Ministros das finanças procuram entendimento. Itália ameaça consenso de Centeno

Stephanie Lecocq / EPA

Os ministros das Finanças da zona euro voltam a reunir-se esta terça-feira, por videoconferência, com a responsabilidade de chegarem a um compromisso sobre uma resposta comum para minimizar os efeitos da pandemia covid-19, precisando para tal de ultrapassar as divergências.

Esta é a quarta reunião por videoconferência, em pouco mais de um mês, dos ministros das Finanças europeus, sendo que desta feita é-lhes ‘exigido’ um compromisso, para ser apresentado aos líderes europeus.

No último Conselho Europeu por videoconferência, em 26 de março, os chefes de Estado e de Governo da União Europeia, após uma longa e tensa discussão, mandataram o Eurogrupo para apresentar, em prazo de duas semanas, propostas concretas sobre como enfrentar as consequências socioeconómicas da pandemia, que afeta as economias de todos os Estados-membros.

Com o Conselho Europeu à espera do desfecho das discussões ao nível de ministros das Finanças para voltar a reunir-se e tomar decisões, o Eurogrupo estará então sob especial pressão para chegar a um acordo político, o que significa que Mário Centeno terá de conseguir aproximar as posições entre os países do sul e do norte da Europa, que ficaram extremadas no anterior encontro, o das polémicas declarações do ministro holandês.

Os países do sul, entre os quais Portugal, Espanha e Itália, têm defendido como melhor solução a emissão de dívida conjunta (os chamados ‘eurobonds’, ou ‘coronabonds’), que continua a ser rejeitada por países como Alemanha, Holanda, Áustria e Finlândia, que defendem antes soluções que passem por linhas de crédito específicas, ou seja, empréstimos, em condições favoráveis e sem o ‘fantasma’ dos ‘resgates’, através do Mecanismo Europeu de Estabilidade.

O presidente do fórum de ministros das Finanças da zona euro e ministro das Finanças português, Mário Centeno, já defendeu publicamente o adiamento do debate sobre os ‘coronabonds’ para depois da crise, advogando que o foco agora deve estar em medidas capazes de gerar consenso no imediato, designadamente um pacote de três medidas que representarão, no seu conjunto, cerca de 500 mil milhões de euros.

Centeno referia-se ao plano de linhas de crédito do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), aos créditos do Banco Europeu de Investimento (BEI) para empresas e aos apoios para programas de suspensão de contratos de trabalho (’lay-off’) apoiados pelo Estado, propostos pela Comissão.

Para depois ficará então o plano de recuperação das economias europeias, no qual a Comissão Europeia ficou de trabalhar, em conjunto com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, que muitos apelidam de novo ‘Plano Marshall’, e que, esse sim, poderia vir a integrar a solução de emissão conjunta de dívida.

Mas para já, e como resposta de emergência, a palavra cabe aos ministros das Finanças, que já não têm mais espaço temporal de manobra, reunindo-se esta terça-feira sob o olhar atento dos chefes de Estado e de Governo, à espera de um compromisso sobre o qual se possam pronunciar numa cimeira que deverá ter lugar em breve.

No entanto, escreve o semanário Expresso, Itália ameaça o consenso de Mário Ceneteno, uma vez que o primeiro-ministro italiano não desiste dos ‘coronabonds’ e rejeita uma das soluções que Berlim propõe: o acesso a empréstimos do MEE.

MEE não. Eurobonds seguramente que sim“, afirmou esta segunda-feira à noite Giuseppe Conte, citado pelo jornal. No seu entender, o mecanismo de onde saiu o dinheiro para o terceiro resgate à Grécia “é um instrumento absolutamente inadequado” para responder à crise económica que se está a formar devido à pandemia de Covid19.

Em sentido oposto, defende, a mutualização da dívida, sim, é “uma resposta séria, eficaz, adequada à emergência” que a Europa está a viver.

A reunião desta terça-feira tem início às 14:00 de Lisboa.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Um terço das empresas de restauração não reabriu

Cerca de um terço das empresas de restauração não retomou a atividade e quase metade tem registado uma faturação média inferior a 10%, revelou a associação representativa do setor. A Associação de Hotelaria, Restauração e Similares …

Ministério Público alemão assume que Maddie McCann está morta

O procuradores do Ministério Público alemão acreditam que Madeleine McCann foi assassinada. O investigador Christian Hoppe, do Bundeskriminalamt, revelou que a criança pode ter sido alvejada quando o suspeito assaltava o apartamento da família. O procuradores do …

Nadadores-salvadores devem privilegiar salvamento "sem entrar na água"

A Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores divulgou hoje alguns dos procedimentos que os vigilantes devem adotar na época balnear face à pandemia, como privilegiar o salvamento “sem entrar na água” ou abordar o náufrago pelas costas. “Ainda …

Confederação do Turismo propõe Lay-off simplificado, banco de horas e horário concentrado

A Confederação do Turismo de Portugal (CTP) propôs ao Governo 99 medidas para mitigar as consequências "gigantescas" que a pandemia está a ter no sector, apontando um cenário de "eclipse total e asfixia". Segundo noticiou esta …

Coreia do Norte ameaça romper acordo militar com Seul

A Coreia do Norte ameaçou hoje romper o acordo militar com a Coreia do Sul e fechar o gabinete de ligação transfronteiriça, se Seul não impedir que ativistas continuem a enviar panfletos através da fronteira. A …

Moratórias no crédito prolongadas até 31 de março de 2021

O Governo decidiu estender a moratória nos empréstimos dos bancos às famílias e empresas afetadas pela crise. As prestações e juros só voltarão a ser pagos depois de 31 de março de 2021, apurou o …

Santana Lopes deixou funções executivas no Aliança. Mas não "deserta"

O fundador do partido Aliança deixou, recentemente, as suas funções executivas por "motivos profissionais", mas promete "não desertar", "muito menos em alturas difíceis". No passado dia 15 de maio, Pedro Santana Lopes pediu a suspensão das …

Pela primeira vez em 30 anos, Hong Kong proíbe vigília em memória de Tiannamen

Pela primeira vez em 30 anos, tanto Hong Kong como Macau não vão ter vigílias em homenagem às vítimas do massacre de Tiananmen. A Polícia de Hong Kong proibiu a vigília em memória do massacre de …

Portugal com mais 8 mortos e 331 casos positivos em 24 horas

Portugal registou mais oito mortes e 331 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde. Esta quinta-feira, Portugal registou 1.455 mortes por …

IL rejeita Marcelo Rebelo de Sousa e aposta em Adolfo Mesquita Nunes

O Iniciativa Liberal (IL) não vai apoiar a eventual recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa. Para o partido, um dos nomes em cima da mesa para as Presidenciais é "fácil" e só depende da "vontade …