Médicos devem ganhar tanto quanto juízes e professores catedráticos

Federação Nacional dos Médicos / Facebook

Noel Carrilho, presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM).

O novo presidente presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM), Noel Carrilho, defende um aumento salarial para os médicos do Serviço Nacional de Saúde (SNS), considerando que “é preciso valorizar o trabalho” que fazem, colocando os seus ordenados no mesmo patamar dos juízes e dos professores catedráticos.

Noel Carrilho, que é cirurgião no Hospital de Viseu, revela, numa entrevista ao Público, que a FNAM está a preparar “uma proposta de grelha remuneratória”, no sentido de melhorar os salários dos médicos.

“Temos exemplos de carreiras com responsabilidade semelhante em termos de diferenciação, como a magistratura, a dos professores catedráticos. Queremos ser valorizados pelo menos dentro desse nível. Não queremos ter que pensar em fazer outras coisas para ter outro nível de vida”, salienta o presidente da FNAM.

Alertando que “sem médicos não se faz o SNS”, Noel Carrilho refere que “é preciso valorizar o trabalho que os médicos fazem no seu hospital”, notando que há clínicos que, “com frequência”, vão “trabalhar noutro hospital contratado por uma empresa [à tarefa]” porque no local onde trabalham ganham “significativamente menos”.

Noel Carrilho diz que o ordenado de um médico varia, “consoante a categoria” e se trabalha de noite ou de dia. Mas “por 35 horas e no início de carreira, um médico ganha no fim do mês 1900 euros brutos, o que dá pouco mais de 1300 euros líquidos. Como é que se pode viver assim, por exemplo, em Lisboa?”, questiona, concluindo que “em alguns locais torna-se quase impossível viver com esta remuneração“. Por esse facto, “as zonas carenciadas” de médicos “já deixaram de ser só as clássicas, como o interior do país”, diz.

“O que um médico ganha não é nenhuma fortuna. Para a responsabilidade e diferenciação que têm é pouco e a exigência é cada vez maior. Os médicos do SNS foram também os que mais perderam na época da crise, da troika, e não recuperaram completamente”, analisa ainda Noel Carrilho.

Outra das “reivindicações” da FNAM “é a de que os médicos também tenham direito a trabalhar 35 horas por semana“, refere, salientando que “a realidade de um médico preso a um hospital de forma quase monástica e a prejudicar a sua vida pessoal e a sua saúde está ultrapassada”.

“Os médicos estão a ser obrigados a fazer horas extra”, destaca, apontando também para a necessidade de promover “uma diminuição progressiva do horário de trabalho” por considerar que a profissão é de “desgaste rápido” dada a “actividade diária de altíssima exigência”.

Sobre o excesso de pessoas nas Urgências e os problemas daí advindos, Noel Carrilho fala da importância de “reorganizar o sistema”, sublinhando que “há uma boa parte de falsas urgências que se os médicos tivessem oportunidade de ver a tempo não existiriam”.

Por outro lado, o presidente da FNAM pede “medidas mais céleres, eficazes e dissuasoras” para lidar com as agressões a médicos e outros profissionais nos hospitais. “As pessoas não podem perder o direito constitucional à saúde. É uma situação específica que tem que ser tratada de forma específica. Mas não pode continuar esta noção de impunidade”, conclui, lamentando que os profissionais do SNS se sentem “desprotegidos”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Aeronave autónoma é uma alternativa acessível aos satélites (e já fez o seu primeiro voo)

A empresa Swift Engineering, em parceria com o Ames Research Center, da NASA, desenvolveu uma alternativa acessível aos satélites: uma aeronave autónoma de alta altitude e longa resistência. Já nasceu a alternativa acessível aos satélites: chama-se …

Reservas naturais chinesas salvaram os pandas da extinção (mas "esqueceram-se" dos leopardos)

Uma nova investigação revela que os esforços da China para salvar os pandas gigantes foram bem sucedidos, mas os mesmos falharam na proteção de outros animais que partilham o mesmo habitat, como é o caso …

Comunidade científica critica Trump por dizer que NASA estava "morta"

Na quarta-feira, o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, afirmou no Twitter que "a NASA estava fechada e morta" até que o próprio fez com que voltasse a funcionar, afirmação que gerou consternação na …

É "bastante provável" que chegue à Europa uma Cybertruck de menores dimensões

É "bastante provável" que uma Cybertruck de menores dimensões venha a ser produzida e chegue depois ao mercado europeu, revelou Elon Musk, CEO da Tesla, empresa que produz estas pickups elétricas. Questionado na rede social …

Mais seis mortos e 131 novos casos em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje mais seis mortos e 131 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. O número de pessoas internadas é de 366, mais nove …

"Erro" do Instagram favoreceu conteúdo de Trump face ao de Biden

Um "erro" da rede social Instagram favoreceu durante dois meses o conteúdo gerado pela campanha de reeleição do atual Presidente norte-americano, Donald Trump, quando comparado com as publicações de Joe Biden, candidato democrata que está …

Fotografia partilhada nas redes sociais levou à suspensão de alunos nos Estados Unidos

Pelo menos dois alunos da North Paulding High School, no estado da Georgia, dizem ter sido suspensos depois de terem partilhado nas redes sociais uma fotografia na qual é possível ver um corredor da escola repleto …

Estado de Nova Iorque com mais mortes por Covid-19 do que França ou Espanha

Os Estados Unidos registaram 1.252 mortos e 63.913 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Os últimos números de casos e óbitos registados devido a Covid-19 …

Turistas voltam a viajar, mas optam pelo low-cost

Mesmo num contexto de pandemia mundial o desejo de ir de férias continua vivo. Os turistas voltaram a procurar voos, contudo as opções recaem em percursos de curta distância e mais económicos. Ao longo dos últimos …

Ventura anuncia recandidatura ao Chega e só sai do parlamento quando “metade daquela esquerda" sair

André Ventura anunciou esta noite a recandidatura à liderança do Chega, numa cerimónia em Leiria em que disse que só vai sair do parlamento “quando metade daquela esquerda sair”. “Estamos a fazer uma revolução democrática e …