Memória do gelo do Monte Branco vai ser guardada na Antártida

TRAILSOURCE.COM / Flickr

Monte Branco, Chamonix

Monte Branco, Chamonix

Uma equipa de investigadores vai tentar armazenar amostras do glaciar do Monte Branco na Antártida para preservar o gelo da montanha mais alta dos Alpes da ameaça do aquecimento global.

“Não é pelo prazer de armazenar cubos de gelo. O gelo é um poço de informação“, explicou à agência France Press Jerôme Chappelaz, diretor de investigação no Laboratório de Glaciologia e Geofísica do Ambiente (LGGE) em Grenoble, sudeste de França.

Uma equipa de dez glaciólogos franceses, italianos e russos vai passar vários dias em agosto a 4.300 metros de altitude no maciço dos Alpes franco-italianos a perfurar três núcleos de gelo com 140 metros de comprimento.

World Meteorological Organization / Flickr

A base franco-italiana Concordia, na Antártida

A base franco-italiana Concordia, na Antártida

Amostras de várias toneladas serão depois acondicionadas em caixas próprias e uma delas será analisada no laboratório de Grenoble, onde será criada uma base de dados aberta à comunidade científica. Os outros dois núcleos serão depositados na base franco-italiana Concordia, na Antártida, em 2019 ou 2020.

Está prevista para a primavera de 2017 uma segunda operação semelhante de recolha de núcleos de gelo no glaciar de Illimani, a 6.300 metros de altitude, na Bolívia, em condições bastante mais difíceis.

Formados pelo efeito das chuvas de neve, os glaciares emprisionam nas suas profundidades pequenas bolhas de ar e impurezas, que são testemunhos ricos da atmosfera de há varias dezenas de milhares de anos.

Foi através do seu estudo que os glaciólogos conseguiram estabelecer a ligação entre a temperatura e os gases com efeito de estufa.

Os glaciares do Monte Branco oferecem aos investigadores a possibilidade de estudarem a evolução da poluição ou dos efeitos da atividade industrial no ambiente na Europa nos últimos séculos.

Por exemplo, ilustra Jerôme Chappelaz, “temos um belo pico de césio 137 em abril de 1986”, depois da catástrofe da central nuclear de Chernobyl.

Corrida contra o tempo

Com o avanço tão rápido da tecnologia, “não temos como prever o que poderemos fazer a nível científico em 50 ou 100 anos”, sublinha.

“O que é que poderemos medir? Que informação relacionada com o ambiente, clima ou biologia poderemos obter?”, questiona o cientista, que cita nomeadamente os estudos sobre mutações de vírus ou bactérias presos no gelo.

Esta é, no entanto, uma corrida contra o tempo, já que os glaciares estão a dissolver-se rapidamente.

Os que estão a menos de 3.500 nos Alpes deverão desaparecer antes do fim do século. Nos Andes, o glaciar de Chacaltaya, na Bolívia, que culminava a 5.300 metros, desapareceu em 2009.

“Este ano houve derretimento a seis mil metros no Glaciar de Illimani com o fenómeno do El Niño”, sublinhou Patrick Ginot, investigador no projeto.

Ou seja, dentro de 50 anos “teremos seguramente os meios para analisar, mas talvez já não tenhamos os núcleos de gelo para o fazer”, remata Jerôme Chappellaz.

Além do Monte Branco, os glaciólogos preveem levar a cabo duas dezenas de recolhas de amostras de gelo de glaciares em todo o mundo nos próximos dez anos.

O conjunto destas amostras será igualmente guardado numa cave de neve em Concordia, na Antártida, um “congelador natural a -50ºC”, ao abrigo de avarias elétricas ou de eventuais atentados.

O projeto é apoiado pela Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Parasitas" vai ter uma série na HBO. E já são conhecidos dois nomes do elenco

A produção sul-coreana de Bong Joon Ho, especialmente condecorada pela Academia, merece agora uma adaptação para a televisão pelas mãos da HBO. A série televisiva de "Parasitas" foi anunciada em janeiro e a produção está encarregue …

O carregador do seu smartphone é mais potente do que o computador da Apollo 11

Não restam dúvidas de que a informática deu um passo gigante em termos de evolução nos últimos 50 anos. Agora, um engenheiro de software descobriu que até mesmo o carregador do seu smartphone é mais …

Tribunal suspende construção da Gigafactory na Alemanha

Um tribunal alemão ordenou à Tesla, este domingo, a suspensão das obras da sua fábrica "Gigafactory" por questões ambientais. Em novembro do ano passado, Elon Musk, presidente executivo da Tesla, anunciou que a Alemanha tinha sido …

Novos semáforos da Índia ficam vermelhos quando os condutores buzinam

A Polícia de Mumbai, na Índia, instalou detetores de ruído em vários semáforos de cruzamentos importantes da cidade, visando reduzir a poluição sonora. Agora, quanto mais os condutores buzinam, mais tempo a luz se mantém …

Polícia de Hong Kong procura autores de roubo de papel higiénico

Um camião que transportava papel higiénico foi, esta segunda-feira, alvo de um assalto à mão armada em Hong Kong, onde a escassez do produto motivou uma corrida ao comércio local. As autoridades informaram que um motorista …

Centeno considera gravações de Varoufakis "politicamente lamentáveis"

O presidente do Eurogrupo considerou, esta segunda-feira, a atitude do antigo ministro das Finanças grego, que gravou reuniões do fórum de ministros das Finanças da zona euro, "politicamente lamentável". "Honestamente, não tenho comentários a fazer sobre …

Elton John obrigado a interromper concerto devido a crise de pneumonia

O cantor britânico foi obrigado a interromper um concerto, na Nova Zelândia, devido a um diagnóstico de pneumonia atípica. No último domingo, o cantor britânico Elton John interrompeu um concerto no Auckland’s Mount Stadium, na Nova …

Tancos. Coronel da GNR nega pacto de silêncio

O ex-diretor de investigação criminal da GNR disse, esta segunda-feira, desconhecer qualquer pacto de silêncio com a Polícia Judiciária Militar que envolvesse a colaboração na investigação do furto das armas de Tancos. Na sessão desta segunda-feira …

Anel de curso perdido nos EUA encontrado 47 anos depois na Finlândia

Um anel de curso de um liceu nos Estados Unidos, perdido em 1973, foi agora descoberto numa floresta da Finlândia. De acordo com o The Guardian, Debra McKenna perdeu o anel de curso do marido em …

Apresentadas mais de 50 queixas contra post de André Ventura sobre Joacine Katar Moreira

A Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR) já recebeu mais de 50 queixas devido à publicação na qual o deputado do Chega sugeria devolver Joacine Katar Moreira ao seu país de origem. Em …