura posição estratégica do país. A Agência Central de …

Balas que assassinaram John F. Kennedy preservadas em modelo 3D

A partir do próximo ano, os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos vão disponibilizar, no seu catálogo online, imagens 3D das balas que assassinaram o antigo presidente norte-americano John F. Kennedy. Para criar os modelos das …

Pela primeira vez, neurónios artificiais foram criados para curar doenças crónicas

Uma equipa de investigadores conseguiu recriar as propriedades biológicas dos neurónios em chips, que podem ser úteis ajudar na cura de doenças neurológicas crónicas. Naquele considerado um feito única na ciência, investigadores da Universidade de Bath …

Cientistas encontram uma relação negativa "muito forte" entre inteligência e religiosidade

Uma equipa de investigadores sugere que pessoas religiosas tendem a ser menos inteligentes do que pessoas sem crenças religiosas. O estudo tem gerado uma grande controvérsia. A religião é um tema forte, capaz de juntar ou …

Descoberta nova espécie de tubarão pré-histórico que podia chegar aos sete metros

Uma nova espécie de tubarão pré-histórico foi descoberta no Kansas, nos Estados Unidos. Este predador podia crescer até quase sete metros de comprimento. De acordo com a revista Newsweek, Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, e Michael …

Conhecido medicamento para diabetes pode conter um carcinógeno

A Food and Drug Administration, agência federal e reguladora do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, está a testar amostras de metformina, um medicamento para diabetes que pode conter o carcinógeno N-Nitrosodimetilamina …

Nobel da Física diz que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra

Didier Queloz disse, este sábado, estar convencido de que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra, razão pela qual está "zangado" com alguns argumentos do cofundador da Tesla, Elon Musk. Os suíços …

Ford está a reciclar palha de café do McDonald's. Quer transformá-la em peças de carro

https://vimeo.com/377768195 A Ford está a fabricar peças de carro através de palha de café reciclada do McDonald's. A iniciativa contribui para a redução da pegada ecológica e do desperdício alimentar. O combate às alterações climáticas cabe um …

Comité da ONU preocupado com condições das prisões em Portugal

As condições de detenção, a sobrelotação das prisões, o alegado uso da força e outros abusos contra pessoas pertencentes a grupos raciais e étnicos são as principais preocupações do Comité da ONU contra a Tortura …

Cientistas identificaram organismo que prospera ao comer meteoritos

O micróbio Metallosphaera sedula tem uma propensão para comer minerais. E não estamos a falar de granito ou giz, mas de rochas muito mais especiais como meteoritos. Segundo o Science Alert, uma equipa internacional de cientistas …