Militares americanos criaram uma IA que aprendeu a programar software

A BAYOU é uma ferramenta de aprendizagem que basicamente funciona como um mecanismo de pesquisa para a codificação: insere o tipo de programa que deseja criar, e ela emite o código Java que desempenha a função que está a precisar, com base no seu melhor palpite.

A ferramenta foi desenvolvida por uma equipa de cientistas da computação da Universidade de Rice, nos EUA, com financiamento dos militares americanos e do Google.

Um artigo que descreve o desenvolvimento da BAYOU e os tipos de problemas que pode ajudar a resolver foi publicado, em inglês, no site gratuito arXiv.

Para criar a ferramenta, os cientistas alimentaram o código-fonte de cerca de 1.500 aplicações para Android, que chega a 100 milhões de linhas de código em Java, na rede neural da BAYOU, resultando numa Inteligência Aritificial que pode programar outro software.

Se o código que a BAYOU leu incluía qualquer tipo de informação sobre o que faz, então a ferramenta também aprendeu como esses programas funcionam.

Essa informação contextual é o que permite que a IA escreva softwares funcionais baseados em apenas algumas palavras-chave e informações básicas sobre o que o programador deseja.

Um instrumento como este pode tornar mais simples e mais intuitivo ensinar as pessoas a codificar, já que podem usar essa IA para gerar exemplos de código ou até para verificar o seu próprio trabalho.

Neste momento, a BAYOU ainda está nos estágios iniciais. A equipa por trás da tecnologia ainda está a provar que realmente funciona.

Para os mais assustados, este (ainda) não é o momento em que a Inteligência Artificial se torna autorreplicante: a BAYOU apenas gera o que os investigadores chamam de “esboços” de um programa, relevantes para o que um programador está a tentar escrever.

Depois, os esboços ainda têm que ser organizados e podem ter que ser adaptados ao projeto em questão. Mesmo que a tecnologia seja inicial, representa um passo importante na procura por um programador de inteligência artificial, um objetivo de longa data para cientistas da computação.

Outras tentativas de criar algo parecido com a BAYOU exigiam mais orientações em direção ao tipo correto de código. Como essa IA consegue trabalhar com apenas algumas palavras-chave, é muito menos demorada e muito mais fácil de usar, no geral.

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Polícias de elite da PSP convocados para trabalhar nas obras

Operacionais da Unidade Especial de Polícia (UEP) da PSP estão a ser chamados para colaborarem como voluntários nas obras de remodelação da messe localizada na Quinta das Águas Livres, em Belas, Sintra. Segundo o Correio da …

Portugueses são dos que menos gastam em viagens turísticas

Os portugueses são dos cidadãos europeus que menos gastam em deslocações de turismo, ao desembolsar em média 136 euros por viagem turística, menos de metade da média da União Europeia, de 336 euros, revelam dados …

Ex-diretor da CIA admite recorrer à Justiça contra Donald Trump

O ex-diretor da CIA John Brennan admitiu neste domingo recorrer à Justiça, depois de o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lhe ter cancelado o acesso a informação confidencial e à Casa Branca. “Se esse é …

Trabalhadores da CGD em greve contra a perda de privilégios

O novo Acordo de Empresa que a Administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) pretende implementar está a gerar revolta entre os trabalhadores e já levou à convocação de uma greve para sexta-feira, 24 de …

Asia Argento terá pago a jovem ator que a acusou de assédio sexual

A atriz e realizadora italiana terá pago 380 mil dólares para silenciar um jovem ator e músico que a acusa de assédio sexual quando tinha apenas 17 anos. Asia Argento foi uma das primeiras mulheres da …

Governo está a preparar descida dos impostos e aumento das pensões

São cinco as prioridades do Governo para o próximo Orçamento do Estado, segundo revela Marques Mendes no seu habitual espaço de comentário na SIC, nomeando o aumento das pensões, o alívio no IRS, a descida …

Bomba que matou 40 crianças no Iémen foi vendida pelos EUA em 2015

A bomba que matou de 40 crianças num autocarro escolar no Iémen, a 9 de agosto, foi fabricada pelos Estados Unidos e vendida à Arábia Saudita em 2015. De acordo com a CNN, que avança …

GNR "desfalcada" devido à transferência de mil militares para os incêndios

Nos últimos meses, mais de mil militares da GNR foram "reconvertidos" em bombeiros especialistas, membros do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), que atuam no combate a incêndios. Com esta alocação, a situação …

Em 17 anos, o número de inspetores na educação caiu 41%

Entre 2001 e 2017, o número de inspetores a Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) passou de 304 funcionários a exercer essas funções para 179, registando assim uma queda de 41%. O Sindicato dos Inspetores da …

Mais de 400 mortos nas inundações em Kerala, no sul da Índia

Mais de 400 pessoas morreram na sequência das inundações que atingiram Kerala, na Índia, as mais graves em 100 anos naquele estado do sul do país, de acordo com um balanço feito nesta segunda-feira pelas …