Os micróbios intestinais podem estar a “comer” a nossa medicação

massdistraction / Flickr

A dosagem de medicação ideal varia de pessoa para pessoa e, muitas vezes, por razões misteriosas. Na realidade, até pequenos microrganismos que vivem no nosso corpo podem “comer” a nossa medicação.

Uma recente investigação acaba de concluir que os microrganismos intestinais Enterococcus faecalis e Eggerthella lenta podem intercetar a levodopa (L-dopa) – um fármaco comummente usado em doentes com Parkinson – e transformá-la quimicamente antes de chegar ao cérebro.

Esta investigação concentra-se num tratamento específico para uma condição, mas a equipa de cientistas por trás desta descoberta considera que o papel do nosso microbioma intestinal pode estar a ser subestimado, pelo menos o papel que este representa na eficácia e potência dos medicamentos que ingerimos.

O fármaco L-dopa tem como missão administrar dopamina ao cérebro, substituindo assim a dopamina consumida pela doença de Parkinson. No entanto, desde a introdução da L-dopa na década de 1960, os cientistas sabem que as enzimas no intestino podem impedir a entrega, levando a alguns efeitos colaterais desagradáveis à medida que a dopamina “se perde” antes de chegar ao cérebro.

De forma a manter o L-dopa intacto, foi introduzido um segundo fármaco (carbidopa), mas nem sempre é eficaz. Segundo Maini Rekdal, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, esta nova investigação identificou as bactérias específicas que são as responsáveis por este “fracasso” da medicação. O artigo científico foi publicado na Science.

Com referência ao Projeto Microbioma Humano, os cientistas descobriram que não apenas as nossas próprias enzimas podem estar a causar estragos na medicação que ingerimos, como também a bactéria Enterococcus faecalis pode converter L-dopa em dopamina antes de chegar ao cérebro.

Além disso, escreve o Science Alert, através de amostras fecais e suprimentos de dopamina, os cientistas identificaram que a bactéria Eggerthella lenta consome dopamina convertida e produz meta-tiramina neuromoduladora como subproduto.

Tanto a E. faecalis como a E. lenta estão aparentemente a trabalhar em conjunto para impedir que a medicação alcance o seu alvo principal: o cérebro. Além disso, apesar de a carbidopa ser usada para impedir que uma enzima intestinal converta a L-dopa em dopamina no sistema digestivo, o fármaco não parece funcionar com a enzima E. faecalis.

Mas há uma boa notícia. A equipa já encontrou uma molécula capaz de impedir que a E. faecalis destrua a L-dopa sem destruir a própria bactéria, atacando uma enzima não essencial – a molécula alfa- fluorometiltirosina (AFMT).

Na prática, isto significa que os cientistas estão perto de encontrar uma forma de tornar o L-dopa significativamente mais eficaz no tratamento da doença de Parkinson.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Netflix retrata a trágica história de Nicolau II, o último czar da Rússia

A Netflix acaba de lançar The Last Czars, uma série documental sobre a história de Nicolau II e a sua família, que acabou por ditar o fim da dinastia de 300 anos dos Romanov e …

Português desce e Matemática volta à positiva nos exames do 9.º ano

As médias dos alunos do 9.º ano nos exames desceram este ano a Português e subiram a Matemática, voltando a uma média positiva, mas com uma taxa de reprovação ainda a rondar os 30%. Os exames …

A famosa "Pirâmide Curvada" do faraó Senefuru foi aberta ao público pela primeira vez em mais de 50 anos

No Egito, foi aberta ao turismo, pela primeira vez desde 1965, a famosa "Pirâmide Curvada", construída por ordem do faraó Senefuru há 4.600 anos. Localizada em Dahshur, a 40 quilómetros a sul do Cairo, a pirâmide, …

Príncipe Carlos diz que temos 18 meses para salvar a humanidade

O príncipe Carlos admite que os próximos 18 meses serão cruciais para a sobrevivência dos seres humanos. Durante este tempo, os líderes mundiais terão de controlar as mudanças climáticas para evitar uma catástrofe irreversível. "Senhoras e …

Novo filme da saga Bond tem Agente 007 feminina

De acordo com jornais ingleses, o filme Bond 25 não terá um novo James Bond, mas sim uma nova Agente 007. No filme, que será uma homenagem ao legado de Roger Moore e de todos …

Manchester United não dá mais do que 33,5 milhões por Bruno Fernandes

O Manchester United só está disposto a pagar 33,5 milhões de euros pelo médio do Sporting Bruno Fernandes, escreve o jornal Mirror esta segunda-feira. De acordo com o diário britânico, a contratação de Harry Maguire …

Caso de ébola detetado em cidade com mais de dois milhões de habitantes

As autoridades de saúde detetaram o primeiro caso de ébola na cidade de Goma, na República Democrática do Congo, onde vivem mais de dois milhões de pessoas, confirmou no domingo o ministro da Saúde congolês. De …

Ordem dos Enfermeiros apresenta queixas contra inspetores da Saúde

A Ordem dos Enfermeiros (OE), liderada por Ana Rita Cavaco, vai apresentar queixas-crime contra a inspetora-geral das Atividades em Saúde e contra os inspetores que participaram na sindicância a esta associação profissional. Em causa está a …

Advogado de Mustafá acusa procuradora Cândida Vilar de terrorismo institucional

O advogado do líder da Juventude Leonina, Filipe Coelho, voltou a apontar baterias a Cândida Vilar, acusando-a de "terrorismo oficial" contra o seu cliente.  De acordo com o Tribuna Expresso, o advogado de Mustafá disse ainda …

Fenprof indignada com palavras cruzadas do Expresso exige pedido de desculpas

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) manifestou-se nesta segunda-feira “indignada” com um tópico nas palavras cruzadas do semanário Expresso, exigindo um pedido de desculpas aos docentes portugueses. Em causa um tópico das palavras cruzadas da …