Quase metade dos desempregados não ganham subsídio

Paulo Novais / Lusa

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego do IEFP está a descer desde 2014, mas ainda há muitos milhares que não recebem qualquer tipo de prestação.

Em janeiro, 164.014 pessoas estavam sem trabalho e sem subsídio. Os dados mensais do Instituto de Emprego e Formação Profissional divulgados na semana passada indicam que estavam inscritos 350.772 desempregados e destes quase 47% não recebiam subsídio.

O DN/Dinheiro Vivo cruzou estes dados com os da Segurança Social, também referentes a janeiro, e verifica-se que foi assegurado o pagamento desta prestação a 186.758 pessoas.

O valor é mais baixo do que em janeiro de 2018, quando quase 54% dos desempregados não recebiam o subsídio de desemprego, que inclui as várias prestações criadas para apoiar as pessoas com maior dificuldade em regressar ao mercado de trabalho.

A proporção de pessoas sem trabalho e sem este tipo de prestação tem vindo a baixar nos últimos anos e, analisando os dados até 2009, verifica-se que nem foi durante o “pico” da crise económica que se registou uma taxa de cobertura mais baixa. O pior janeiro dos últimos dez foi em 2017, quando a economia estava em franca recuperação. Nessa altura mais de 55% dos desempregados estavam sem apoio.

As alterações nos critérios de acesso e de manutenção do subsídio de desemprego explicam parte do aumento do número de desempregados sem subsídio, que passaram de 38,1% em janeiro de 2009 para 46,8% no mesmo mês deste ano. Para esta evolução conta o facto de a prestação poder ser paga durante 26 meses e não nos 18 que foram definidos a partir de 2012.

Para a redução do número de pessoas sem subsídio de desemprego contribuíram as prestações criadas entretanto, como a medida extraordinária de apoio aos desempregados de longa duração que começou a ser paga em julho de 2016. Em janeiro, mais de 2.200 pessoas estavam a receber esta prestação.

Os dados da Segurança Social mostram ainda que o valor médio do subsídio de desemprego em janeiro foi de 486,20 euros, uma descida superior a dez euros em relação a dezembro do ano passado, mas mais 4,62 euros do que em janeiro de 2018.

No final de janeiro existiam mais de 6.700 famílias em que os dois elementos do casal estavam numa situação de desemprego. Comparando com o mesmo mês de 2018, verifica-se uma redução superior a 23%, o que corresponde a menos 2071 casais. Já em relação a dezembro do ano passado, verificou-se um aumento de 3,6%, ou seja, mais 246 casais.

De acordo com a informação disponibilizada pelo IEFP, 45% dos desempregados inscritos nos centros de emprego eram casados ou viviam em união de facto, o que corresponde a 145.970 pessoas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Veneno de caracol marinho usado para criar insulina híbrida promissora no tratamento da diabetes

Cientistas criaram uma versão minimalista e híbrida de insulina, a partir da hormona humana e de um caracol marinho, que pode vir a melhorar o tratamento da diabetes, divulgou a universidade norte-americana de Ciências da …

Sequelas da covid-19 em doentes mais graves ainda estão por compreender

O acompanhamento depois da alta para doentes que estiveram internados com covid-19 é um dos grandes desafios do sistema de saúde para compreender que sequelas, por enquanto desconhecidas, a doença poderá deixar. “Só daqui a seis …

Criança nasce com duas bocas nos EUA. É o 35.º caso registado desde 1900

A menina, nascida nos Estados Unidos, foi operada ao seis meses para remover a cavidade oral secundária, que incluía dentes, língua e um lábio. Uma bebé nasceu nos Estados Unidos com duas bocas, devido a uma …

Funcionários do Facebook em "greve virtual" face à recusa de Zuckerberg em agir contra Trump

Os funcionários do Facebook estão insatisfeitos com a decisão do fundador da rede social de manter uma postura neutra perante as recentes publicações do Presidente dos Estados Unidos. De acordo com o jornal The Guardian, os …

Inteligência Artificial recria "verdadeiro" rosto de Napoleão Bonaparte

Recorrendo a uma técnica de Inteligência Artificial, um artista holandês criou um retrato em alta definição do imperador francês Napoleão Bonaparte. O fotógrafo freelancer holandês Bas Uterwijk, cujo pseudónimo é Gandbrood, recorreu a uma rede neuronal …

"Apito" da covid-19. Novo teste deteta novo coronavírus em apenas um minuto

Uma equipa de cientistas da Universidade Ben-Gurion, em Israel, desenvolveu um novo dispositivo que é capaz de detetar a presença do novo coronavírus no organismo humano em apenas um minuto. O novo teste, desenvolvido pelos investigadores …

"We Call it Alentejo". Novo filme promocional destaca as maravilhas alentejanas

A gastronomia e vinhos, as pequenas aldeias, a sustentabilidade e a natureza são atributos do Alentejo evidenciados no mais recente filme promocional do território, lançado pela agência regional de promoção turística para chamar visitantes estrangeiros. Com …

Curandeiro convocou cerca de 100 pessoas para se abraçarem contra a "farsa" da pandemia

Josep Pàmies, um agricultor espanhol defensor das terapias alternativas, convocou cerca de 100 pessoas a abraçarem-se a beijarem-se contra a "farsa" da pandemia. No sábado, cerca de uma centena de pessoas juntaram-se em Balanguer, na província …

Rússia anuncia início de ensaios clínicos de uma vacina contra a covid-19

A Rússia vai começar os ensaios clínicos de uma vacina contra a covid-19 em 50 soldados que se ofereceram para participar nos testes, anunciou esta terça-feira o Ministério da Defesa. "Para verificar a segurança e eficácia …

Montenegro tem uma carta na manga para promover o turismo

Para incentivar o turismo, Montenegro tem a intenção de usar a carta da segurança sanitária para convencer os turistas estrangeiros a visitar o país. No dia 25 de maio, Montenegro declarou-se um "país livre de coronavírus" …