“Messiah”, da Netflix, reacende controvérsia sobre os limites da liberdade de expressão

A série Messiah, disponível na plataforma de streaming Netflix, acende a controvérsia em torno dos limites da liberdade de expressão e da criatividade no mundo das artes e do entretenimento.

Messiah, uma série produzida por Michael Petroni, é uma produção que aprofunda a premissa do que poderia acontecer se Jesus Cristo voltasse nos dias de hoje, num momento em que se vivem sérias tensões no Médio Oriente, o perigo das fake news e onde a comunicação é colocada em primeiro plano, deixando a religião num lugar relativamente secundário.

A série ainda não tinha estreado e era já alvo de uma acesa controvérsia. No início de dezembro, quando foi lançado o primeiro trailer da série, foi também lançada uma petição na plataforma Change.Org que apelava ao boicote de Messiah, alegando de que se trata de “propaganda anti-islâmica“.

O enredo da história passa-se entre o Médio Oriente, Washington e Texas (estados norte-americanos) e, apesar de o suposto Messias nunca mencionar as suas crenças ao longo da série, nem se identificar com alguma religião, o enredo foi descrito como “ofensivo” para os muçulmanos.

Os subscritores da petição insistiam que o nome “Al-Masih” – que identifica o líder misterioso, centro da narração da série – é usado na teologia islâmica para nomear o Dajjal, um falso profeta comparável à figura católica do Anticristo.

A Netflix apressou-se a esclarecer no Twitter o mal-entendido, mas a perceção de que se trata de uma ofensa às crenças muçulmanas ainda persiste. Outras séries norte-americanas, como Homeland, também enfrentaram barreiras culturais e linguísticas, o que gerou críticas pela representação da região e dos muçulmanos.

Michael Petroni também se pronunciou, sublinhando que não é seu objetivo ofender. Apesar de a série ser controversa, “não é ofensiva”. Ainda assim, a perceção de que certas questões não devem ser analisadas ou usadas para gerar conteúdo de entretenimento, debate ou visões jornalísticas subsiste num certo grupo da opinião pública.

Além disso, acresce o facto de esta série ser lançada a meio de um período mundial complicado, com as tensões entre o Irão e os Estados Unidos a intensificarem-se a cada dia que passa. A estreia de Messiah trata-se de uma sincronia sem explicação, uma vez que o lançamento foi anunciado no ano passado, tornando muito improvável que seja uma provocação por parte da Netflix.

Mesmo assim, destaca o Hipertextual, persiste o argumento de que a participação dos Estados Unidos em conflitos de guerra e a sua influência como potencial global em situações de grande gravidade está a ser discutida “em voz alta”, com lançamentos como este.

Esta não é a primeira vez que se instaura um debate público sobre os limites da liberdade de expressão: devia a Netflix questionar-se sobre a adequação da sua estreia?

O debate em torno da mais recente série da Netflix sugere que a liberdade de expressão tem limites e que essa fronteira é marcada pelo desconforto que pode causar uma história em certos grupos religiosos, sociais ou culturais. Mas será esta uma ideia válida?

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Sobre a liberdade de expressão eu acho interessante os judeus financiarem as blasfêmias sobre Jesus e seus seguidores e não dá nada, agora quando se fala a verdade sobre esta raça de víboras causadores de degradação da humanidade ai é anti-semita agora bem capaz deste meu comentário ser barrado ou alguém sentir a dor no…pois não se pode repudiar a raça superior…

    • É a inquisição que está de volta… Primeiro a com A Porta dos fundos e o especial de natal, agora com esta serie… Enfim…

RESPONDER

Já é possível ouvir a Via Láctea. NASA transforma dados de corpos celestes em música

A NASA converteu dados de astronomia em sons, permitindo ouvir composições musicais derivadas da própria estrutura do Universo. Especialistas da NASA transformaram dados da Via Láctea em sons graças a um processo conhecido como sonificação. …

Federer acusado de manobrar a tabela ATP

Contas da associação de tenistas foram alteradas por causa do coronavírus. Roger Federer está no quinto lugar mas só disputou um torneio ao longo de 2020. Em ano anormal, contas anormais: a tabela oficial da Associação …

Astrónomo do Instituto SETI garante que vamos encontrar extraterrestres até 2036

Seth Shostak, astrónomo e astrofísico do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) está convencido de que os humanos vão encontrar uma civilização extraterrestre inteligente até 2036. “O SETI duplica a velocidade aproximadamente a cada dois anos …

Mais leve e elegante. Assim é a nova e-bike que vai chegar às ruas da Europa

A startup Urban Cycles Oy, com sede em Helsínquia, demarcou uma espécie de lacuna no mercado europeu de bicicletas elétricas e por isso quis preenchê-la. O objetivo era produzir uma bicicleta elegante e mais leve. Um …

Incêndio reduz a maior ilha de areia do mundo a metade. É Património da Humanidade

Quase metade de Fraser, a maior ilha de areia do mundo, que se situa no nordeste da Austrália e foi classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, foi destruída por um incêndio florestal. O incêndio queimou …

"Toca de bruxaria" permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios …

Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado "escandaloso" (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo. Este …

Marcelo quer alívio de restrições no Natal sem pôr em xeque janeiro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira esperar que a "possível exceção" no Natal ao quadro de restrições para conter a covid-19 "seja bem entendida e bem vivida" e não provoque …

Bill Gates diz que o mundo estará de volta à normalidade já na primavera de 2021

Bill Gates, que desde 2015 tinha vindo a lançar alguns alertas sobre uma possível pandemia, deixou agora uma mensagem de esperança ao dizer que acredita que os EUA irão voltar ao normal na primavera de …

Mais um passo na hegemonia. China constrói aldeia nos Himalaias, em zona também disputada pela Índia e pelo Butão

Novas imagens de satélite mostram que a China construiu uma aldeia nos Himalaias, ao longo de uma fronteira que também é disputada pela Índia e pelo Butão, e que foi palco de um impasse agressivo …