Ministro quer ver as universidades a combater comissões de praxe

Miguel Pires da Rosa / Flickr

-

O ministro responsável pela pasta do Ensino Superior quer ver as instituições a combater as comissões de praxe, que classifica mesmo de “organizações secretas”.

Em entrevista ao Diário de Notícias, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, afirmou que é preciso combater as praxes das universidades portuguesas.

O ministro defende que os órgãos de gestão das instituições, bem como as associações de estudantes, “devem combater as comissões de praxes e a sua prática interna”.

“Não é aceitável que um presidente de uma associação de estudantes esteja sentado numa tribuna ao lado de um presidente de uma comissão de praxes”, criticou.

Manuel Heitor acredita que é necessário “desmanchar estas redes”, que chega a considerar de “organizações secretas”, pela enorme dificuldade em encontrar os seus alunos responsáveis.

“Se perguntar a muitos dirigentes de instituições, dizem que não sabem, nem os conhecem. Estão transformados em algumas instituições em organizações secretas”, afirma.

O ministro não quer, para já, adiantar quais vão ser as medidas tomadas pelo Ministério. Certo é que neste momento está a decorrer um estudo sobre o fenómeno das praxes, um “processo complexo, com vários temas dentro dele”, classifica o ministro.

Este é o primeiro estudo a nível nacional sobre o tema e está à responsabilidade de um grupo de trabalho liderado por João Teixeira Lopes, da Universidade do Porto, e por João Sebastião, do ISCTE. Os resultados deverão ser entregues ao Governo ainda antes do fim do ano.

Em declarações ao DN, o ministro afirma que, independentemente do que acontecer no futuro, há certas coisas que são inaceitáveis e que têm de ser alteradas.

No topo dessa lista estão então as comissões de praxes, que vê como “uma praxe dentro das praxes” e que, de forma frequente, “tem causado danos físicos” aos estudantes.

Para o ministro, as universidades devem ter um papel fundamental neste combate às praxes, não bastando para isso “limitar a proibir a praxe dentro das suas instituições”.

“Vou escrever, no início de setembro, a todos os dirigentes estudantis, a condenar o uso da praxe e a pedir para não valorizarem qualquer relacionamento com as estruturas que se têm organizado dentro das instituições e para as combaterem”, disse ao diário.

ZAP

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Acho muito bem. Acho mesmo que é preciso acabar com esses abusos que todos os anos maltratam os alunos; parece um circo mal amanhado. O que se vê nessas praxes não tem nada de nada a ver com a integração dos caloiros no meio académico… Não deve ficar impune o que impõe aos alunos a prática de atos que, a pretexto dessa integração na comunidade académica, apenas nada mais fazem senão denegrir a imagem das instituições de ensino superior.

  2. A maioria das praxes são um reflexo das frustrações e pequenez de espirito destes parvos que se julgam tão acima dos caloiros.
    Só se vêm estas anormalidades em faculdades de países menos desenvolvidos, e só ha uma forma de acabar com isto. Simplesmente criminalizar as praxes violentas.
    Acabem com esse circo inútil e ridículo, e façam o que vos compete. ESTUDEM…!!!!

RESPONDER

"Mário Centeno está a perder influência no Governo". Os (maus) sinais para o Orçamento de Estado 2020

A proposta de Orçamento do Estado para 2020 [OE 2020] vai ser apresentada daqui a uma semana e alguns economistas antecipam os riscos do documento, falando de uma "situação potencialmente perigosa para as contas públicas" …

Utilizadores russos do Reddit terão divulgado documentos comprometedores sobre o Brexit

A rede social Reddit anunciou ter concluído que utilizadores russos estiveram na origem da divulgação de documentos confidenciais do governo britânico sobre as negociações comerciais do Brexit. O Reddit anunciou, num comunicado citado pela Associated Press, …

Concorrência quer novas regras para fidelizações nas telecomunicações

A Autoridade da Concorrência (AdC) quer mudanças nas regras impostas pelas operadoras de telecomunicações nos contratos de fidelização. Segundo um relatório da AdC, ao qual o Jornal de Negócios teve acesso e que será esta segunda-feira …

Se Trump fosse julgado perante um júri, seria condenado "em três minutos"

Caso o processo de impeachment avance, e Trump seja apresentado perante um júri, Jerry Nadler acredita que o presidente norte-americano seria considerado culpado "em três minutos". O presidente da comissão de Justiça da Câmara dos Representantes, …

Sangue, lágrimas e crianças escoltadas na primeira despromoção da história do Cruzeiro

O Cruzeiro desceu de divisão pela primeira vez na sua história. O último jogo do campeonato, que selou a despromoção, ficou marcado por episódios violentos entre adeptos e polícia. O cenário vivido no 'Mineirão', este domingo, …

Movimento "Convergência" prepara moção para convenção do Bloco (mas rejeita cisão)

Largas dezenas de elementos do Bloco de Esquerda (BE) estiveram reunidos para preparar uma moção para apresentar na próxima convenção do partido, mas rejeitam estar a criar uma nova tendência ou a preparar uma cisão. João …

Empresário lesou Fisco em 60 milhões, mas não tem de devolver nada

Um empresário do setor do ouro condenado a sete anos de prisão por fraude fiscal agravada não terá de devolver nenhuma parte dos 60 milhões de euros de prejuízo que deu ao Estado por não …

Maioria das pistolas Glock roubadas da PSP pode ter estado sempre com a polícia

Luís Gaiba defende que a contagem do armamento não estava atualizada e que, por isso, a maioria das armas alegadamente desaparecidas pode nunca ter saído da posse da polícia. O agente Luís Gaiba, suspeito do roubo …

Rússia banida dos Jogos Olímpicos e Mundiais por quatro anos

A Rússia foi banida, esta segunda-feira, de Jogos Olímpicos e Mundiais por quatro anos, na sequência de uma decisão, tomada por unanimidade, do comité da AMA que avalia o cumprimento dos regulamentos. A Rússia foi excluída dos …

Governo chinês bane compras públicas de computadores e software estrangeiros

O Governo chinês ordenou que todos os escritórios governamentais e instituições públicas removam computadores e software estrangeiros, ao longo dos próximos três anos, depois da decisão de Washington de banir aquisição de equipamentos da Huawei. A …