Nos manuscritos medievais, os caracóis eram os grandes inimigos dos cavaleiros. Porquê?

3

Brunetto Latini’s Li Livres dou Tresor, c 1315-1325 / British Library

É comum encontrar misteriosas imagens de cavaleiros a lutar contra caracóis nos manuscritos medievais. Entre simbolismo religioso ou preconceitos racistas, há muitas teorias que procuram explicar esta obsessão.

Já alguma vez viu um manuscrito medieval? Se sim, é provável que tenha passado por imagens de cavaleiros a lutar contra caracóis. Entre todos os perigos que andam à espreita, estes pequenos animais não parecem ser uma grande ameaça. ENtão, o que explica esta obsessão bizarra?

Os manuscritos ilustrados são livros escritos e desenhados à mão, que eram muitas vezes decorados com ilustrações e pinturas com ouro e prata. Inicialmente eram apenas textos, mas entre os séculos XIII e XIV, começaram a ser incluídas imagens.

As margens dos textos eram o espaço onde os artistas davam asas à sua criatividade e criavam imagens humorísticas. No entanto, os desenhos não tinham qualquer legenda ou contexto, o que deixa os historiadores a coçar as cabeças em busca pelo seu significado, relata o Ancient Origins.

Na cultura medieval, havia animais que eram sinónimo de certas características ou que tinham um significado moral específico. Mas a obsessão dos cavaleiros com os caracóis continua a ser um mistério.

Isso não impediu que surgissem várias teorias que procuram responder a este enigma. No livro In Image on the Edge: The Margins of Medieval Art, Michael Camille tentou sumarizar algumas das explicações mais populares.

Comte de Bastard terá sido o primeiro a tentar decifrar este mistério em 1850, quando ligou os desenhos dos caracóis com a história bíblica da ressurreição. Lisa Spangenberg, estudiosa da época medieval, acredita que a resposta está no Salmo 58, que diz: “Que eles passem como o caracol a desfazer-se em baba e como um aborto que não vê a luz do Sol”.

Já a historiadora Lilian Randall defende que os caracóis eram, na verdade, um símbolo preconceituoso que representava os lombardos, um grupo de pessoas germânicas que tinha uma má reputação por muitos serem agiotas e penhoradores.

As imagens bizarras das batalhas épicas entre os cavaleiros e os caracóis continuam a despertar muito interesse, mesmo séculos depois. É difícil saber o seu verdadeiro significado, mas nada se perde com a criação de novas teorias.

  ZAP //

3 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.