Mega-fraude na venda de ouro lesou Estado em 52 milhões de euros

-

A Polícia Judiciária do Porto desmantelou uma mega-fraude, envolvendo um grupo de empresários e a venda de ouro, que lesou o Estado em, pelo menos, 52,5 milhões de euros.

Este esquema, que se terá desenrolado ao longo de dois anos, passava pela fuga ao IRS, ao IVA e ao IRC, devidos no âmbito da comercialização de ouro, através da “criação de empresas fictícias, dentro e fora do país, para camuflar os elevados proveitos”, conforme reporta o Correio da Manhã.

Este rede, agora “apanhada”, lesou o Estado no valor de 52,5 milhões de euros, refere o jornal com base na investigação da Polícia Judiciária do Porto.

Foram realizadas 37 buscas domiciliárias e detidas nove pessoas, seis empresários e três Técnicos Oficiais de Contas, com idades entre os 24 e os 63 anos, mantendo alguns deles laços familiares.

Alguns dos suspeitos já tinham estado envolvidos noutro caso de fraude fiscal na venda de ouro, também investigado pela PJ do Porto.

Os suspeitos têm todos residência no Grande Porto e respondem por crimes de associação criminosa, burla tributária e fraude fiscal qualificada.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Escócia e Gales querem eleições se houver adiamento do Brexit

Os chefes dos governos da Escócia e de Gales defenderam hoje eleições antecipadas no Reino Unido no caso de uma extensão do prazo de saída do país da União Europeia. “Quero que se realizem eleições gerais. …

Governo grego apresenta legislação mais restritiva do direito de asilo

O Governo grego enviou na terça-feira ao parlamento uma proposta de lei que endurece os procedimentos para concessão de asilo, reforça os poderes de detenção e acelera as deportações, noticiou a imprensa. A proposta, de 250 …

Libertadores. Jesus veta acesso de funcionários do Flamengo ao derradeiro treino

Escreve a imprensa brasileira que Jorge Jesus vetou o acesso de funcionários do Flamengo ao derradeiro treino que antecede o jogo com o Grémio para a Libertadores, que vai decidir um dos finalistas da competição. …

Caso do bebé sem rosto. Médico suspenso não viu que menina tinha duas vaginas, um rim e espinha bífida

O Conselho Disciplinar do Sul da Ordem dos Médicos suspendeu preventivamente o obstetra envolvido no caso do bebé que nasceu, em Setúbal, com malformações graves. Entretanto, surgem novos dados sobre suspeitas atribuídas ao médico noutros …

Rede de imigração ilegal no SEF. Denúncias de corrupção eram antigas, mas ficaram na gaveta

A inspectora do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que foi detida nesta semana, por pertencer alegadamente a uma rede de imigração ilegal, já tinha sido identificada num inquérito interno desta entidade, devido às mesmas …

Bancos querem passar a cobrar por grandes depósitos. Particulares escapam

BCP, Novo Banco e Caixa Geral de Depósitos defendem que é preciso cobrar aos grandes clientes por depósitos de grande dimensão. Particulares e pequenas e médias empresas escapariam desta medida. A ideia foi lançada pelo …

Filho de Bolsonaro já não vai ser embaixador em Washington

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente do Brasil, anunciou na terça-feira, na Câmara dos Deputados, que desistiu da sua indicação para embaixador do país em Washington, nos Estados Unidos (EUA). Na véspera, Jair Bolsonaro, que …

OE2020. Catarina Martins critica chantagem da Comissão Europeia a cada ano

A coordenadora do Bloco de Esquerda criticou esta terça-feira a chantagem da Comissão Europeia em relação a Portugal repetida a cada legislatura e a cada ano, reiterando a disponibilidade "para negociar um Orçamento do Estado …

Maior parte das escolas não cumprem lei de 2009 sobre a educação sexual

Grande parte das escolas não está a cumprir a lei de 2009 que define como deve ser dada a educação sexual no ensino obrigatório, do 1.º ao 12.º ano de escolaridade. A conclusão surge num relatório …

Pouco poder, mas algum. Deputados únicos podem desencadear revisão da Constituição

Os deputados únicos não têm poder para pedir a votação do programa de Governo, ao contrário dos grupos parlamentares, nem podem sozinhos censurar o Executivo, mas podem desencadear, como qualquer parlamentar, um processo de revisão …