Cientistas tentam resolver mistério da antimatéria com o da matéria escura

Uma equipa internacional de cientistas tentou, pela primeira vez, perceber se a falta de antimatéria no Universo pode dever-se ao facto de esta interagir de forma diferente com a matéria escura.

Pode um mistério do Cosmos explicar um outro? A nova investigação, levada a cabo por cientistas do grupo de colaboração internacional Baryon Antibaryon Symmetry Experiment (BASE), quis responder a esta pergunta, tentando perceber se existe alguma relação entre matéria escura e antimatéria que possa explicar estes fenómenos.

A matéria escura e antimatéria representam dois grandes problemas para físicos e astrónomos que tentam perceber como é o que o Universo funciona a nível fundamental.

A nova investigação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica Nature, não conseguiu determinar se há uma forma estranha pela qual a matéria e antimatéria interagem com a matéria escura que possa explicar os fenómenos – na prática, os cientistas não conseguiram encontrar a chave para explicar estas duas incógnitas.

Ainda assim, frisa a equipa, o procedimento experimental conseguiu estabelecer um novo limite superior para a eventual interação entre a matéria escura e a antimatéria.

“Pela primeira vez, procuramos explicitamente a interação entre matéria escura e antimatéria e, embora não tenhamos encontrado uma diferença [entre efeitos sobre matéria e antimatéria], estabelecemos um novo limite superior para a interação potencial entre matéria escura e antimatéria”, declarou Christian Smorra, autor principal do estudo.

Os cientistas mediram uma propriedade do anti-protão chamada frequência de precessão de rotação, explicam os cientistas em comunicado.

Por norma, esta propriedade dever ser constante num determinado campo magnético e uma modulação nesta frequência pode ser explicada por um efeito mediado por partículas semelhantes aos axiões, que são hipotéticas particulares candidatas à matéria escura.

A solução para os dois enigmas do Universo não foi encontrada, mas a sua procura poderá agora ser refinada, tal como explicou Stefan Ulmer, porta-voz do projeto BASE.

“A partir de agora, planeamos melhorar ainda mais a precisão das nossas medições de frequência de precessão de rotação do anti-protão, permitindo estabelecer restrições cada vez mais rigorosas à invariância fundamental da carga, paridade e tempo, e fazer com que a procura pela matéria escura seja ainda mais sensível”, apontou, citado na mesma nota.

A investigação foi realizada pelo Laboratório de Simetrias Fundamentais de RIKEN, do Japão, em parceria com um grupo de trabalho PRISMA+ da Universidade de Johannes Gutenberg de Mainz, na Alemanha, que tem trabalhado de forma ativa na procura de matéria escura. O procedimento foi levado a cabo no Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN), recorrendo ao Antiproton Decelerator (AD).

Matéria escura versus Antimatéria

Tanto a matéria escura como a antimatéria têm tirado o sono aos cientistas. O mundo em que vivemos é apenas feito de matéria, apesar de o Big Bang dever ter criado quantidades iguais de matéria e antimatéria.

Tal como explicam os cientistas, antimatéria é criada todos os dias em procedimentos experimentais e até mesmo em processos naturais, acabando, contudo, por ser aniquilada em colisões com a matéria “comum”. As previsões mostram que a compreensão do conteúdo da matéria do Universo é desativada em nove ordens de magnitude, mas ninguém sabe porque é que existe esta assimetria.

No que toca à matéria escura, que compõe cerca de 80% de toda a matéria do Universo, o caso é outro – mas igualmente estranho. As observações astronómicas mostram que uma massa desconhecida está a influenciar as órbitas das estrelas nas galáxias, mas ninguém foi capaz de determinar as propriedades microscópicas exatas destas partículas.

Mais: só sabemos da existência da matéria escura devido ao efeito gravitacional que causa na matéria visível, denunciando assim o seu “rastro”.

Há alguns cientistas que defendem que a matéria escura é composta por uma partícula elementar hipotética – o axião – que desempenha um papel importante para explicar os misteriosos “buracos” no Modelo Padrão da Física de Partículas.

Para já, ambos os fenómenos ficam por resolver. Fica a esperança de no futuro, uma vez explicada uma eventual relação, se completar o puzzle do Cosmos.

SA, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Igrejas evangélicas cultivam violência doméstica ao defender a supremacia dos homens sobre as mulheres

O facto de a igreja evangélica defender que o homem deve controlar a mulher apenas agrava o problema de violência doméstica, justificando os atos dos homens. Jane (nome fictício) era membro da comunidade cristã evangélica da …

A Cidade do México está a pagar aos seus polícias para que percam peso

A Polícia da Cidade do México está a levar a cabo um programa para combater o excesso de peso e a obesidade no seu efetivo através de incentivos financeiros.  Ao todo, escreve a agência AFP que …

Há um novo método para medir buracos negros

Os buracos negros supermassivos são os maiores buracos negros, com massas que podem exceder mil milhões de sóis. Apenas esta primavera foi divulgada a primeira imagem do buraco negro supermassivo no centro da galáxia M87, …

E Tudo o Vento Levou… há 80 anos

E Tudo o Vento Levou celebra este domingo 80 anos de vida, marcando a data da sua estreia nos Estados Unidos. Oito décadas depois, o filme mantém-se como uma das maiores obras primas do cinema …

O problema impossível mais simples do mundo está a levar matemáticos à loucura

Matemáticos avisam os seus colegas para se manterem longe da conjetura de Collatz. No entanto, Terence Tao decidiu arriscar, e está muito perto de resolver aquele que muitos chamam de o problema impossível mais simples …

Soldados da Guerra Civil dos EUA pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias

Investigadores encontraram evidências que indicam que soldados da Guerra Civil norte-americana pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias. Escavações em Camp Nelson, no Kentucky, revelaram restos de um estúdio de fotografia com 150 anos, o …

Chuva, vento forte e neve. Mau tempo vai agravar-se nas próximas 48 horas

A Proteção Civil alertou este domingo para um agravamento do estado do tempo nas próximas 48 horas, com períodos de chuva, possibilidade da queda de neve nas terras alta do norte e centro e ainda …

Descoberta nova espécie de aranha-violinista no Vale do México

Cientistas identificaram, no México, uma nova espécie de aranha com um veneno que, apesar de não ser fatal, é capaz de causar necrose na pele humana. Uma equipa de cientistas da Universidade Nacional Autónoma do México …

Já sabemos sobre o que conversam os orangotangos

Um novo estudo da Universidade de Exeter, em Inglaterra, desvendou a linguagem secreta dos orangotangos, descobrindo o que significam 11 sinais vocais e 21 gestos. Os investigadores passaram dois anos a filmar mais de 600 horas …

COP25 aprovou conclusões. Não há acordo para regulação dos mercados de carbono

A cimeira da ONU sobre o clima terminou hoje em Madrid assinalando a urgência para conter as alterações climáticas, mas a mais longa cimeira sobre o clima de sempre sem chegar a acordo nos pontos …