Micronova, um pequeno mas poderoso novo tipo de explosão estelar

SDO / NASA

Há mais formas de as estrelas explodirem do que pensávamos. A micronova é uma pequena mas poderosa explosão estelar que tem muito em comum com as suas maiores homólogas. A diferença é que acontece apenas sobre os pólos das estrelas.

Uma equipa de astrónomos observou um novo tipo de explosão estelar. A micronova, assim batizada, baseia-se num clarão de luz, pequeno e rápido, produzido a partir de uma anã branca.

O IFL Science começa por explicar que as novas e as supernovas de tipo 1a são ambas resultado de interações entre anãs brancas e estrelas companheiras.

As anãs brancas são tão densas que podem extrair material de vizinhos mais difusos. Quando tanto material se acumula sobre uma anã branca, explode como uma supernova. Noutros casos, o material forma uma concha sobre a anã branca, levando a uma explosão mais modesta, mas muito poderosa, onde grandes quantidades de hidrogénio recentemente adquirido se fundem em hélio em algumas semanas.

No entanto, em alguns casos, as anãs brancas com poderosos campos magnéticos “afunilam” o material nos seus pólos, causando uma explosão semelhante a uma nova, mas restrita a pequenas partes da estrela, e, assim, menos enérgica.

“Pela primeira vez, observamos que a fusão de hidrogénio também pode acontecer de forma localizada. O combustível pode ser contido na base dos pólos magnéticos de algumas anãs brancas, de modo a que a fusão só aconteça nestes pólos magnéticos”, elucidou Paul Groot, da Universidade de Radboud, em comunicado.

As conclusões da equipa foram feitas com base em observações usando o Very Large Telescope do Observatório Europeu do Sul, no deserto de Atacama, no Chile. O artigo científico com as descobertas foi publicado na Nature.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.