Ministério Público não tem dúvidas: gravação de Temer é legal

Marcelo Camargo / Agência Brasil

O presidente brasileiro, Michel Temer

O presidente brasileiro, Michel Temer

O juiz do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, relator da Operação Lava-jato, considerou no sábado que a gravação que alegadamente compromete o presidente Michel Temer é legal, depois de uma avaliação técnica feita pela Procuradoria-Geral da República.

De acordo com vários órgãos de comunicação social brasileiros, o Ministério Público Federal divulgou no sábado um comunicado no qual informou que o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal uma nota na qual defende a continuidade do inquérito aberto para investigar o presidente Michel Temer.

Na mesma nota, a PGR informou que foi feita uma avaliação técnica à gravação e concluiu que o registo é “audível, inteligível e apresenta uma sequência lógica e coerente, com características iniciais de confiabilidade”.

O procurador acrescentou que “a referida gravação é harmônica e consentânea com o relato da colaboração de pelo menos quatro colaboradores, a saber Joesley Batista, Wesley Batista, Ricardo Saud e Florisvaldo Caetano de Oliveira”, segundo a nota da PGR.

A investigação foi autorizada pelo juiz do Supremo Tribunal Federal, Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato, a pedido da PGR, com base nas delações dos empresários Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, e do diretor da J&F Ricardo Saud.

O Presidente questionou no sábado, num discurso ao país, a autenticidade da gravação depois de a imprensa brasileira ter noticiado que as autoridades verificaram que houve “edição no áudio” da conversa que foi incluída nos autos.

No entanto, segundo o jornal Folha de São Paulo, a parte mais polémica do diálogo, em que alegadamente Temer dá aval a Batista para comprar o silêncio de Cunha, não sofreu modificações.

Em causa está uma gravação de uma conversa entre o empresário Joesley Batista, da empresa JBS, e o Presidente sobre o alegado pagamento de uma mesada ao ex-deputado Eduardo Cunha.

Nessa conversa, segundo os áudios divulgados, o Presidente terá recomendado ao empresário “manter” o pagamento de uma verba regular àquele dirigente do seu partido, que está acusado de vários crimes de corrupção.

Para o chefe de Estado, a gravação “foi manipulada e adulterada com objetivos claramente subterrâneos” e foi “incluída no inquérito [judicial] sem a devida e adequada investigação”.

O Brasil está mergulhado há mais de dois anos numa crise política acentuada pelas contínuas suspeitas de corrupção que pendem sobre vários políticos, investigadas no quadro da operação Lava Jato.

Pagamentos ilegais por parte de empresas como a JBS, a construtora Odebrecht ou a petrolífera Petrobras levaram ao afastamento de dezenas de políticos, atingindo, entre outros, o ex-presidente do Congresso (parlamento) Eduardo Cunha e o candidato presidencial derrotado Aécio Neves (direita).

O caso chegou esta semana à Presidência com a abertura de um processo no STF ao Presidente brasileiro e o pedido de novas eleições (diretas ou via parlamento) está a ser subscrito agora por dirigentes da base aliada de Michel Temer.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Trump prepara ordem executiva contra redes sociais. Quer reduzir proteções legais das empresas

O Presidente norte-americano, Donald Trump, vai assinar esta quinta-feira uma ordem executiva sobre as redes sociais, anunciou a Casa Branca, dois dias depois de o Twitter ter assinalado mensagens de Donald Trump com alertas de …

Mais 13 mortes e 304 novos casos. Reabertura da economia em Lisboa questionada

Embora a região Norte continue a ser a mais afetada pela pandemia, a situação na região da Grande Lisboa tem piorado. O Governo está a estudar o adiamento de algumas medidas de reabertura da economia …

Queixas de consumidores sobre vendas online sobem 250%

A Associação de defesa de consumidores Deco recebeu 3.500 reclamações relativas a compras online entre janeiro e maio, um aumento de 250% face ao número registado em igual período do ano anterior. Paulo Fonseca, da Deco, …

Alto político russo demitido por Vladimir Putin recorre ao Supremo

Um alto responsável político russo, demitido pelo Presidente Vladimir Putin em janeiro devido a acusações de vários escândalos, contestou a decisão perante a mais alta instância judicial do país. É a primeira vez em vinte anos …

Moratória do Estado poderá ser alargada ao crédito pessoal e aos emigrantes

O Governo está a preparar uma revisão da moratória pública do crédito, que será estendida no tempo e incluirá outras categorias de financiamento, passando ainda a abranger as casas dos emigrantes e o crédito ao …

Lone Star põe Novo Banco em Espanha à venda

O presidente executivo do Novo Banco já terá informado os trabalhadores da sucursal espanhola que o negócio vai para a frente. A notícia foi avançada, esta quarta-feira, pelo jornal El Confidencial. O fundo norte-americano Lone Star …

Autoridades preparam encerramento dos cafés no bairro da Jamaica para conter surto

As autoridades de saúde estão a preparar o encerramento dos cafés no bairro da Jamaica, no Seixal, para conter o surto de covid-19 detetado entre os moradores. A informação foi avançada à agência Lusa pelo delegado …

Aviação continua a despedir. EasyJet vai dispensar um terço dos trabalhadores

A companhia aérea britânica EasyJet anunciou a redução de 4.500 postos de trabalho, quase um terço dos seus efetivos, para fazer face à pandemia. A EasyJet, cuja atividade está parada há semanas, diz que desta forma …

Grupo Amorim perde processo de 179 milhões contra Novo Banco

O Grupo Amorim perdeu o processo no qual reclamava ao Novo Banco o pagamento de mais de 179 milhões investidos, através de duas empresas sediadas na Holanda, em papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES). De …

"Regozijo e satisfação". Costa elogia mudança de planos da TAP

O primeiro-ministro elogiou, esta quarta-feira, a decisão da TAP de adicionar e ajustar os planos de rota, considerando que "quem emenda o erro merece regozijo e satisfação". Esta quarta-feira, em comunicado, o Conselho de Administração da …