McDonald’s pede desculpa à China depois de identificar Taiwan como país

A cadeia McDonald’s pediu desculpa pelo seu mais recente anúncio publicitário, criticado por internautas chineses por retratar Taiwan como um país, em mais uma disputa com uma multinacional devido ao estatuto da ilha.

Num anúncio publicitário, exibido em Taiwan pela primeira vez a 6 de janeiro, um clipe de dois segundos mostra um cartão de identificação de um estudante, no qual Taiwan é identificado como um país. Nas redes sociais chinesas não tardaram as críticas.

A nacionalidade deveria ser China! O que é Taiwan? Uma província. Por favor, ponham-se no vosso lugar”, lê-se num comentário no WeChat, o Whatsapp chinês. “O McDonald’s difundiu isto claramente para 1,3 mil milhões de chineses verem. Qual é o significado? Apoiar a independência de Taiwan?”, questionou outro internauta.

Esta semana, a empresa divulgou um pedido de desculpas no Weibo, o Twitter chinês, afirmando que o anúncio foi feito por uma agência taiwanesa e que foi já retirado.

“A agência de publicidade não fez verificações rigorosas sobre as cenas e isso causou um mal-entendido, que lamentamos profundamente. Sempre apoiaremos a política de ‘Uma só China’, e continuaremos a defender a soberania territorial do país”, escreveu a multinacional norte-americana.

O princípio ‘Uma só China’ é visto por Pequim como garantia de que Taiwan é parte do seu território, apesar de cada lado fazer a sua própria interpretação desse princípio.

Pequim considera Taiwan uma província chinesa e defende a “reunificação pacífica”, mas ameaça “usar a força” caso a ilha declare independência. Já Taiwan, a ilha onde se refugiou o antigo governo chinês depois de o Partido Comunista (PCC) tomar o poder no continente, em 1949, assume-se como República da China. Pequim e Taipé concordam, no entanto, que existe uma só China.

No ano passado, dezenas de companhias áreas passaram a referir-se a Taiwan como parte da República Popular da China, cumprindo com as exigências de Pequim. British Airways, Lufthansa e Air Canada foram algumas das companhias que passaram a referir-se a Taiwan como parte da China.

A adoção de “Taiwan, China” ou “Taiwan, República Popular da China” nos portais eletrónicos e mapas das companhias aéreas representa outra vitória nos esforços do Partido Comunista Chinês em forçar empresas estrangeiras a aderir à sua visão geopolítica, mesmo em operações fora do país.

Também a japonesa Muji ou a espanhola Zara foram alvo de críticas de Pequim por identificaram Taiwan como país nas suas etiquetas ou portais eletrónicos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Responder a Eu! Cancelar resposta

Ucrânia quer aderir à NATO. Rússia opõe-se, mas EUA apoiam

O ministro da Defesa da Ucrânia anunciou esta terça-feira que pretende iniciar o processo de adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês) no próximo ano, apesar da oposição de …

Abstenção do PCP no OE serve para "evitar" crescimento das forças "antidemocráticas", diz João Oliveira

O líder parlamentar dos comunistas, João Oliveira, indiciou que a "arrumação" da direita, com o aparecimento do Chega e da Iniciativa Liberal (IL), pesou na definição da estratégia política do PCP, embora não "condicione" o partido. Na …

"Bolhas domésticas" e celebrações online. As sugestões de Bruxelas para o Natal

A Comissão Europeia pediu esta quarta-feira aos países da União Europeia (UE) para definirem “critérios claros” relativamente ao Natal, devendo estipular um número máximo de pessoas por ajuntamento, incentivar “bolhas domésticas” para passar as festividades …

PSD ouviu empresários em greve de fome e apela a Governo que os receba

O líder do grupo parlamentar do PSD apelou esta quarta-feira ao Governo para que receba os empresários da restauração e da animação noturna em greve de fome em frente ao Parlamento, depois de se ter …

China acusada de violar sanções à Coreia do Norte. EUA oferecem recompensa de 5 milhões

A China está a ser acusação de uma “violação flagrante” da obrigação de aplicar sanções internacionais à Coreia do Norte. Os Estados Unidos estão a oferecer uma recompensa de cinco milhões de dólares por informações. De …

Fabricante de aeronaves Embraer revela ter sido vítima de ataque informático

A fabricante aeronáutica brasileira Embraer informou esta terça-feira, em comunicado, que sofreu um ataque informático aos seus sistemas. A Embraer frisou, em comunicado divulgado aos acionistas, que o ataque “resultou na divulgação de dados supostamente atribuídos …

Filho de Michael Schumacher ascende à Fórmula 1 em 2021

O alemão Mick Schumacher, filho do antigo piloto Michael Schumacher, ascende à Fórmula 1 na próxima temporada, para pilotar um dos carros da escuderia Haas, anunciou esta quarta-feira a equipa norte-americana. Atual líder do campeonato de …

Costa diz que ilegalização do Chega não é resposta, mas sim solucionar problemas

O primeiro-ministro considerou esta terça-feira que a resposta política mais eficaz ao Chega não passa pela sua ilegalização, mas por solucionar os problemas sociais que alimentam o populismo e explicam a existência do partido. António Costa …

Após atropelamento que fez 5 mortos na Alemanha, polícia exclui hipótese de terrorismo

O condutor que ontem provocou cinco mortes ao atropelar várias pessoas numa zona pedonal, em Trier, mostra sinais de "distúrbios psiquiátricos", afirmou o procurador dessa cidade do oeste da Alemanha, com a polícia a descartar …

Sonangol admite sair do Millennium BCP se surgir uma "boa oportunidade"

A petrolífera angolana Sonangol, segundo maior acionista do Millennium BCP com cerca de 20%, admitiu aproveitar alguma “boa oportunidade” que surja para vender a sua participação. A informação foi transmitida pela Sonangol de Sebastião Gaspar Martins, …