Milhares de anos depois, arqueólogos podem ter localizado o túmulo de Alexandre, o Grande

Há milhares de anos que a localização do túmulo de Alexandre, o Grande é um mistério por causa de lutas governamentais e confusão arqueológica. Porém, agora, dois investigadores acreditam ter resolvido este enigma.

A localização do túmulo de Alexandre, o Grande é um dos maiores mistérios do mundo arqueológico. Porém, dois especialistas contemporâneos podem tê-lo desvendado.

Andrew Michael Chugg, autor de The Lost Tomb of Alexander the Great, e a arqueóloga Liana Souvaltz acreditam que estão mais perto do que nunca de encontrar o túmulo de um dos maiores conquistadores da história – mas há alguns obstáculos que impedem o seu caminho.



Sobre o enterro de Alexandre, o Grande, há mais perguntas do que respostas. De acordo com a National Geographic, os historiadores modernos concordam que o antigo rei foi enterrado em Alexandria, no Egito.

Quando morreu aos 32 anos, os seus conselheiros enterraram-no inicialmente em Memphis, no Egito, antes de decidir movê-lo para Alexandria. A sua sepultura tornou-se um local de culto, embora um ciclo de terremotos e aumento do nível do mar ameaçasse cada vez mais a cidade. No entanto, sobreviveu durante séculos.

Em 2019, Calliope Limneos-Papakosta, diretora do Instituto de Pesquisa Helénica da Civilização Alexandrina, realizou escavações sob a Alexandria moderna e fez um tremendo progresso na descoberta do túmulo do imperador. O arqueólogo Fredrik Hiebert expressou na altura o seu entusiasmo. “Esta é a primeira vez que as fundações originais de Alexandria foram encontradas”, sustentou Hiebert.

Embora um salto promissor, o túmulo de Alexandre ainda não tinha sido encontrado. De acordo com a Ancient Origins, o corpo desapareceu quando o imperador romano Teodósio proibiu o culto pagão em 392.

No entanto, de acordo com o All That’s Interesting, Chugg e Souvaltzi podem ter chegado mais perto do que nunca. Souvaltzi acreditava que o desejo de Alexandre de ser enterrado no templo do deus egípcio Amun Ran lhe foi concedido, levando-a a solicitar permissão para escavar o Oásis de Siwa em 1984. As autoridades egípcias concederam-no em 1989.

Em Siwa, Souvaltzi encontrou estátuas de leões, uma entrada e uma sepultura helenística de 524 metros quadrados. O arqueólogo acreditava que as esculturas e inscrições, que se referiam ao transporte de um corpo, foram escritas pelo famoso companheiro de Alexandre, Ptolomeu.

Embora tenha sido anunciado em 1995 que a sepultura do antigo rei tinha sido finalmente encontrada, o governo grego pediu ao governo do Egito que interrompesse as escavações, à medida que as tensões entre os dois aumentavam. Souvaltzi continua a tentar retomar a escavação, já que as últimas descobertas de Chugg se tornaram promissoras.

No seu livro, Chugg explicou que a sepultura original de Alexandre transformada em templo perto de Memphis, no Egito, no complexo Serapeum, foi construída pelo faraó Nectanebo II. Guardada por esculturas de poetas e filósofos gregos, era a escolha óbvia para acolher o túmulo de Alexandre.

Agora, 16 anos após a publicação do livro, novas evidências parecem apoiar essa aposta. Uma peça de alvenaria encontrada nas fundações de São Marcos em Veneza, Itália, corresponde inteiramente às dimensões do sarcófago de Nectanebo II no Museu Britânico, o que pode confirmar a localização do túmulo de Alexandre.

Como o corpo desapareceu em 392 e o túmulo de São Marcos apareceu ao mesmo tempo, os pontos estão a ser conectados. Chugg defende que o corpo de Alexandre foi roubado de Alexandria por comerciantes venezianos que o confundiram com São Marcos, e levado para Veneza, onde terá sido venerado, como sendo São Marcos, na Patriarcale di San Marco da Catedral da Basílica.

Para Chugg, que disse que o fragmento encontrado em Veneza tem “exatamente a altura e o comprimento certos” para formar o revestimento externo do sarcófago na Grã-Bretanha, isso significa que os restos sepultados em Veneza são os de Alexandre, o Grande.

Alexandre, o Grande, que morreu na Babilónia em 323 a.C., terá sofrido da Síndrome de Guillain-Barré, ou GBS, distúrbio auto-imune que fez com que o conquistador apresentasse sintomas como dor abdominal e paralisia progressiva que acabariam por o deixar incapaz de se mover. Apesar desses sintomas, permaneceu mentalmente são.

Durante vários anos, os especialistas interrogaram-se sobre a razão pela qual o seu corpo não se decompôs depois que ter morrido dias antes. Segundo a teoria mais recente, o GBS fez com que parecesse morto, mas estava vivo e incapaz de contar a alguém antes de ser sepultado.

Enquanto outros historiadores acreditam que Alexandre morreu de febre tifóide, malária, envenenamento por álcool ou foi assassinado, a teoria defende que a estranha doença foi induzida por uma infecção por Campylobacter pylori – uma bactéria comum na época.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Caro ZAP, boa tarde.
    Sou V/leitora assídua, sendo que já por várias vezes me responderam; é sempre um prazer. 🙂
    Presumo que estes artigos sejam traduzidos por Vós e posteriormente reescritos em Português.
    Existem, neste em particular, vários casos estranhos, mas como o tema de “Alexandre, o Grande” me é tão querido, deixei-me embalar na narrativa; também não são muito graves… 🙂
    No entanto, e logo no 1º parágrafo em negrito (ou bold), consta: “… dois investigadores acreditam ter este enigma.” – deveria constar algo como “…enigma resolvido/solucionado” ou “… ter solucionado/resolvido este enigma”.
    Já mais no corpo do artigo, atentem p.f. neste parágrafo:
    “Em 2019, Calliope Limneos-Papakosta, diretor do Instituto de Pesquisa Helénica da Civilização Alexandrina, conseguiu cavar sob a Alexandria moderna e fez um tremendo progresso na descoberta do túmulo do governante. “Esta é a primeira vez que as fundações originais de Alexandria foram encontradas”, disse o arqueólogo Fredrik Hiebert.”
    1) Calliope Limneos-Papakosta é uma senhora, como tal deveria constar “diretora”;
    2) Ao introduzirem de seguida o que disse outro arqueólogo, fica estranho, pelo menos da forma como o fazem…
    Mas tudo isto são meras opiniões, desejo a toda a equipa do ZAP muita saúde e bom trabalho. 🙂

  2. A minha teoria é que morreu de acidente automóvel nalguma corridinha como aquelas que certos jovens fazem por aí, também era jovem e possivelmente suficiente maluco para tais aventuras!

  3. também podiam ter esclarecido/acrescentado que o tal Ptolomeu não foi só companheiro de Alexandre, foi governante do Egipto, dando origem à dinastia ptolomaica, e que “raptou” o cadáver de Alexandre quando este ia a caminho da Macedónia, precisamente para validar a sua reclamação de seu sucessor.

RESPONDER

Chega quer que agentes da PSP e GNR usem câmaras de vídeo nas lapelas e nas viaturas

O deputado único do Chega entregou esta quinta-feira um projeto de resolução no Parlamento que recomenda a colocação de câmaras de vídeo nas lapelas das fardas e nas viaturas das forças de segurança, a fim …

Em dia sem registo de mortes, Portugal contabiliza 450 novos casos

Esta sexta-feira, Portugal não regista qualquer óbito. Nas últimas 24 horas, houve 450 novos casos positivos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Não morreu ninguém infetado com o novo …

Câmara de Torres Vedras deteta migrantes a viverem em armazéns e antigas pecuárias

Além de espaços sem condições de habitabilidade, como armazéns e pecuárias desativadas, a autarquia tem conhecimento de "casas alugadas a pessoas migrantes onde existe sobrelotação". A Câmara de Torres Vedras, no distrito de Lisboa, levantou coimas …

Parlamento aprova "direito ao esquecimento" para quem superou doenças graves

O Parlamento aprovou esta sexta-feira, na generalidade, o projeto-lei do PS que pretende consagrar o “direito ao esquecimento” para acabar com a discriminação de pessoas que tiveram cancro. O Parlamento aprovou, na generalidade, o projeto-lei do …

No seu último discurso, presidente do Supremo atira críticas aos megaprocessos

António Piçarra, presidente do Supremo Tribunal de Justiça, centrou o seu último discurso na falta de eficácia do sistema judicial em tratar os processos especialmente complexos de corrupção. Para o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, …

Viagens não essenciais de e para o Reino Unido permitidas a partir de segunda-feira

Cristóvão Norte, deputado do PSD, criticou a indefinição em torno das viagens do Reino Unido para Portugal, em entrevista à BBC. Entretanto, esta manhã, fonte governamental revelou que as viagens não essenciais de e para …

PPP na saúde levou Estado a "poupar" mais de 200 milhões

As Parceiras Público-Privadas (PPP) dos hospitais de Braga, Vila Franca de Xira, Loures e Cascais trouxeram ao Estado uma "poupança" de 203 milhões de euros, menos de um terço do que se esperava no arranque …

Praias podem receber mais banhistas este verão

Apesar de o semáforo de lotação das praias se manter nesta época balnear, a percentagem de ocupação sobe para os 90%. Quem não respeitar as regras estará sujeito a coimas. As limitações à lotação, introduzidas no …

Ritmo de vacinação da UE ultrapassa o dos EUA e China. Grécia reabre turismo

Atualmente, o ritmo de vacinação da União Europeia ultrapassa o registado nos Estados Unidos da América e na China, de acordo com os dados da plataforma Our World in Data. Os dados recolhidos pelo Público …

"Síndrome de Havana" tem sido cada vez mais reportada por militares dos EUA

Diplomatas norte-americanos, espiões e funcionários da Defesa nacional dos EUA sofreram mais de 130 casos de lesões cerebrais, conhecidos como síndrome de Havana. Segundo o jornal The New York Times, três agentes da CIA revelaram ter …