Ministro espanhol critica obsessão da Comissão Europeia com o défice

La Moncloa / Flickr

O ministro das Finanças espanhol, Cristóbal Montoro

O ministro das Finanças espanhol, Cristóbal Montoro

O ministro das Finanças e Administrações Públicas de Espanha, Cristóbal Montoro, criticou hoje a fixação da Comissão Europeia com os objetivos do défice, contrapondo que se deveria concentrar mais em estimular as economias débeis da Zona Euro.

“Falam sempre de objetivos sem considerar o contexto geral”, disse Montoro, em entrevista concedida ao The Wall Street Journal.

“Não se trata de cumprir os objetivos. Trata-se de construir a União Europeia e precisamos de crescimento económico para isso”, adiantou Cristóbal Montoro.

As declarações de Montoro foram feitas depois de o comissário europeu para os Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, ter anunciado na segunda-feira que a Comissão Europeia tencionava analisar no dia seguinte o orçamento de Espanha para 2016, avançando que a opinião do executivo comunitário deveria ser negativa.

Moscovici explicou que, com o orçamento apresentado, Espanha corria o risco de não cumprir os objetivos marcados por Bruxelas de redução do défice para 2015 e 2016.

Porém, a Comissão optou por adiar a divulgação da sua opinião sobre o projeto de orçamento de Espanha, decisão que foi tomada pelo seu próprio presidente, Jean-Claude Juncker.

O executivo de Madrid garantiu que vai cumprir a meta de redução do défice dos 5,7% registados em 2014 para 4,2% em 2015 e 2,8% em 2016.

O ministro Montoro insistiu neste sentido que Espanha vai alcançar o objetivo: “Pedem-me que faça os trabalhos de casa, e faço-os; não sei por que têm de se meter sempre com o meu orçamento“.

Acrescentou inclusive que “é sempre a mesma coisa todos os anos e nunca acertam”.

O titular das Finanças considerou que a Comissão deveria aceitar que a descida dos impostos, como as recentemente decididas em Espanha, podem ajudar a impulsionar a atividade económica e as receitas fiscais e que os aumentos de impostos não têm apenas como resultado aumentar a receita fiscal.

Como exemplo, Montoro recordou que a Comissão obrigou a Espanha a aumentar a taxa do IVA de 18% para 21% em 2012 e a retirar vários bens e serviços de uma lista de produtos taxados a um valor inferior.

Na sua opinião, “isto não foi bom para a economia”, uma vez que “causou uma queda do consumo”, criticando que mesmo assim “continuam a pedir a aplicação da taxa máxima a mais produtos”.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Governo vira-se para Rio para mudar a lei e garantir o novo aeroporto

O Governo está a preparar uma alteração à Lei para evitar que o projecto do novo aeroporto do Montijo seja chumbado. Uma medida que passará, necessariamente, pela necessidade de um entendimento entre PS e PSD …

"Entretenimento saudável". Santa Casa desvaloriza estudo sobre raspadinhas

O Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa desvalorizou a investigação da Universidade do Minho que aponta para o vício das raspadinhas. Esta sexta-feira, um artigo científico publicado na The Lancet alertou para …

"Diga-lhe para ligar ao FBI". Autocarro com a cara do príncipe André circula em Londres

Um autocarro escolar, com a cara do príncipe André, andou a circular por Londres, esta sexta-feira, numa campanha da advogada Gloria Allred para pressionar o filho da Rainha a falar com o FBI. Esta sexta-feira, um autocarro …

Suspeito de terrorismo ouvido em tribunal (com o juiz a recusar ver os seus vídeos por não ter Internet)

O arguido Rómulo Costa, um dos oito portugueses acusados por financiamento ao terrorismo e recrutamento, adesão e apoio ao Estado Islâmico, foi interrogado, esta sexta-feira, na fase de instrução do processo que vai decorrer no …

FC Porto recorre do castigo de um jogo à porta fechada

O FC Porto vai recorrer do castigo de um jogo à porta fechada, aplicado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) por ofensa a um agente desportivo. "O FC Porto vai recorrer …

Moita Flores investigado por corrupção. Antigo PJ fala em "coincidência" com empréstimo aos filhos

Francisco Moita Flores, antigo inspector da Polícia Judiciária e ex-presidente da Câmara de Santarém, está a ser investigado por suspeitas de corrupção. Há transferências de dinheiro de uma construtora para empresas a que esteve ligado …

SOS Animal vai constituir-se assistente no processo contra João Moura

A SOS Animal anunciou, esta sexta-feira, que se vai constituir assistente no processo criminal contra o cavaleiro tauromáquico detido, na quarta-feira, por suspeitas de maus-tratos a cães em Monforte, no distrito de Portalegre. Em comunicado, a SOS …

SMS de Rangel revelam teia de corrupção na Relação de Lisboa. Juiz Vaz das Neves tem empresa contra a lei

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Luís Vaz das Neves, que foi constituído arguido na Operação Lex, tem uma empresa que se dedica à arbitragem extrajudicial de conflitos, o que constitui uma violação …

Presidente da PwC esteve em Lisboa para controlar danos do Luanda Leaks

O presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC) esteve em Lisboa, há duas semanas, para controlar os danos provocados pelo caso Luanda Leaks. Bob Moritz, presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC), esteve em Lisboa, há duas semanas, para perceber até …

CM Lisboa vai negociar avenças em parques para moradores da envolvente da Baixa

O presidente da Câmara de Lisboa afirmou, esta sexta-feira, que a autarquia irá tentar acordar com os operadores dos parques de estacionamento da envolvente da Zona de Emissões Reduzidas da Baixa-Chiado a criação de "avenças …