Milícia planeava assassinar Barack Obama e Hillary Clinton

Larry Hopkins já estava na mira das autoridades e agora pode enfrentar uma pena de 10 anos de prisão.

O líder de uma milícia norte-americana que capturava imigrantes sem documentos na fronteira com o México, Larry Hopkins, foi detido no sábado e confessou ao FBI que o grupo planeava matar Barack Obama, Hillary Clinton e o magnata e multimilionário George Soros.

O homem responsável pelo grupo “United Constitutional Patriots” (“Patriotas Constitucionais dos Estado Unidos”, em português), tem 69 anos e foi detido pelas autoridades em Sundland Park, no estado do Novo México, por posse de arma, avançou a BBC, citada pelo Observador na quarta-feira.

Segundo o El Mundo, a detenção aconteceu depois de os “Patriotas Constitucionais” terem publicado nas redes sociais, uns dias antes, um vídeo em que se vê os membros do grupo a mandar as famílias de imigrantes – incluindo crianças – sentarem-se no chão enquanto chegava a patrulha da fronteira dos Estados Unidos (EUA). Atos como este têm chamado a atenção de grupos de direitos civis e das autoridades locais.

Na segunda-feira, Larry Hopkins foi presente a tribunal em Las Cruces, Novo México, onde afirmou não ser culpado das acusações de posse de arma que estava a enfrentar, alegando que estava a ajudar o país e a exercer os seus direitos como cidadão americano.

No entanto, de acordo com o agente especial David Gabriel, antes do julgamento, em 2017, o FBI tinha a informação de que o grupo, com cerca de 20 membros na altura, estava sediado na casa de Larry Hopkins, armado com espingardas AK-47.

Ora, segundo a lei norte-americana, quem já tiver uma condenação criminal anterior não pode ter armas e o homem já tinha cadastro: em 1996 foi condenado por posse de arma de fogo e cumpriu uma sentença de 16 meses a dois anos.

Foi preso pelos mesmos motivos durante 40 dias de prisão e 36 meses de liberdade condicional, em 2006. Ao mesmo tempo, foi acusado de roubo de identidade de um polícia e cumpriu 20 dias de prisão e 24 meses de liberdade condicional, relatou a NBC News.

É incerto quando Larry Hopkins admitiu que o grupo que liderava estava a fazer planos para matar Barack Obama, Hillary Clinton e George Soros, mas certo é que as alegações estão presentes nos documentos judiciais publicados esta semana, lê-se na BBC.

À NBC News, o advogado do homem, Kelly O’Connell, negou as alegações, dizendo que “não havia planos para fazer isso” e que “é categoricamente falso aquilo que eles [os membros do grupo] estavam a fazer”.

Se Larry Hopkins for considerado culpado pode enfrentar 10 anos de prisão mais 3 anos de liberdade condicional e terá de pagar 250 mil dólares (mais de 223 mil euros) de multas. Foi marcada uma nova audiência para a próxima semana. Até lá, o suspeito permanece sob custódia.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Utentes da Soflusa estão “cansados” de constantes supressões

Os utentes da Soflusa mostraram-se esta segunda-feira "cansados" das constantes supressões das ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, que estão hoje a acontecer durante todo o dia devido à falta de mestres. "Já estou a …

Banco Alimentar recolhe 1.605 toneladas de alimentos no fim de semana

O Banco Alimentar contra a Fome recolheu 1.605 toneladas de alimentos durante o fim de semana da campanha nacional que decorreu em mais de duas mil superfícies comerciais, anunciou a presidente do Banco Alimentar contra …

Sérgio Conceição apontado à Lazio

A imprensa italiana aponta esta segunda-feira o treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, à Lazio. O técnico português, recorde-se, passou pelo emblema italiano em duas ocasiões como jogador de futebol. O jornal italiano Il Messaggero adianta …

Filial portuguesa de multinacional alemã envolvida em subornos em Angola

A sucursal portuguesa em Angola da multinacional alemã Fresenius Medical Care, que actua na área médica, esteve envolvida num esquema de pagamento de subornos a médicos e militares angolanos que renderam 124 milhões de euros …

CGD acaba com empresa que criou há quase 20 anos com a PT

Criada há quase 20 anos pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) e pela Portugal Telecom (PT), a Caixanet foi liquidada no início deste ano, bem como a Caixa Tec e a Sogrupo, duas outras empresas …

MB Way. Bancos "fecham" aplicação para cobrar comissões diferenciadas nas transferências

Em pleno arranque do 'open banking', os bancos estão a substituir a aplicação MB Way por soluções próprias que "amarram" os clientes, com o propósito de cobrar comissões diferenciadas nas transferências através do telemóvel. Segundo noticiou …

A abstenção venceu. É a mais alta de sempre

A abstenção foi a grande figura das eleições europeias deste domingo, tendo 68,7% dos portugueses optado por não votar. A abstenção em Portugal voltou a atingir um novo recorde, enquanto que a taxa de participação …

Neurocirurgia do Hospital de São João deixa os contentores ao fim de 12 anos

O novo serviço de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, está a funcionar desde este sábado. Ao fim de 12 anos, os serviços de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, deixaram de …

Derrota histórica para o PSD. O PS resiste, o Bloco chega-se à frente e o PAN estreia-se

A derrota do PSD, com uma desvantagem de mais de 10 pontos percentuais sobre o PS que foi o vencedor da noite eleitoral, o reforço do Bloco de Esquerda como a terceira força política e …

Sindicalista que parou o país vai representar seguranças privados

O vice-presidente do Sindicato Nacional de Motoristas e Matérias Perigosas (SNMMP), Pedro Pardal Henriques, vai acumular este cargo com a vice-presidência de um outro sindicato, o Sindicato de Segurança e Vigilantes de Portugal (SSVP), que …